• SOCIEDADE-  • CULTURA  • DESPORTO  • OPINIÃO
  Domingo, 17 Janeiro 2021    |      Directora: Inês Vidal    |      Estatuto Editorial    |      História do JT
   Pesquisar...
Qua.
 15° / 10°
Céu nublado com chuva moderada
Ter.
 14° / 2°
Céu muito nublado com chuva fraca
Seg.
 14° / 1°
Céu limpo
Torres Novas
Hoje  15° / 1°
Céu limpo
       #Alcanena    #Entroncamento    #Golega    #Barquinha    #Constancia 

Democracia e representatividade - mariana varela

Opinião  »  2020-09-12  »  Mariana Varela

"Os partidos políticos são ferramentas de representação política, que pretendem alcançar o poder político ou influenciar o seu exercício"

A democracia é, essencialmente, um sistema político que assenta na soberania popular, isto é, um regime em que a legitimidade do poder político emana do povo. Definir ou explicar a noção de democracia não é difícil. Porém, o grau de dificuldade tende a aumentar quando passamos para o momento em que esta é colocada em prática. A primeira e a mais simples forma de democracia foi a que vigorou na Grécia Antiga: a democracia direta. A participação política popular era exercida de forma direta e presencial, os cidadãos envolviam-se ativamente no cenário político, propondo e votando propostas alheias e não existia qualquer tipo de ato eleitoral. A comunidade reunia-se para debater, para tomar decisões que a todos diziam respeito, para criar e alterar legislação, para pensar a vida conjunta e o espaço partilhado. Este tipo de democracia, ainda que pareça o mais correto, justo e realmente democrático, foi inviabilizado, ao longo do tempo, pela progressiva expansão dos territórios geográficos e pelo aumento do número de cidadãos, uma vez que seria impossível reunir regularmente com todos os membros de uma comunidade. A par da democracia direta, foram surgindo outros tipos de regimes democráticos, como é o caso da democracia representativa (ou democracia indireta) e da democracia participativa. Sendo o tipo de regime democrático mais comum na atualidade, a construção teórica de democracia representativa caracteriza-se, obviamente, pela soberania popular, mas também pelo sufrágio universal, através do qual se elegem representantes do povo. Estes representantes vêm a sua atuação limitada por uma Constituição, que consagra o Estado de direito democrático, tal como indica o disposto no Artigo 2.º da Constituição da República Portuguesa. É verdade que, atualmente, este é o tipo de democracia mais viável e exequível, mas há que constatar que ele é também o principal potenciador da atividade política pautada por interesses privados e não públicos. Analisemos, então, a democracia participativa, esta que se apresenta como uma mistura equilibrada entre a democracia direta e indireta, uma vez que existem eleições, mas estas não são o único momento em que os cidadãos participam na vida política. Pelo contrário, o acesso direto à tomada de decisões políticas é permanente e não periódico, colocando-se a população num papel de protagonismo. Dito isto, importa referir que a democracia representativa, aquela que experienciamos em Portugal, tem como principal objetivo o de dar, ao povo, acesso indireto às decisões políticas, através dos seus representantes, devendo estes últimos atuar em nome da população, porque esta lhe dá autoridade para tal através do ato eleitoral. Assim, os partidos políticos são ferramentas de representação política, que pretendem alcançar o poder político ou influenciar o seu exercício. Numa era de descrença pela política, de afastamento dos cidadãos da atuação política e da captura do interesse público pelo interesse privado, fatores motivados pelas fragilidades notórias da democracia representativa, urge relembrar que a democracia representativa deve ser uma forma de superar a impossibilidade de concretizar, no presente, a democracia direta, e jamais uma forma de deturpar ou fugir da mesma. Que nunca nos esqueçamos que o aprofundamento da democracia participativa, tal como refere o conteúdo do Artigo 2.º da CRP, é um dos principais fins do Estado de direito democrático e que a soberania, “una e indivisível”, reside no povo.

 

 

 Outras notícias - Opinião


O TGV, o Ribatejo e o futuro das regiões - joão carlos lopes »  2021-01-12  »  João Carlos Lopes

Foi paradigmático o facto de, aquando da confirmação (pela enésima vez) da intenção do Governo em avançar com o TGV Lisboa/Porto, as únicas críticas, reparos ou protestos de autarcas da região terem tido por base a habitual choraminga do “também queremos o comboio ao pé da porta”.
(ler mais...)


Peixoto - rui anastácio »  2021-01-10  »  Rui Anastácio

Há uns meses, em circunstâncias que não vêm ao caso, tive o prazer de privar com José Luís Peixoto e a sua mulher, Patrícia Pinto. Foram dias muito agradáveis em que fiquei a conhecer um pouco da pessoa que está por trás do escritor.
(ler mais...)


A Pilhagem - josé ricardo costa »  2021-01-10  »  José Ricardo Costa

Podemos dizer que um jogo de futebol sem público ou vida sem música é como um jardim sem flores. Não que um jardim sem flores deixe de ser um jardim. Acontece que, como no jogo de futebol, fica melhor se as tiver. Já se for uma sopa de feijão com couves que não tenha couves, a comparação com o jardim sem flores não funciona, pela singela razão de que uma sopa de feijão com couves que não tenha couves, sendo ainda sopa, sopa de feijão com couves não é de certeza.
(ler mais...)


DAR VOZ AO TRABALHO - josé mota pereira »  2021-01-10  »  José Mota Pereira

Entrados na terceira década do século XXI, o Mundo dos humanos permanece o lugar povoado das injustiças, da desigualdade e do domínio de uns sobre os outros. Não é a mudança dos calendários que nos muda a vida.
(ler mais...)


Uma visita à direita nacional - jorge carreira maia »  2021-01-10  »  Jorge Carreira Maia

A sondagem da Aximage, para o DN/JN/TSF, referente ao mês de Dezembro, dá ao CDS uns miseráveis 0,3%. Os partidos também morrem e o CDS está moribundo. Teve um importante papel na transição à democracia e, também, na vida democrática institucionalizada.
(ler mais...)


Coltur… Quoltur… Coultur… Hábito - carlos paiva »  2021-01-10  »  Carlos Paiva

A arte pode dividir-se em dois grandes grupos. A arte comercial e a arte não comercial. A não comercial, por se reger pela criatividade, originalidade, inovação, profundidade, talento e virtuosismo, acaba por ser a produtora de matéria-prima para a arte comercial, regida essa pelas leis de mercado.
(ler mais...)


Resíduos urbanos - antónio gomes »  2021-01-10  »  António Gomes

O sector dos resíduos sólidos urbanos esteve recentemente na agenda mediática devido à revolta das populações que vivem perto dos aterros onde são depositados, pois assistem à constante degradação da sua qualidade de vida.
(ler mais...)


Como serás tu, 2021? - anabela santos »  2021-01-10  »  AnabelaSantos

 

O nosso maior desejo era fechar a porta a 2020 e abrir, com toda a esperança, a janela a 2021. E assim foi. Com música, alegria, festarola e fogo de artifício, tudo com peso e medida, pois havia regras a cumprir.
(ler mais...)


2021: uma vida que afaste a morte - inês vidal »  2021-01-10  »  Inês Vidal

Finalmente 2021. Depois de um ano em que mais do que vivermos, fomos meros espectadores, fantoches num autêntico teatro de sombras, com passos e passeatas manipulados por entre margens e manobras de cordelinhos, chegámos a 2021. E chegámos, como em qualquer ano novo, com vontade de mudar, de fazer planos, resoluções que acabaremos por abandonar antes do Carnaval.
(ler mais...)


2020, um ano para esquecer? - jorge carreira maia »  2020-12-20  »  Jorge Carreira Maia

O ano de 2020 não foi fácil. A pandemia desestruturou os nossos hábitos e começou a desfazer a relação tradicional que tínhamos com a vida. Introduziu a incerteza nas decisões, o medo nos comportamentos, o afastamento entre pessoas.
(ler mais...)

 Mais lidas - Opinião (últimos 30 dias)
»  2020-12-19  »  Inês Vidal Paul do Boquilobo - Inês Vidal
»  2021-01-12  »  João Carlos Lopes O TGV, o Ribatejo e o futuro das regiões - joão carlos lopes
»  2020-12-20  »  Jorge Carreira Maia 2020, um ano para esquecer? - jorge carreira maia
»  2021-01-10  »  Inês Vidal 2021: uma vida que afaste a morte - inês vidal
»  2021-01-10  »  Jorge Carreira Maia Uma visita à direita nacional - jorge carreira maia