• SOCIEDADE-  • CULTURA  • DESPORTO  • OPINIÃO
  Domingo, 16 Junho 2024    •      Directora: Inês Vidal; Director-adjunto: João Carlos Lopes    •      Estatuto Editorial    •      História do JT
   Pesquisar...
Qua.
 22° / 15°
Céu nublado com chuva fraca
Ter.
 23° / 16°
Períodos nublados com chuva moderada
Seg.
 27° / 15°
Céu nublado com chuva fraca
Torres Novas
Hoje  26° / 13°
Períodos nublados
       #Alcanena    #Entroncamento    #Golega    #Barquinha    #Constancia 

Incertos são os tempos, como os contratempos - antónio mário santos

Opinião  »  2023-05-24  »  António Mário Santos

"“E, de repente, o que parecia um paraíso à beira rio plantado, é assolado por um leque de maldições."

Acredito que o calor súbito destrambelhe o mais avisado. As mudanças bruscas de temperatura acompanhadas de ventos em assobiadelas enlouquecidas, desatinam os mais precautos, já de si com os nervos a desmalharam a teia da lucidez, após anos de grande aperto, como os da pandemia covídica. Se a alka-seltzer dos pós-almoços ajuda a modorrar a cerviz da flatulência, parece que em qualquer salão de feitiçaria não identificado foi lançado sobre os gestores autárquicos do concelho torrejano do PS um anátema que, a cada deliberação, sai estocada.

Rotinizados por décadas de maioria absoluta, apoiados num governo nacional da mesma emblemática e com as sabatinas características da mentalização de salvaguarda, assumiram o poder que lhes foi conferido pelo voto, quais tábuas da lei mosaica entregues como missão divina. Mas, quais Moisés descidos do Sinai e alapardados de espírito pelo contacto da sarça ardente, ante o tempo de autismo a que se entregaram no pôr em prática a seu modo as tábuas da lei, depararam-se com a desesperança crescente dos seus seguidores, que começavam a ver toldada a garantia da estabilidade prometida.

Sem chapéu de sol que os cobrisse, as meninges aqueciam destemperadas e os desacertos começaram a criar-lhes acidentes, quer nos actos, quer nos ditos, ante as dúvidas que a autogestão empírica começara a avolumar nas diversas escritas das gentes do concelho.

E, de repente, o que parecia um paraíso à beira rio plantado, com plano estratégico para pesca em água pública na nascente por fábrica aprisionada, é assolado por um leque de maldições, que faz encolher o título mirantista do seu melhor político do ano, ante a intromissão repentina da judiciária no sector do urbanismo e na condenação em tribunal por incumprimento de deliberação da justiça, com publicidade fotográfica na imprensa regional.

Já não bastava o desamor partidário concelhio que o tema corrupção originara nos seus militantes, a ponto de votarem em Assembleia Municipal uma proposta do Bloco de Esquerda sobre a necessidade duma auditoria externa ao sector de urbanismo camarário. Também as questões surgidas interpares oposicionistas da vereação descalcificaram harmonias da herança do passado. E, de repente, juntaram-se quase em bloco, as tempestades: o rio Almonda, a destruição das chaminés da António Alves, a posse efectiva (de quem) dos terrenos e edifícios implantados nos terrenos contratualizados em certas condições com o Nersant e os possíveis (?) projectos em congeminação para a Cancela do Leão, cuja estrada se vai, de antemão, regularizar. No Jardim das Rosas, o alargamento das piscinas em terrenos de defeso do próprio rio. Pelo concelho, um sem número de projectos à espera, ou da tampa comunitária, ou da alpista do orçamento. Pelos resultados da gestão do último ano, talvez umas preces à bem nossa Senhora de Fátima alterem o ritmo das obras aprovadas.

E vem agora mais uma pedrada no charco desta primavera a torcer os miolos e a avisar que a água e o ambiente são um bem precioso demais para ser gastos em devaneios turísticos, como um aeroporto em Santarém, com influência desastrosa na zona do Paul do Boquilobo.

O que é certo é que originou mais um desmentido do discurso presidencial na Assembleia Municipal de Torres Novas, feito por uma conjunto de associações ambientais, diminuindo a já de si frágil percentagem de confiança que a actual vereação socialista, seja pelo clima, seja por incapacidade própria, vai desbaratando.

 



 

 

 

 

 

 Outras notícias - Opinião


Lições da História - acácio gouveia »  2024-06-13  »  Acácio Gouveia

“A História não se repete, mas rima por vezes”, Mark Twain

 Vinte e sete meses após o início da guerra na Ucrânia, temos generais e comentadores nos meios de comunicação social portugueses: (I) a justificar a legitimidade da invasão; (II) a profetizar a total e inelutável vitória de Putin; (III) e tentar convencer-nos que este assunto tem pouco ou nada a ver com Portugal e com os demais países europeus.
(ler mais...)


Do rescaldo da festa à realidade da Europa - antómio mário santos »  2024-06-11  »  António Mário Santos

Vivemos, na Europa, tempos difíceis. As eleições europeias, que se desenrolarão no próximo domingo, podem apontar para o fim da União Europeia como hoje a conhecemos. O avanço da extrema direita, racista e xenófoba, na maioria dos países europeus, veio ressuscitar o velho problema das nacionalidades e das suas fronteiras, dos impérios coloniais arrumados nos armários da história, da milenária contenda entre a ciência e a fé, da economia neoliberal assente no conceito do Estado-Nação e nos direitos fundamentais da cidadania democrática.
(ler mais...)


Nascente do Almonda: há outro caminho - jorge salgado simões »  2024-06-11  »  Jorge Salgado Simões

Tem sido difícil assistir a tudo o que se tem passado em torno da nascente do Almonda nos últimos anos, um conflito exacerbado por dois lados com interesses legítimos, mas incapazes de construir qualquer benefício para um património que todos dizem querer valorizar.
(ler mais...)


Teixeira de Queiroz e o mundo português - jorge carreira maia »  2024-06-11  »  Jorge Carreira Maia

Hoje desconhecido do grande público, Francisco Teixeira de Queiroz foi um dos grandes escritores portugueses dos finais do século XIX e inícios do século XX. A Imprensa Nacional começou, em 2020, a republicar as obras do escritor nascido em Arcos-de-Valdevez, que chegou a ser deputado e Ministro dos Negócios Estrangeiros na Primeira República.
(ler mais...)


Feiras sem estórias - carlos paiva »  2024-06-11  »  Carlos Paiva

Segundo pesquisa da TSF, em Portugal no ano de 2015, ocorreram 40 eventos no contexto de "feira medieval", ou similar relacionado com esta temática. Após uma pesquisa online breve, não sistematizada, para o ano de 2023, contei 86.
(ler mais...)


Agora, também às cegas - antónio gomes »  2024-06-11  »  António Gomes

A Assembleia Municipal de Torres Novas inaugurou um novo método de decisão. Até agora, acontecia de quando em vez, sem debate ou contraditório, apenas decidia porque as maiorias absolutas assim votavam, assumindo-se como travão ao debate e à transparência.
(ler mais...)


Gerações de traidores - acácio gouveia »  2024-05-25  »  Acácio Gouveia

“Antigamente, quando o vale do Kusun estava coberto de floresta, havia ali muitas martas-zibelinas. Agora é desértico.”

Vladimir Arseniev in ´Dersu Uzala

 As acções dos jovens activistas que protestam contra as alterações climatéricas estão na ordem do dia.
(ler mais...)


Renova, que queres tu? - antónio gomes »  2024-05-25  »  António Gomes

Mais um ‘Dia da Espiga’, mais um dia de convívio na nascente do rio Almonda, mais um dia de intimidação e prepotência perpetrados pela empresa Renova.

O Ministério Público acabou de arquivar os processos movidos contra 12 cidadãos que o ano passado tiveram a “desfaçatez” de ir assinalar o Dia da Espiga, exactamente no mesmo local onde gerações anteriores sempre o fizeram.
(ler mais...)


Reflexões sobre a posse da água - antónio mário santos »  2024-05-25  »  António Mário Santos

 

Passadas as comemorações do 50.º Aniversário do 25 de Abril, sobreveio a festa pagã da enunciação da Primavera, que a religião cristã transformou na 5ª feira da Ascensão de Cristo ao céu que é, nas cidades e vilas urbanas de significativo peso rural, feriado municipal.
(ler mais...)


O desafio à ordem liberal - jorge carreira maia »  2024-05-25  »  Jorge Carreira Maia

Assistimos, nos dias de hoje, ao maior desafio que, desde o fim da Segunda Guerra Mundial, foi colocado à cosmovisão liberal. Esta visão do mundo não diz respeito apenas à economia. Ela é, fundamentalmente, uma perspectiva assente nos direitos individuais e em regimes pluralistas.
(ler mais...)

 Mais lidas - Opinião (últimos 30 dias)
»  2024-05-25  »  Acácio Gouveia Gerações de traidores - acácio gouveia
»  2024-05-25  »  José Ricardo Costa Todos os Nomes - josé ricardo costa
»  2024-05-25  »  Jorge Carreira Maia O desafio à ordem liberal - jorge carreira maia
»  2024-06-13  »  Acácio Gouveia Lições da História - acácio gouveia
»  2024-05-25  »  António Mário Santos Reflexões sobre a posse da água - antónio mário santos