• SOCIEDADE-  • CULTURA  • DESPORTO  • OPINIÃO
  Terça, 28 Maio 2024    •      Directora: Inês Vidal; Director-adjunto: João Carlos Lopes    •      Estatuto Editorial    •      História do JT
   Pesquisar...
Sex.
 37° / 18°
Céu limpo
Qui.
 34° / 15°
Céu limpo
Qua.
 31° / 14°
Céu limpo
Torres Novas
Hoje  31° / 13°
Períodos nublados
       #Alcanena    #Entroncamento    #Golega    #Barquinha    #Constancia 

Avivar a memória - antónio gomes

Opinião  »  2024-02-22  »  António Gomes

"“Os comboios são o futuro, todos o dizem, mas alguns só caminharão nesse sentido se a isso forem obrigados"

Há dias atrás, no âmbito da pré-campanha eleitoral, visitei o lugar onde passei a maior parte da minha vida (47 anos), as oficinas da CP no Entroncamento.

Não que tivesse saudades, mas o espaço, o cheiro e acima de tudo a oportunidade de rever alguns companheiros que ainda por lá se encontram, que ainda lá continuam a vender a sua força de trabalho, foi uma boa recompensa. Há gente nova, felizmente. O número de trabalhadores é diminuto face aquilo que foi em tempos, a exigência de mão de obra na manutenção e reparação dos comboios é menor, a fiabilidade e durabilidade dos materiais e das tecnologias utilizadas são hoje incomparavelmente maiores.

A peso da despesa com recursos humanos afectos à manutenção e reparação dos comboios nas contas da empresa é hoje consideravelmente menor, desde logo pelo menor número de trabalhadores, mas também pelos baixos salários praticados. O início de carreira está pouco acima do salário mínimo nacional e o salário médio tem baixado consideravelmente, o que leva à saída de trabalhadores especializados para outras paragens como é o caso, por exemplo, do METRO em Lisboa.

Outros casos vieram à conversa, como a greve realizada em 7 de Dezembro de 1973, a primeira em que participei no mundo do trabalho, tinha tido outra experiência na escola enquanto estudante. A greve de 7 de Dezembro visou a injustiça nos salários, a miséria dos salários a que o fascismo submetia os trabalhadores. O salário que auferia na altura era de 2500 escudos, se traduzidos para euros daria a módica quantia de 12.5 euros.

O tempo da Troika foi outro que passámos em revista, foram anos e anos sem aumento de salários, foram anos de corte nas férias e no subsídio, no 13º mês, foram os cortes nas horas extraordinárias e no subsídio de doença, foram os cortes nos feriados, foi o imposto adicional no IRS, foi a escandalosa subida dos impostos como o IVA em vários produtos, foi a privatização da CP Carga e a quase privatização da EMEF, ficaram a faltar algumas semanas ao Governo de Passos Coelho/Luis Montenegro para a coisa se concretizar e foi o fim dos passes dos ferroviários que permitia a estes viajar gratuitamente nos comboios onde, ou trabalharam toda a vida ou ainda lá trabalhavam - até este direito com mais de 100 anos tiveram o desplante de acabar.

Hoje, este direito foi reposto graças à tenaz luta que ferroviários e familiares desenvolveram, (muitas greves e muitos cortes de linha), mas também fruto da conjuntura política que se seguiu, o que ficou conhecido como “geringonça”.

Às vezes, querem que acreditemos que foi tudo culpa da troika. Não, não esqueçamos que o objetivo era mostrar “que podemos ir além da troika”. E, já agora, o que é que a troika teve a ver com a retirada dos passes aos ferroviários? Não teve a ver com dinheiro, teve a ver com vingança, vingança em relação aos direitos e conquistas dos trabalhadores, havia que reduzir direitos.

Os comboios são o futuro, todos o dizem, mas alguns só caminharão nesse sentido se a isso forem obrigados. Os salários dignos têm de fazer parte desse futuro e os contratos assinados por Pedro Nuno Santos na ferrovia não contemplaram os salários dignos. Esperamos mais do futuro!

 



 

 

 Outras notícias - Opinião


Gerações de traidores - acácio gouveia »  2024-05-25  »  Acácio Gouveia

“Antigamente, quando o vale do Kusun estava coberto de floresta, havia ali muitas martas-zibelinas. Agora é desértico.”

Vladimir Arseniev in ´Dersu Uzala

 As acções dos jovens activistas que protestam contra as alterações climatéricas estão na ordem do dia.
(ler mais...)


Renova, que queres tu? - antónio gomes »  2024-05-25  »  António Gomes

Mais um ‘Dia da Espiga’, mais um dia de convívio na nascente do rio Almonda, mais um dia de intimidação e prepotência perpetrados pela empresa Renova.

O Ministério Público acabou de arquivar os processos movidos contra 12 cidadãos que o ano passado tiveram a “desfaçatez” de ir assinalar o Dia da Espiga, exactamente no mesmo local onde gerações anteriores sempre o fizeram.
(ler mais...)


Reflexões sobre a posse da água - antónio mário santos »  2024-05-25  »  António Mário Santos

 

Passadas as comemorações do 50.º Aniversário do 25 de Abril, sobreveio a festa pagã da enunciação da Primavera, que a religião cristã transformou na 5ª feira da Ascensão de Cristo ao céu que é, nas cidades e vilas urbanas de significativo peso rural, feriado municipal.
(ler mais...)


O desafio à ordem liberal - jorge carreira maia »  2024-05-25  »  Jorge Carreira Maia

Assistimos, nos dias de hoje, ao maior desafio que, desde o fim da Segunda Guerra Mundial, foi colocado à cosmovisão liberal. Esta visão do mundo não diz respeito apenas à economia. Ela é, fundamentalmente, uma perspectiva assente nos direitos individuais e em regimes pluralistas.
(ler mais...)


Todos os Nomes - josé ricardo costa »  2024-05-25  »  José Ricardo Costa

O tamanho importa? Bom, se nalguns campos as opiniões se dividem, outros há que são consensuais, como o tamanho dos nomes de pessoas. Importa, sim, desde logo na Roma Antiga: enquanto um homem podia ter três nomes, a mulher só tinha direito a um, ainda por cima variante do nome do pai (Hortênsia seria filha de Hortensius).
(ler mais...)


Insana Casa… »  2024-05-06  »  Hélder Dias

25 de Abril e 25 de Novembro - jorge carreira maia »  2024-05-05  »  Jorge Carreira Maia

Por que razão a França só comemora o 14 de Julho, o início da Revolução Francesa, e não o 27 ou 28 de Julho? O que aconteceu a 27 ou 28 de Julho de tão importante? A 27 de Julho de 1794, Maximilien Robespierre foi preso e a 28, sem julgamento, foi executado.
(ler mais...)


O miúdo vai à frente »  2024-04-25  »  Hélder Dias

Família tradicional e luta do bem contra o mal - jorge carreira maia »  2024-04-24  »  Jorge Carreira Maia

A publicação do livro Identidade e Família – Entre a Consistência da Tradição e os Desafios da Modernidade, apresentado por Passos Coelho, gerou uma inusitada efervescência, o que foi uma vitória para os organizadores desta obra colectiva.
(ler mais...)


Caminho de Abril - maria augusta torcato »  2024-04-22  »  Maria Augusta Torcato

Olho para o meu caminho e fico contente. Acho mesmo que fiz o caminho de Abril. O caminho que Abril representa. No entanto, a realidade atual e os desafios diários levam-me a desejar muito que este caminho não seja esquecido, não por querer que ele se repita, mas para não nos darmos conta, quase sem tempo de manteiga nos dentes, que estamos, outra vez, lá muito atrás e há que fazer de novo o caminho com tudo o que isso implica e que hoje seria incompreensível e inaceitável.
(ler mais...)

 Mais lidas - Opinião (últimos 30 dias)
»  2024-05-06  »  Hélder Dias Insana Casa…
»  2024-05-05  »  Jorge Carreira Maia 25 de Abril e 25 de Novembro - jorge carreira maia
»  2024-05-25  »  José Ricardo Costa Todos os Nomes - josé ricardo costa
»  2024-05-25  »  Acácio Gouveia Gerações de traidores - acácio gouveia
»  2024-05-25  »  Jorge Carreira Maia O desafio à ordem liberal - jorge carreira maia