• SOCIEDADE-  • CULTURA  • DESPORTO  • OPINIÃO
  Sábado, 06 Junho 2020    |      Directora: Inês Vidal    |      Estatuto Editorial    |      História do JT
   Pesquisar...
Ter.
 27° / 13°
Céu limpo
Seg.
 26° / 12°
Céu limpo
Dom.
 22° / 14°
Períodos nublados
Torres Novas
Hoje  25° / 13°
Períodos nublados
       #Alcanena    #Entroncamento    #Golega    #Barquinha    #Constancia 

A transparência das águas

Opinião  »  2019-04-20  »  António Gomes

"Este sobe e desce, no mínimo, deixa qualquer pessoa atenta na maior das confusões"

Neste novo ano entrou em vigor um novo tarifário: pode-se mesmo dizer um novo e radical tarifário da empresa “Águas do Ribatejo”. A Águas do Ribatejo é uma empresa pública detida a 100% por 7 municípios do Ribatejo e que tem vindo a reerguer os sistemas de abastecimento de água e de saneamento que se encontravam na generalidade dos casos em péssimas condições.

Dito isto, vamos ao tarifário: o aumento geral situou-se nos 6%. Na limpeza de fossas, tarifa variável, sem rede de saneamento o aumento é de 58%/m3 e nas zonas com rede de saneamento é de 25%. Para além destes desmesurados aumentos, os valores deveriam ser em sentido contrario, de forma a que quem tem acesso à rede seja coagido a fazer a respetiva ligação, que é para isso que se investe na rede de saneamento. Mas não, o maior aumento recaiu sobre quem não tem a alternativa da ligação à rede.

No preço da água, tarifa variável, o primeiro escalão subiu 4,3%, o segundo 10,6%, o terceiro 4,3 e o quarto 10%: deve ser dada uma explicação. Na tarifa fixa da água, domésticos, o 1º escalão subiu 19,8% 2º desceu 29%, o 3º desceu 64%, os três seguintes sobem entre 4 e 5% e o ultimo subiu 43%. Deve haver uma explicação para isto, mas nós, consumidores, não entendemos. Na tarifa fixa dos não domésticos, o 1º desce 15%, os três seguintes sobem entre 4 e 5%, o ultimo sobe 43% - deve haver uma explicação para isto. No saneamento, tarifa variável, os três primeiros escalões sobem entre 10 e 27% e o ultimo fica na mesma, porquê? No saneamento, quanto à tarifa fixa, domésticos, todos os escalões ficam com o mesmo valor, 2.8770 euros, para tal o 1º escalão, o dos mais pobres, sobe 14.3% e o último desce 1700%, (mil e setecentos, não é engano): deve haver uma explicação para isto. Saneamento, a tarifa fixa dos não domésticos, o 1º escalão desce quase 34%, os restantes sobem cerca de 10%, deve haver uma explicação para isto. No escalão único das autarquias, a subida é de 27%, assim como nas instituições sem fins lucrativos.

Este sobe e desce, no mínimo, deixa qualquer pessoa atenta na maior das confusões, quanto mais a generalidade dos consumidores. Esta alteração no tarifário, até hoje por explicar, é de facto uma revolução, e como tal, deveria ter levado os responsáveis da empresa a justificar o acontecido, a justificar aos autarcas e principalmente aos consumidores.

O rigor e a transparência devem sempre andar de mãos dadas e em particular nas empresas públicas. Com transparência, a democracia fica mais forte e as empresas públicas melhor defendidas.

 

 

 Outras notícias - Opinião


Serviço público »  2020-05-27  »  Jorge Carreira Maia

Há acontecimentos que têm um efeito revelador da natureza de certas posições políticas. A actual pandemia é um desses casos. O que teria acontecido aos portugueses se o país tivesse seguido aquilo que certos grupos sociais e políticos advogam relativamente à privatização da saúde e da educação? Esta pergunta deveria assombrar, como se fora um fantasma, cada um de nós.
(ler mais...)


Uma oportunidade aos mercados locais - antónio gomes »  2020-05-26  »  António Gomes

A actual situação de pandemia veio alterar em muitos aspectos o nosso modo de vida, na escola, no trabalho, na ocupação do tempo, no relacionamento social, nas compras, etc.
Vamos esperar que o combate ao corona vírus tenha sucesso e que voltemos a uma certa normalidade.
(ler mais...)


Agora era a cores - joão carlos lopes »  2020-05-25  »  João Carlos Lopes

A tabacaria Central era uma grande casa, três andares com centenas de produtos: papeis, livros, canetas, brinquedos, jogos, carrinhos de miniatura, um nunca mais acabar de coisas que nos enchiam os olhos em tantas salas, escadarias e corredores forrados de novidades.
(ler mais...)


NÃO DEIXEMOS CONFINAR A LIBERDADE! - josé alves pereira »  2020-05-25  »  José Alves Pereira


Em política, os homens foram sempre e serão sempre ingenuamente enganados pelos outros e por si próprios, enquanto não aprenderem a discernir, por detrás das frases, das declarações e das promessas morais, religiosas, políticas e sociais, os interesses destas ou daquelas classes.
(ler mais...)


FOTO (QUASE COMO O CINEMA) PARAÍSO - josé mota pereira »  2020-05-25  »  José Mota Pereira

A notícia surgiu pelo facebook.
Cumprindo o ciclo da vida, noticiou-se o encerramento da Fotocor. Quem é de Torres Novas, sabe do que falo. Em Torres Novas, toda a gente conhece a Fotocor. Porque a Fotocor foi mais que um estabelecimento comercial.
(ler mais...)


Sinais de Fogo - rui anastácio »  2020-05-25  »  Rui Anastácio

Por vezes, penso que Portugal é uma obra-prima inacabada, tal como o romance “Sinais de Fogo”, de Jorge de Sena.
Portugal é um país maravilhoso com um povo também, razoavelmente maravilhoso. Um povo com uma enorme sabedoria, mas desconfiado e invejoso por natureza.
(ler mais...)


A Igreja e a pandemia em Portugal »  2020-05-09  »  Jorge Carreira Maia

Em todo o processo ligado à pandemia provocada pelo coronavírus, a Igreja Católica em geral, e a portuguesa em particular, teve uma atitude que merece louvor. A Igreja portuguesa, e é nela que centro este artigo, mostrou que não é apenas uma instituição guardiã da fé e tradição apostólicas, mas ainda um factor de razoabilidade dos comportamentos sociais, exercendo uma influência muito importante na atitude de muitos portugueses, o que ajudou a minimizar os efeitos da pandemia.
(ler mais...)


Pela janela, por Inês Vidal »  2020-05-09  »  Inês Vidal

Comprei um bilhete de avião para ir visitar o meu primo João, que está na Suécia, por alturas do casamento dele, em Abril. Crescemos juntos, apesar da diferença de idades. Queria dar-lhe um abraço, desejar-lhe que fosse feliz - comigo aqui relativamente perto, de preferência - ao mesmo tempo que nos perguntaria como é que era possível estarmos ali, se ainda no outro dia andei com ele ao colo.
(ler mais...)


2 beijos »  2020-05-09  »  Rui Anastácio

Peúgas escuras, peúgas brancas, peúgas escuras. Um beijo, 2 beijos, um beijo vs 2 beijos.
Tinha três anos no dia 25 de Abril de 1974.

Sou um amante da liberdade e um amante incondicional da liberdade de expressão.
(ler mais...)


25 de Abril Nunca Mais! »  2020-05-09  »  José Ricardo Costa

Sempre que o calendário faz regressar o 25 de Abril, é também o clássico “25 de Abril sempre!” que regressa. A frase é bonita e voluntariosa mas tem um problema: não dá que o 25 de Abril seja para sempre.
(ler mais...)

 Mais lidas - Opinião (últimos 30 dias)
»  2020-05-09  »  Rui Anastácio 2 beijos
»  2020-05-25  »  João Carlos Lopes Agora era a cores - joão carlos lopes
»  2020-05-09  »  Inês Vidal Pela janela, por Inês Vidal
»  2020-05-09  »  Jorge Carreira Maia A Igreja e a pandemia em Portugal
»  2020-05-27  »  Jorge Carreira Maia Serviço público