• SOCIEDADE-  • CULTURA  • DESPORTO  • OPINIÃO
  Segunda, 24 Janeiro 2022    |      Directora: Inês Vidal    |      Estatuto Editorial    |      História do JT
   Pesquisar...
Qui.
 17° / 6°
Céu limpo
Qua.
 16° / 6°
Céu limpo
Ter.
 16° / 5°
Céu limpo
Torres Novas
Hoje  15° / 4°
Céu limpo
       #Alcanena    #Entroncamento    #Golega    #Barquinha    #Constancia 

Bizarro - carlos paiva

Opinião  »  2021-11-09  »  Carlos Paiva

"“Ou quantos postos de trabalho geraram? Passada uma fase inicial a usufruir do apoio previsto, quantas conquistaram autonomia?"

 

A Startup Torres Novas comemorou cinco anos de existência. Pompa e circunstância, palmadinhas nas costas e elogios pelos sucessos conquistados. O habitual nestas coisas. O projecto Startup Torres Novas iniciou a actividade a 20 de Outubro de 2016, não completando um trimestre nesse ano, portanto. Começar a atividade nesta data, é ter pela frente o Natal, a passagem de ano e uns feriados amiúde. Seja o que for que tenha sido feito neste período, foi para consumo interno certamente.

Desde então, apoiou 95 projectos empresariais, de 226 candidatos analisados. Até aqui, tudo bem. A coisa só começa a ficar opaca quando queremos saber mais. Mais, para além das palmadinhas nas costas e dos elogios. Quando queremos saber dessas 95 proto empresas, quantas resistiram ao terceiro ano de existência, por exemplo? Ou quantos postos de trabalho geraram? Passada uma fase inicial a usufruir do apoio previsto, quantas conquistaram autonomia? Em quanto tempo? Quantas apresentam lucros? Qual o volume de negócios? Estão todas em actividade ou passaram a ser um side project de alguém que acabou por ir parar a trabalhador por conta de outrém? Quantas foram integradas em agentes económicos de maior dimensão? Ainda existe alguma sequer? Tudo isto é zona cinzenta de densidade bloqueante.

Pelo menos online, não encontrei respostas ou dados que pudessem iluminar o caminho desta demanda pela confirmação do sucesso tão apregoado. Não encontrei isso mas, encontrei outras coisas, passíveis de sugerir eventuais pistas. Ora vejamos: a média do número de empresas criadas no concelho, nos três anos que precederam a criação da Startup, foi de 92 novas empresas por ano. Para os três anos posteriores, foi de 82. Caso fosse numa sitcom, nesta altura ouvia-se a sonora gargalhada do público. Não. É na vida real.

Vender fruta podre como gourmet, de tão recorrente, enjoa. Nada mudou. Até percebo: se assim resulta… Para quê mudar?

Por ocasião de outro aniversário, o do Teatro Virgínia, a Câmara Municipal oferece à população um espectáculo musical gratuito. O que é óptimo. Assinala-se assim mais um ano, com o Café Concerto fechado. Pode ser que o público generalista que vai encher o concerto de aniversário se lembre que o público não generalista deixou de ter sítio para ir. Encerrado por motivos económicos (não é claro se da Câmara, se de terceiros), apodrece lentamente à semelhança de outros investimentos, aparentemente insustentáveis depois de construídos. Seguindo o exemplo emblemático da extinção do Museu Etnográfico, malfadadamente atravessado no caminho do progresso, cujo conteúdo apodreceu em parte incerta. O tal dinheiro que tem de ser gasto senão é devolvido? Dá nisto. A postura desta malta versus a vida real, traz-me à mente a frase de um poema do Rui Sidónio: “Fecho as pálpebras com a casa a arder”.

 


Fontes de dados: Município de Torres Novas, Jornal O Mirante, Jornal Rede Regional, Nersant.

 



 

 

 Outras notícias - Opinião


(des)esperança e lição da professora Natureza - maria augusta torcato »  2022-01-13  »  Maria Augusta Torcato

Cada ano novo traz consigo esperança e intenções. É talvez isso que contribui para que nós o sintamos como novo. É uma perceção, uma representação que está tão imbuída em nós e que, mesmo nos mais céticos e desesperançosos, alimenta uma pequenina, ténue e fugaz luz no nosso interior.
(ler mais...)


Que orçamentos, que políticas municipais para as exigências de hoje? - antónio gomes »  2022-01-13  »  António Gomes

Bem o sabemos, os orçamentos materializam políticas e estas devem reflectir as exigências das pessoas e reflectir os desafios do futuro mais ou menos próximo.

Se os orçamentos e os planos a quatro anos não responderem ao grande desafio das alterações climáticas, onde se inclui naturalmente, a menor disponibilidade de água ou a saturação de CO2 na atmosfera…

Se não responderem à falta de habitação digna, em particular para os mais jovens, se não tentarem pelo menos responder ao decréscimo de população, contrariando a grave crise demográfica…

Se o foco continuar a ser o apoio ao grande comércio em detrimento de toda uma rede de pequenos comerciantes por onde passa a base da vivência nos centros das cidades ou, se em termos de apoio à economia e ao emprego, se continuar a olhar apenas para o nosso umbigo em detrimento de um plano muito mais vasto que integre os concelhos vizinhos e tenha capacidade de atracção de investimentos….
(ler mais...)


LINDO, LINDO, É IR AO CURRAL DAS FREIRAS - josé alves pereira »  2022-01-13  »  José Alves Pereira

Na segunda metade dos anos 70 do pretérito século, comecei a ir à Madeira com alguma regularidade. Maior rigor será dizer ao Funchal. Estava em construção o conjunto designado por Casino Park Hotel, obra emblemática com os esboços e o traço inicial do arq.
(ler mais...)


De sua graça - carlos paiva »  2022-01-13  »  Carlos Paiva

Destacado ou disfarçado, por mais de uma vez incluí nestas crónicas a noção de que a medição do sucesso pelo número de aderentes significa zero na balança das boas decisões. O discernimento com maior profundidade raramente acontece dentro das maiorias.
(ler mais...)


O equívoco dos homens fortes - jorge carreira maia »  2022-01-13  »  Jorge Carreira Maia

A sociedade portuguesa, pouca habituada a uma conduta disciplinada, embasbacou com o Vice-Almirante Gouveia e Melo. Até aqui não vem mal ao mundo. Contudo, algumas declarações do novo chefe da Armada abrindo a possibilidade de se candidatar à Presidência da República podem trazer consigo um equívoco.
(ler mais...)


O que aí vem - inês vidal »  2021-12-26  »  Inês Vidal

Passámos o ano, festejámos em família, vivemos mais uma vaga, fechámo-nos em casa, voltámos ao estudo em casa, às síncronas e assíncronas. Vacinámos Portugal. Com o bom tempo largámos as máscaras, acreditámos que o sol teria voltado a brilhar.
(ler mais...)


Regionalização, Espírito do Tempo e a bílis de Rui Rio - jorge carreira maia »  2021-12-26  »  Jorge Carreira Maia

 

Regionalização. A regionalização é uma excelente ideia. O problema, porém, é que estamos em Portugal – e no sul da Europa – o que pode transformar uma coisa boa, num grande problema.
(ler mais...)


A um melhor ano. Eventualmente. - carlos paiva »  2021-12-26  »  Carlos Paiva

Típico da época, os balanços, as listas, as contas feitas. E, contas feitas, é demasiado deprimente picar a checkbox da desilusão. Os problemas que havia, são os que há, somando os que surgiram entretanto.
(ler mais...)


Os donos disto - pedro ferreira »  2021-12-10  »  Pedro Ferreira

Começo esta crónica por lembrar que ninguém diz algo apenas porque sim ou porque calhou. O nosso tempo é limitado e a atenção dos outros também. Sempre que falamos sobre algo, fazemo-lo pela necessidade de dizer x em vez de y ou do silêncio.
(ler mais...)


O som do silêncio - carlos paiva »  2021-12-10  »  Carlos Paiva

Poucos de nós têm a perceção da importância que o som tem nas nossas vidas. Não me refiro só à música, mas também. Os ouvidos não têm pálpebras que bloqueiem o som mediante comando, não têm íris que ajuste a intensidade mediante conveniência, o som está presente de forma permanente, quer queiramos quer não.
(ler mais...)

 Mais lidas - Opinião (últimos 30 dias)
»  2021-12-26  »  Inês Vidal O que aí vem - inês vidal
»  2021-12-26  »  Jorge Carreira Maia Regionalização, Espírito do Tempo e a bílis de Rui Rio - jorge carreira maia
»  2022-01-13  »  Jorge Carreira Maia O equívoco dos homens fortes - jorge carreira maia
»  2022-01-13  »  José Alves Pereira LINDO, LINDO, É IR AO CURRAL DAS FREIRAS - josé alves pereira
»  2022-01-13  »  Carlos Paiva De sua graça - carlos paiva