• SOCIEDADE-  • CULTURA  • DESPORTO  • OPINIÃO
  Domingo, 16 Junho 2024    •      Directora: Inês Vidal; Director-adjunto: João Carlos Lopes    •      Estatuto Editorial    •      História do JT
   Pesquisar...
Qua.
 22° / 15°
Céu nublado com chuva fraca
Ter.
 23° / 16°
Períodos nublados com chuva moderada
Seg.
 27° / 15°
Céu nublado com chuva fraca
Torres Novas
Hoje  26° / 13°
Períodos nublados
       #Alcanena    #Entroncamento    #Golega    #Barquinha    #Constancia 

Renova, que queres tu? - antónio gomes

Opinião  »  2024-05-25  »  António Gomes

Mais um ‘Dia da Espiga’, mais um dia de convívio na nascente do rio Almonda, mais um dia de intimidação e prepotência perpetrados pela empresa Renova.

O Ministério Público acabou de arquivar os processos movidos contra 12 cidadãos que o ano passado tiveram a “desfaçatez” de ir assinalar o Dia da Espiga, exactamente no mesmo local onde gerações anteriores sempre o fizeram.

Ainda o papel estava quente e o poder económico da Renova volta a utilizar o mesmo método que no ano passado, a intimidação, enviando uma patrulha da GNR para ver se a malta desmobiliza, o que não aconteceu e vai daí faz outro telefonema e repete “estão a invadir propriedade privada” e lá vai uma segunda patrulha, desta vez de outro posto, para serem mais incisivos e identificarem quem estava no convívio.

Esta empresa que coloca câmaras de vigilância viradas para o caminho público, que coloca uma vedação metálica entre o rio e o espaço de domínio público hídrico (10m a contar da margem), que comprou todos os terrenos que confinam com o rio, incluindo baldios, e que continua a tentar comprar o que ainda resiste, que construiu instalações sobre o leito do próprio rio, vem agora tentar acusar os visitantes da nascente de cometerem um crime de invasão de propriedade privada?

A Renova tem uma dívida enorme para com a população do concelho de Torres Novas, poluiu destruindo toda a vida existente no rio durante décadas (ninguém se vai esquecer das cores que o rio apresentava durante anos e anos), retira milhões de metros cúbicos de água pública por ano para a produção de papel a custo zero – quantas empresas não gostariam de ter acesso à sua matéria-prima de forma gratuita?

Uma empresa com este currículo deveria ter um pouco mais de humildade e respeito pela comunidade torrejana. Mas nem sequer esboça uma atitude de tolerância, de negociação, de boa vizinhança. Não: só conhece a intimidação e o medo.

O que quer a Renova?

A Renova quer expulsar o povo das proximidades da nascente do rio, quer uma nascente privada, só deles. Onde já se viu alguém ser dono de uma nascente de um rio? Antes do 25 de abril é que havia praias privadas, convém lembrar. Todos conhecemos as nascentes dos rios Alviela e Nabão, por acaso aqui bem perto, o que nos leva a refletir no que poderia ser aquele espaço, mesmo com a Renova a retirar toda a água que precisa para a sua produção.

A Câmara Municipal assiste a tudo isto de forma impávida e serena, como se não tivesse responsabilidades particulares em tudo isto, nem uma palavra de solidariedade para quem é alvo dos processos ou uma palavra de condenação dos atos intimidatórios que visam atingir toda uma população. A Câmara Municipal não consegue ter uma posição de independência face ao poder económico, como era o seu dever.

As pessoas vão continuar a visitar a nascente do rio, não vão abdicar desse direito e pretendem fazê-lo de forma livre e segura, sem câmaras de vigilância e sem intimidação. E, já agora, a GNR tem mais que fazer…

 

 

 Outras notícias - Opinião


Lições da História - acácio gouveia »  2024-06-13  »  Acácio Gouveia

“A História não se repete, mas rima por vezes”, Mark Twain

 Vinte e sete meses após o início da guerra na Ucrânia, temos generais e comentadores nos meios de comunicação social portugueses: (I) a justificar a legitimidade da invasão; (II) a profetizar a total e inelutável vitória de Putin; (III) e tentar convencer-nos que este assunto tem pouco ou nada a ver com Portugal e com os demais países europeus.
(ler mais...)


Do rescaldo da festa à realidade da Europa - antómio mário santos »  2024-06-11  »  António Mário Santos

Vivemos, na Europa, tempos difíceis. As eleições europeias, que se desenrolarão no próximo domingo, podem apontar para o fim da União Europeia como hoje a conhecemos. O avanço da extrema direita, racista e xenófoba, na maioria dos países europeus, veio ressuscitar o velho problema das nacionalidades e das suas fronteiras, dos impérios coloniais arrumados nos armários da história, da milenária contenda entre a ciência e a fé, da economia neoliberal assente no conceito do Estado-Nação e nos direitos fundamentais da cidadania democrática.
(ler mais...)


Nascente do Almonda: há outro caminho - jorge salgado simões »  2024-06-11  »  Jorge Salgado Simões

Tem sido difícil assistir a tudo o que se tem passado em torno da nascente do Almonda nos últimos anos, um conflito exacerbado por dois lados com interesses legítimos, mas incapazes de construir qualquer benefício para um património que todos dizem querer valorizar.
(ler mais...)


Teixeira de Queiroz e o mundo português - jorge carreira maia »  2024-06-11  »  Jorge Carreira Maia

Hoje desconhecido do grande público, Francisco Teixeira de Queiroz foi um dos grandes escritores portugueses dos finais do século XIX e inícios do século XX. A Imprensa Nacional começou, em 2020, a republicar as obras do escritor nascido em Arcos-de-Valdevez, que chegou a ser deputado e Ministro dos Negócios Estrangeiros na Primeira República.
(ler mais...)


Feiras sem estórias - carlos paiva »  2024-06-11  »  Carlos Paiva

Segundo pesquisa da TSF, em Portugal no ano de 2015, ocorreram 40 eventos no contexto de "feira medieval", ou similar relacionado com esta temática. Após uma pesquisa online breve, não sistematizada, para o ano de 2023, contei 86.
(ler mais...)


Agora, também às cegas - antónio gomes »  2024-06-11  »  António Gomes

A Assembleia Municipal de Torres Novas inaugurou um novo método de decisão. Até agora, acontecia de quando em vez, sem debate ou contraditório, apenas decidia porque as maiorias absolutas assim votavam, assumindo-se como travão ao debate e à transparência.
(ler mais...)


Gerações de traidores - acácio gouveia »  2024-05-25  »  Acácio Gouveia

“Antigamente, quando o vale do Kusun estava coberto de floresta, havia ali muitas martas-zibelinas. Agora é desértico.”

Vladimir Arseniev in ´Dersu Uzala

 As acções dos jovens activistas que protestam contra as alterações climatéricas estão na ordem do dia.
(ler mais...)


Reflexões sobre a posse da água - antónio mário santos »  2024-05-25  »  António Mário Santos

 

Passadas as comemorações do 50.º Aniversário do 25 de Abril, sobreveio a festa pagã da enunciação da Primavera, que a religião cristã transformou na 5ª feira da Ascensão de Cristo ao céu que é, nas cidades e vilas urbanas de significativo peso rural, feriado municipal.
(ler mais...)


O desafio à ordem liberal - jorge carreira maia »  2024-05-25  »  Jorge Carreira Maia

Assistimos, nos dias de hoje, ao maior desafio que, desde o fim da Segunda Guerra Mundial, foi colocado à cosmovisão liberal. Esta visão do mundo não diz respeito apenas à economia. Ela é, fundamentalmente, uma perspectiva assente nos direitos individuais e em regimes pluralistas.
(ler mais...)

 Mais lidas - Opinião (últimos 30 dias)
»  2024-05-25  »  Acácio Gouveia Gerações de traidores - acácio gouveia
»  2024-05-25  »  José Ricardo Costa Todos os Nomes - josé ricardo costa
»  2024-05-25  »  Jorge Carreira Maia O desafio à ordem liberal - jorge carreira maia
»  2024-06-13  »  Acácio Gouveia Lições da História - acácio gouveia
»  2024-05-25  »  António Mário Santos Reflexões sobre a posse da água - antónio mário santos