• SOCIEDADE-  • CULTURA  • DESPORTO  • OPINIÃO
  Quarta, 14 Abril 2021    |      Directora: Inês Vidal    |      Estatuto Editorial    |      História do JT
   Pesquisar...
Sáb.
 22° / 10°
Céu limpo
Sex.
 23° / 12°
Períodos nublados com chuva fraca
Qui.
 22° / 14°
Céu nublado com chuva fraca
Torres Novas
Hoje  21° / 12°
Céu nublado com chuva fraca
       #Alcanena    #Entroncamento    #Golega    #Barquinha    #Constancia 

Mais rápido que a própria sombra - carlos paiva

Opinião  »  2020-11-21  »  Carlos Paiva

" Cortaram-se faias porque sujavam muito as ruas e causavam rinite a muitos torrejanos."

As árvores, além de produzirem oxigénio e servirem de lar para uma série de bicharada, têm num dos efeitos colaterais à sua existência, o arrefecimento do ar. Onde há árvores, fica mais fresquinho. Seria de esperar que, numa localidade onde o calor no verão ultrapassa os 40 graus com frequência, as árvores fossem estimadas e prioritárias. Não. Na cidade sem Dalton mas com muitos Ran-Tan-Plan, corta-se primeiro e pergunta-se depois. Em caso de dúvida ou empate, corta-se.
Senão vejamos: arrancaram-se os castanheiros da avenida porque as raízes estragavam o piso. Depois de matarem os castanheiros, o piso da avenida ficou lisinho e nivelado? Não.
Cortaram-se faias porque sujavam muito as ruas e causavam rinite a muitos torrejanos. No fim de matarem as faias, as ruas ficaram limpas? Não. Deixou de haver casos de rinite em Torres Novas? Também não.
Cortaram-se as árvores que ladeavam o planalto, porque eram desadequadas, não serviam para nada e tinham custos de manutenção. Ficou uma área que alguém teimosamente insiste em classificar como privilegiada para lazer e desporto. Exposto à torreira do sol desde que nasce até que se põe. Alguém usa, alguém lá vai? Não. Os custos de manutenção baixaram? Também não. A muito custo lá plantaram três ou quatro árvores para disfarçar, ao longo de várias intervenções. Aliás, pelo dinheiro que se enterra ali, deve lá haver petróleo, desconfio.
Os chorões prejudicavam as margens do rio, removeram-se. O rio ficou mais protegido? Não. O rio vai castanho. Como não é poluição, são sedimentos arrastados pela chuva, a malta relaxa. Erosão não é mediático. Mas, havendo árvores, são esses os sedimentos que as raízes retêm, outro efeito colateral da sua existência, prevenir a erosão dos solos.
Plantou-se um pequeno espaço verde, vizinho a um monumento histórico, com visibilidade turística, alegadamente. Alguém regou, aparou, cuidou? Não. Morreram as árvores e o resto é mato. Lindo de se ver, atrai excursões de muito longe. Se por um devaneio qualquer resolvessem fazer hoje um pequeno bosque de plátanos, lá para 2120 quando se usufruísse plenamente da sua presença, alguém na câmara ficaria a coçar a cabeça acerca de como teria o descalabro chegado àquele ponto, já que nunca ninguém tinha regado aquilo. Chegavam rapidamente à conclusão que as folhas secas sujam muito as ruas e o fresquinho faz mal à sinusite. Intolerável, portanto.
Ouvem-se motosserras. Motosserras laser, porque é 2120. Uma avaria-se, a Câmara não tem contrato de manutenção, obrigando a intervenção, planeada ao detalhe com muita antecedência, a resvalar em prazo e em custo, para o triplo. Um fulano magrinho da Rua J expõe a entropia do sistema e forma o movimento “Irra Nabasta Já?”, convoca manifs, sensibiliza a malta e salva os plátanos. Tudo isto antes do processo de aquisição por ajuste directo para a reparação da motosserra ser lançado, sequer. Há que aproveitar as falhas do sistema.
De volta ao presente, um antepassado daquele activista vê-se envolto num cheiro nauseabundo para chamar a atenção da malta. Porque a malta anda distraída. Não Basta ser entidade altamente poluidora, um tribunal mandou-a encerrar. A poluição cessou? Não. O que fazem as entidades competentes? Nada. Estão atentas, dizem. Logo que se produza ali alguma árvore, caem-lhes em cima. Mais rápido que a própria sombra.

 

 

 Outras notícias - Opinião


Empréstimo »  2021-04-13  »  Hélder Dias

Sombra suspeita »  2021-04-13  »  Hélder Dias

Os 2,36 euros extra…ordinários - miguel sentieiro »  2021-04-10  »  Miguel Sentieiro

Num momento em que o sentimento generalizado sobre os chineses é de alguma desconfiança, preparo-me aqui para contrapor e dar uma oportunidade aos tipos. Eu sei que nos foram mandando com a peste bubónica, a gripe asiática, a gripe das aves, o corona vírus.
(ler mais...)


#torresnovas@weshallover.com - josé ricardo costa »  2021-04-10  »  José Ricardo Costa

É muito bom viver em Torres Novas mas também se sente o peso de estar longe do que de verdadeiramente moderno se passa no mundo, enfim, nada de #Me Too, Je suis Charlie Hebdo, vetustas estátuas transformadas em anúncios da Benetton.
(ler mais...)


Rever a revisão, já! - josé mota pereira »  2021-04-10  »  José Mota Pereira

 

 Recuemos no tempo. Entremos numa máquina do tempo e cliquemos no botão que nos leve até ao ano de 2001. Recordemos vagamente que em 2001:

 - Caíram as Torres Gémeas em Nova Yorque em 11 setembro.
(ler mais...)


Na era do ad hominem - jorge carreira maia »  2021-04-10  »  Jorge Carreira Maia

Quando a internet surgiu e, posteriormente, com a emergência dos blogues e redes sociais pensou-se que a esfera pública tinha encontrado uma fonte de renovação. Mais pessoas poderiam trocar opiniões sobre os problemas que afectam a vida comum, sem estarem controladas pelos diversos poderes, contribuindo para uma crescente participação, racionalmente educada, nos assuntos públicos.
(ler mais...)


Equilíbrio - inês vidal »  2021-04-10 

É e sempre foi uma questão de equilíbrio. Tudo. E todos o sabemos. O difícil é chegar lá, encontrá-lo, ter a racionalidade e o bom senso suficientes para o ter e para o ser. E para saber que o equilíbrio de hoje não é obrigatoriamente o de amanhã, muito menos o que era ontem.
(ler mais...)


As árvores morrem de qualquer maneira e feitio - carlos paiva »  2021-04-10  »  Carlos Paiva

Comemorou-se a 21 de Março o dia da floresta. O Instituto da Conservação da Natureza e das Florestas (ICNF) resolveu assinalar a data disponibilizando 50.000 árvores gratuitamente à população. Quem as quisesse plantar, teria de se identificar, inscrever, levantar a árvore (até um máximo de dez árvores por pessoa) e, num prazo de 48 horas, declarar o local onde plantou documentando com fotos.
(ler mais...)


Rejuvenescimento político - anabela santos »  2021-04-10  »  AnabelaSantos

Hoje, como acontece diariamente, no caminho de casa até à escola, lá se deu o habitual encontro matinal entre mim e o Ananias, o meu amigo ardina. Trocámos algumas palavras, comprei o jornal e seguimos por caminhos opostos que nos levam à nossa missão do dia, o trabalho.
(ler mais...)


O CRIT já não é de todos os torrejanos - joão carlos lopes »  2021-04-08  »  João Carlos Lopes

Durante décadas, todos os torrejanos ajudaram no que puderam o CRIT, uma obra social que granjeou a estima de todos os cidadãos e empresários, e foram muitos, que sempre disseram sim a todas e quaisquer formas de ajuda em prol da aventura iniciada em 1975.
(ler mais...)

 Mais lidas - Opinião (últimos 30 dias)
»  2021-04-08  »  João Carlos Lopes O CRIT já não é de todos os torrejanos - joão carlos lopes
»  2021-03-23  »  João Carlos Lopes Peixes e pombos ou a civilização a andar para trás - joão carlos lopes
»  2021-03-20  »  José Ricardo Costa A Rosa do Nome - josé ricardo costa
»  2021-03-20  »  Jorge Carreira Maia A arte do possível - jorge carreira maia
»  2021-04-10  »  Miguel Sentieiro Os 2,36 euros extra…ordinários - miguel sentieiro