• SOCIEDADE-  • CULTURA  • DESPORTO  • OPINIÃO
  Sábado, 21 Maio 2022    |      Directora: Inês Vidal    |      Estatuto Editorial    |      História do JT
   Pesquisar...
Ter.
 22° / 13°
Períodos nublados
Seg.
 23° / 14°
Céu nublado
Dom.
 24° / 17°
Céu nublado com chuva fraca
Torres Novas
Hoje  34° / 17°
Períodos nublados com aguaceiros e trovoadas
       #Alcanena    #Entroncamento    #Golega    #Barquinha    #Constancia 

O que aí vem - inês vidal

Opinião  »  2021-12-26  »  Inês Vidal

"“Depois do que vivemos nos últimos dois anos, já temos medo do que ainda possa estar para vir"

Passámos o ano, festejámos em família, vivemos mais uma vaga, fechámo-nos em casa, voltámos ao estudo em casa, às síncronas e assíncronas. Vacinámos Portugal. Com o bom tempo largámos as máscaras, acreditámos que o sol teria voltado a brilhar. Voltámos às praias e às salas de espectáculos, às mesas dos avós, aos jantares em família, voltámos aos amigos. Os hospitais, os lares e os centros de saúde abriram de novo as portas, pudemos visitar os nossos, ter consultas cara a cara como já não nos lembrávamos de existir. As doenças banais, que sempre conhecemos, voltaram a ter um lugar. Pudemos despedir-nos de quem nos partiu, os mais ousados voltaram aos beijos e aos abraços e nunca os recreios das escolas nos pareceram tão bonitos.

Elegemos um novo executivo municipal, assistimos à tomada de posse de Rodrigues como vereador de Pedro Ferreira e vimos a oposição perder a sua cor vermelha. O JT deu novo azul às suas páginas, enquanto arrancava para mais um ano de vida. Os Bombeiros Voluntários Torrejanos festejaram a entrada no 90.º aniversário e reiteraram o pedido de mais e maior apoio do município. De costas voltadas, não concordámos com os planos para o futuro, deixámos cair o governo e preparamos agora novas eleições legislativas. Com o Outono a fazer cair o que entretanto floriu, voltámos ao estado de calamidade, às máscaras e às regras, às limitações e aos cancelamentos e àquela sensação cada vez mais presente de que não há planos possíveis. Aprendemos a viver num constante condicional.

As nossas crianças vão à escola aos bochechos, enquanto brincam ao faz de conta com bonecos usando máscaras e testes à Covid-19. Democratizamos a testagem e depositamos agora a nossa esperança na vacinação dos mais novos, acreditando que será a solução para todos os nossos problemas. O Natal está de volta. Com ele as mesas em família. A maior diferença é que agora estaremos todos vacinados e testados. E ainda mais fartos e cansados.

Com o fim de mais um ano, sabemo-nos obrigados a saltar para um novo, a fazer planos de fundo, certos de que para o ano é que vai ser, que com tudo o que vamos fazer diferente, a nossa vida vai mudar para muito melhor. Mesmo que saibamos que vai ficar tudo igual e que as nossas grandes decisões de ano novo, só durarão até Fevereiro. E é exactamente disso que temos saudades: dos planos que fazíamos para mudar o nosso mundo, que tínhamos quase a certeza absoluta de que se manteria sempre igual. Temos saudades do sempre igual, daquela vida que sempre conhecemos.

Despedimo-nos de mais um ano, mas vamos contrariados. Não porque tenha sido um ano excepcional. Não foi. Mas depois do que vivemos nos últimos dois anos, já temos medo do que ainda possa estar para vir, do que não conhecemos, do que, dê por onde der, nunca mais será igual ao sempre o mesmo.

Quanto a nós, Jornal Torrejano, aqui continuaremos por mais um ano, cientes e conscientes de que venha o que vier, por mais diferente ou igual, o nosso papel continuará a ser primordial numa sociedade que se quer informada e democrática.

 

 

 

 

 Outras notícias - Opinião


Matrioska... »  2022-05-19  »  Hélder Dias

Tamanho - inês vidal »  2022-05-09  »  Inês Vidal

Fez na segunda-feira, dia 2 de Maio, 19 anos que comecei a trabalhar no Jornal Torrejano. Lembro-me desse dia como se fosse hoje, embora os tempos estejam bem diferentes. Pelo caminho, desde então, fomos mudando de caras, de timings, de cor e de formato, mas nunca, em momento algum, mudámos a nossa essência.
(ler mais...)


Viagens pelo centro político - jorge carreira maia »  2022-05-09  »  Jorge Carreira Maia

França: a perda do centro. As eleições presidenciais deram a vitória a Emmanuel Macron, um político centrista. Quando as democracias liberais funcionam razoavelmente, existem dois centros. Um inclinado à esquerda e outro à direita.
(ler mais...)


DOIS LIVROS, MUITOS MOMENTOS - josé alves pereira »  2022-05-09  »  José Alves Pereira

Abordo, de forma breve, dois livros que já este ano foram apresentados em Torres Novas, assinalando trabalhos que penso indesculpável deixar sem uma referência pública.

1. Começo pelo “COMUNISTAS, uma história do PCP em Torres Novas“, da autoria de João Carlos Lopes.
(ler mais...)


Dannazione! - josé ricardo costa »  2022-05-09  »  José Ricardo Costa

Rigoletto é bobo no palácio do duque de Mântua, ou seja, existe para fazer rir. Mas apagam-se as luzes da ribalta e eis que surge um outro homem: sensível, pai extremoso, chorando ainda a morte da única mulher que o amou.
(ler mais...)


Que dia é hoje? - carlos paiva »  2022-05-09  »  Carlos Paiva

Uma das novidades que a vida virtual trouxe à minha pobre existência foi o facto de existirem dias comemorativos de tudo e mais alguma coisa. Todos os dias é dia de algo. Desde o dia do abraço, do amigo, da música, do cão, do gato, até aos mais tradicionais digamos, dia da mãe, da criança, da liberdade, do trabalhador.
(ler mais...)


A parada... »  2022-05-06  »  Hélder Dias

Certamente estou errado- antónio gomes »  2022-04-29  »  António Gomes

Recentemente, assistimos à colocação da 1.ª pedra daquilo que virá a ser um novo restaurante de comida ao “pacote” numa zona da cidade onde já se encontram outros dois do mesmo género. Quero aqui declarar que a comida ali servida não faz o meu estilo, mas também declaro que não tenho nada com isso, cada um é como cada qual, os gostos não se discutem e pelos vistos clientes não faltam.
(ler mais...)


Guerra na Ucrânia, Le Pen e nacionalismo - jorge carreira maia »  2022-04-29  »  Jorge Carreira Maia

1. O primeiro derrotado da guerra na Ucrânia. Um dos postulados centrais do pensamento liberal é a crença de que a conexão comercial entre as nações as torna menos propensas à guerra. Foi por isso que parte substancial da União Europeia, com a Alemanha à cabeça, se tornou dependente da energia russa.
(ler mais...)


Bem-vindo à equipe. Está contratado! - carlos paiva »  2022-04-29  »  Carlos Paiva

Acompanho várias publicações relativas a várias temáticas e âmbitos, sendo a maior longevidade desta convivência nas relacionadas com a música. Ciente da importância dos anunciantes para a sobrevivência destas publicações, tolero que algum viés transpareça nos artigos, favorecendo patrocinadores.
(ler mais...)

 Mais lidas - Opinião (últimos 30 dias)
»  2022-04-23  »  Hélder Dias Retrato de família...
»  2022-04-24  »  Hélder Dias Avante... russo?
»  2022-04-27  »  Hélder Dias Toma!...
»  2022-04-29  »  Carlos Paiva Bem-vindo à equipe. Está contratado! - carlos paiva
»  2022-04-29  »  Hélder Dias Foguetório...