• SOCIEDADE-  • CULTURA  • DESPORTO  • OPINIÃO
  Sexta, 15 Novembro 2019    |      Directora: Inês Vidal    |      Estatuto Editorial    |      História do JT
   Pesquisar...
Seg.
 15° / 5°
Períodos nublados
Dom.
 16° / 8°
Céu nublado com chuva fraca
Sáb.
 14° / 5°
Céu nublado com chuva fraca
Torres Novas
Hoje  13° / 7°
Céu limpo
       #Alcanena    #Entroncamento    #Golega    #Barquinha    #Constancia 

Legislativas, Rui Rio, Refundações e Turquia

Opinião  »  2019-04-06  »  Jorge Carreira Maia

"Eleições legislativas, os objectivos de Rui Rio, a refundação da direita e as eleições turcas, estes são os temas da quinzena."

ELEIÇÕES LEGISLATIVAS. Ainda há que passar pelas eleições para o Parlamento Europeu, mas o acto político decisivo só chega com as legislativas. Aquilo que até aqui parecia inevitável, uma vitória com maioria relativa do PS e uma derrota da direita, não estará completamente seguro. Os casos da multiplicação de relações familiares na esfera do governo têm um poder de desgaste maior do que parecia à partida. E esse desgaste já não se apaga na opinião pública, por mais eficaz que politicamente possa ser a medida dos passes sociais. Um outro factor importante é o Verão. Qualquer tragédia na área dos fogos poderá ter implicações eleitorais desagradáveis para os socialistas. As eleições ainda estão em aberto.

OS OBJECTIVOS DE RUI RIO. Parte substancial da direita não gosta de Rui Rio. Não será um condottiero exaltante que galvanize o povo e dirija uma fronda contra o governo. Também não se apresenta, como acontecia com Passos Coelho, com o pathos do ressentimento por ter sido arredado do poder por uma coligação inédita das esquerdas. Parece ter objectivos mínimos quando diz que o fundamental é afastar o PCP e o BE da área da governação, para lançar um projecto de desenvolvimento do país. No entanto, a sua maneira discreta de fazer política levou-o a presidente da câmara do Porto contra todas as expectativas. Um bom resultado do PSD nas euwopeiase alguma sorte podem lançar Rio para voos que não se imaginavam.

REFUNDAÇÕES DA DIREITA. O deputado do PSD Miguel Morgado criou o Movimento 5.7 para unir a direita e libertar o país daquilo que ele chama o longo inverno socialista. Presumo que nessa longa invernia se incluam os governos onde o seu partido – só ou na companhia do CDS-PP – governaram o país. Esta exaltação liberal tem razão numa coisa. Do CDS ao PCP, estamos perante variações discretas da social-democracia. Não ocorre aos refundadores que isso acontece porque a generalidade das pessoas são demasiado pobres para que se lhes ofereça um liberalismo puro e duro.

AS ELEIÇÕES TURCAS. Escrevo quando ainda não são conhecidos completamente os resultados das eleições na Turquia, mas independentemente dos resultados, parece haver um forte crescimento da oposição secular a Erdogan e ao seu Partido da Justiça e Desenvolvimento. Isto sublinha que a questão religiosa foi fundamental na Turquia enquanto a economia turca estava de boa saúde. Agora que uma grave crise económica atinge o país, o poder de Erdogan começa a abanar. Os regimes de pendor religioso suportam as crises económicas desde que a democracia esteja completamente suprimida. Caso contrário, os eleitores acabam por encontrar novos caminhos.

 

 

 Outras notícias - Opinião


Nazismo e comunismo »  2019-11-09  »  Jorge Carreira Maia

No mês passado o Parlamento Europeu aprovou uma resolução de condenação dos regimes nazi e comunista. Na verdade, ambos os regimes perseguiram e mataram adversários e o Estado teve neles uma configuração totalitária.
(ler mais...)


Quando eu for grande... »  2019-11-06  »  Hélder Dias

A doença das democracias liberais »  2019-10-25  »  Jorge Carreira Maia

Em curta entrevista concedida este ano ao Estadão de S. Paulo, o cientista político Yascha Mounk, especialista na crise das democracias liberais, afirmava temer que não se esteja perante um mero episódio de populismo, mas a entrar numa era populista.
(ler mais...)


Rio petisco »  2019-10-11  »  Hélder Dias

Casal da Treta? »  2019-10-11  »  Hélder Dias

Das eleições, leituras »  2019-10-10  »  Jorge Carreira Maia

1. APESAR DO PRÓPRIO PARTIDO. O PS teve um bom resultado, mas não excelente. Não conseguiu penetrar significativamente na esquerda e alienou, em campanha, uma parte do centro para o PSD.
(ler mais...)


Venham mais vinte cinco, por Inês Vidal »  2019-10-02  »  Inês Vidal

Não deixa de ser curioso o facto de festejarmos 25 anos com a produção de uma revista. Numa altura em que já ninguém lê - muito menos jornais, mesmo os regionais e, dentro destes, menos ainda os que não anunciam nascimentos, casamentos e funerais - produzir ainda mais uma revista tem algo de irónico.
(ler mais...)


Fazer acontecer »  2019-10-02  »  Anabela Santos

A importância de fazer acontecer é, cada vez mais, uma certeza para mim.
Não sei se tem a ver com a idade, a consciência ou a vivência, mas é raro o dia em que não tenha o tal pensamento … “é mesmo importante o que esta gente faz acontecer”

E, como é óbvio, não me refiro aos actos dos nossos governantes.
(ler mais...)


Por este lado é que vamos, por João Carlos Lopes »  2019-10-02  »  João Carlos Lopes

1. Políticas nacionais, aqui e ali mais impostas a nível local por opção dos próprios, devastaram as economias locais das pequenas cidades e vilas do país. O comércio local e grande parte dos serviços foram fustigados e depois engolidos pelos grandes grupos nacionais ou trans-nacionais, remetendo as cidades e vilas portuguesas a pouco mais que cenários onde nada se passa.
(ler mais...)


O prazer de ir a lado nenhum »  2019-09-28  »  Jorge Carreira Maia

O maior prazer daqueles que frequentam a literatura será o da deambulação, visitar lugares desconhecidos e confrontar-se com mundos inesperados, andar por aí sem ir a lado nenhum. Se quisermos uma prova sobre a existência de uma pluralidade de mundos, basta uma palavra: literatura.
(ler mais...)

 Mais lidas - Opinião (últimos 30 dias)
»  2019-10-25  »  Jorge Carreira Maia A doença das democracias liberais
»  2019-11-06  »  Hélder Dias Quando eu for grande...
»  2019-11-09  »  Jorge Carreira Maia Nazismo e comunismo