• SOCIEDADE-  • CULTURA  • DESPORTO  • OPINIÃO
  Domingo, 21 Julho 2024    •      Directora: Inês Vidal; Director-adjunto: João Carlos Lopes    •      Estatuto Editorial    •      História do JT
   Pesquisar...
Qua.
 40° / 21°
Céu limpo
Ter.
 41° / 21°
Céu limpo
Seg.
 40° / 16°
Céu limpo
Torres Novas
Hoje  29° / 17°
Céu nublado
       #Alcanena    #Entroncamento    #Golega    #Barquinha    #Constancia 

Mais uma feira local da época - antónio mário santos

Opinião  »  2023-06-03  »  António Mário Santos

"“Estas feiras da Época que nunca mais chegam à história da democracia..."

A cidade apresenta-se engalanada. Assinala-se a feira da época, uma vez mais integrada na época da Idade Moderna Portuguesa (séc. XVI), ainda no reinado de D. João III. Talvez por influência da igualdade do género, e quando da comemoração do 130.º aniversário do nascimento de Maria Lamas, escolheu-se como temática a cultura e a música e, da corte e círculo da infanta D. Maria, duas toledanas, Luisa e Ângela Sigea, que naquela se tornaram célebres. E, por acção do historiador setecentista Padre António Carvalho da Costa na sua “Corografia Portuguesa e Descriçam Topografica do Famoso Reino de Portugal, Tomo III, Cap, XV, pgs 280/288”, conhecida a ligação, pelo casamento de Ângela Sigea com o escudeiro-fidalgo Antão de Melo Mogo, aos Melos Mogos torrejanos, que Artur Gonçalves, nos seus “Torrejanos Ilustres”, usou com abundância.

Relembrar duas artistas que, no seu tempo, souberam, cada uma a seu modo, expressar uma identidade própria, com reconhecimento, principalmente da primeira, internacional, merece registo. Já transformá-las em torrejanas ilustres, apesar do muito trabalho compilatório de AG, tem algo que se lhe diga. A investigação histórica não é estável, e sobre a família Sigea, o demonstra de forma cabal a tese de mestrado de Catarina Cunha Monteiro, “Quando As Sombras Ofuscaram a Luz, Luisa e Ângela Sigeia -estórias e histórias da vida de Portugal de Quinhentos”, apresentada na FCSH da Univ. Nova de Lisboa, em Novembro de 2018, que o leitor interessado encontra com facilidade na Internet. Infelizmente, não pude assistir à sessão que a autora apresentou sobre as irmãs Sigeas na biblioteca municipal, em 17 de Maio último, mas não creio que altere a nova cronologia, apresentada na tese, sobre a família de Diogo de Sigeu, o patriarca, em Portugal. Em relação à presença da mesma família em Torres Novas, fica por esclarecer não só a data do regresso de Antão Mogo e Ângela a esta vila, que nos parece só se verificar por volta de 1559, data da morte do pai do mesmo, o cavaleiro Manuel Mogo, como o ano em que nos aparece Antão num registo de baptismo (1560). Não há registo de casamento local, mas verifica-se o registo de baptismo da primeira filha, em 1564, depois outros.

A ser assim, Luisa nunca residiu em Torres Novas, visto que casara em 1557 (de certo em Lisboa) e falecera em Burgos, onde residia há três anos com o marido, em 1560. Quanto ao pai, desconhece-se quando saiu da corte, e se, de facto, residiu em Torres Novas. Não há registo nenhum, paroquial, cartório notarial, documentação do Convento do Carmo, que o demonstre. Há um túmulo no respectivo convento com o seu nome, mas a capela mortuária aí definida em 1621 é de suas netas Maria Madalena de Velasco e de Antónia Sigeia. Se nela foi enterrado, como revela a tampa da tumba, o avô Diogo, pensamos que, ou viveu os últimos anos em casa de sua filha Ângela, ou morreu em Lisboa e foi depois trasladado. Alguém sabe?

Em Torres Novas, Luisa nunca morou e de Ângela só constam os baptismos das filhas, um baptismo em que foi madrinha, a acção do marido como vereador mais velho na Câmara Municipal, além dos respectivos registos de óbito.

Mas festa é festa. E da época, qual? Se, como se lê no artigo publicitário de O Mirante de 25/5, «os visitantes vão poder percorrer a mouraria, empunhar a espada na praça d’armas, entrar no submundo dos enfermos e desvalidos no Postigo da Traição, conhecer a história no lugar do Petiz ou no Jardim dos Bonecreiros, ou provar iguarias numa das muitas bodegas da feira», o que revela a intemporalidade da feira, que repete e mistura a Idade Média, a falsidade histórica (a mouraria), com a realidade da época moderna das irmãs Sigeas, a falsificação da sua actividade no concelho, e o incentivo do petisco contemporâneo.

Estas feiras da Época que nunca mais chegam à história da democracia...

 

 

 

 

 

 

 

 Outras notícias - Opinião


O Orelhas... »  2024-07-16  »  Hélder Dias

Lady Gago »  2024-07-09  »  Hélder Dias

Na aldeia de Zibreira passa o rio Almonda - isilda loureiro »  2024-06-23 

"O rio da minha aldeia", fazendo lembrar o poema de Fernando Pessoa...

Houve tempos em que o local conhecido por Azenha, no termo da aldeia de Zibreira, após descermos uma ladeira ladeada de terrenos agrícolas e hortas, teve um moinho com gente e muita vida.
(ler mais...)


Cogitações por causa do 25 de Novembro e dos avanços da extrema-direita - antónio mário santos »  2024-06-23  »  António Mário Santos

No momento em que do centro direita à direita radical, aproveitando a viragem das últimas eleições legislativas, se organizou uma associação de interesses para diminuir o 25 de Abril, realçando o golpe militar do 25 de Novembro, num crescendo de recuperação selectiva do revanchismo das elites económicas destronadas pela revolução, ultrapassando a concepção social-democrata do próprio PS (Manuel Alegre distingue-o nas suas Memórias Minhas, criticando a viragem para a 3ª via de Blair, continuando a preferir chamar ao seu partido, por inteiro, Partido Socialista), abriu-se um clamoroso protesto nos órgãos de informação nacionais.
(ler mais...)


O futebol e o radicalismo de direita - jorge carreira maia »  2024-06-23  »  Jorge Carreira Maia

 

Decorre o Europeu de futebol, hora em que o fervor nacionalista se exalta. O futebol, na sua dimensão industrial, foi colonizado por perspectivas ideológicas que fomentam, na consciência dos adeptos, uma visão do mundo muito específica.
(ler mais...)


Toma lá... »  2024-06-19  »  Hélder Dias

Lições da História - acácio gouveia »  2024-06-13  »  Acácio Gouveia

“A História não se repete, mas rima por vezes”, Mark Twain

 Vinte e sete meses após o início da guerra na Ucrânia, temos generais e comentadores nos meios de comunicação social portugueses: (I) a justificar a legitimidade da invasão; (II) a profetizar a total e inelutável vitória de Putin; (III) e tentar convencer-nos que este assunto tem pouco ou nada a ver com Portugal e com os demais países europeus.
(ler mais...)


Do rescaldo da festa à realidade da Europa - antómio mário santos »  2024-06-11  »  António Mário Santos

Vivemos, na Europa, tempos difíceis. As eleições europeias, que se desenrolarão no próximo domingo, podem apontar para o fim da União Europeia como hoje a conhecemos. O avanço da extrema direita, racista e xenófoba, na maioria dos países europeus, veio ressuscitar o velho problema das nacionalidades e das suas fronteiras, dos impérios coloniais arrumados nos armários da história, da milenária contenda entre a ciência e a fé, da economia neoliberal assente no conceito do Estado-Nação e nos direitos fundamentais da cidadania democrática.
(ler mais...)


Nascente do Almonda: há outro caminho - jorge salgado simões »  2024-06-11  »  Jorge Salgado Simões

Tem sido difícil assistir a tudo o que se tem passado em torno da nascente do Almonda nos últimos anos, um conflito exacerbado por dois lados com interesses legítimos, mas incapazes de construir qualquer benefício para um património que todos dizem querer valorizar.
(ler mais...)


Teixeira de Queiroz e o mundo português - jorge carreira maia »  2024-06-11  »  Jorge Carreira Maia

Hoje desconhecido do grande público, Francisco Teixeira de Queiroz foi um dos grandes escritores portugueses dos finais do século XIX e inícios do século XX. A Imprensa Nacional começou, em 2020, a republicar as obras do escritor nascido em Arcos-de-Valdevez, que chegou a ser deputado e Ministro dos Negócios Estrangeiros na Primeira República.
(ler mais...)


 Mais lidas - Opinião (últimos 30 dias)
»  2024-07-09  »  Hélder Dias Lady Gago
»  2024-07-16  »  Hélder Dias O Orelhas...
»  2024-06-23  Na aldeia de Zibreira passa o rio Almonda - isilda loureiro
»  2024-06-23  »  António Mário Santos Cogitações por causa do 25 de Novembro e dos avanços da extrema-direita - antónio mário santos
»  2024-06-23  »  Jorge Carreira Maia O futebol e o radicalismo de direita - jorge carreira maia