• SOCIEDADE-  • CULTURA  • DESPORTO  • OPINIÃO
  Terça, 28 Maio 2024    •      Directora: Inês Vidal; Director-adjunto: João Carlos Lopes    •      Estatuto Editorial    •      História do JT
   Pesquisar...
Sex.
 37° / 18°
Céu limpo
Qui.
 34° / 15°
Céu limpo
Qua.
 31° / 14°
Céu limpo
Torres Novas
Hoje  31° / 13°
Períodos nublados
       #Alcanena    #Entroncamento    #Golega    #Barquinha    #Constancia 

O ano de todos os perigos

Opinião  »  2023-12-18  »  Jorge Carreira Maia

" Vamos sair de 2023 num cenário péssimo, mas o que se prefigura para 2024 é pior"

 

Começámos 2023, com uma guerra no nosso espaço geopolítico, mas com uma tomada de consciência de muitos países da União Europeia de que as melindrosas questões de defesa devem ser levadas muito a sério. Nessa hora, os EUA estavam firmemente empenhados no apoio à Ucrânia. Internamente, tínhamos um governo com maioria absoluta e um Presidente da República com apoio popular. Vamos chegar a 2024, com duas guerras no nosso espaço geopolítico. As divisões na União Europeia no apoio à Ucrânia estão a enfraquecer tanto a Ucrânia como a própria União Europeia. Também os EUA estão manietados, pelas suas instituições, no apoio à Ucrânia. Em Portugal, a Assembleia da República foi dissolvida e o Presidente está sob fogo justicialista.

 Vamos sair de 2023 num cenário péssimo, mas o que se prefigura para 2024 é pior. A nível interno, as novas eleições têm grande possibilidade de trazer instabilidade política, com um governo centrado no PSD, mas submetido aos delíquios da Iniciativa Liberal e à berraria justicialista do Chega. Será muito difícil que uma geringonça de direita seja tão inócua para o regime como foi a de esquerda. A haver uma geringonça de direita, dificilmente a postura equilibrada do PSD, resultante de um jogo entre a sua tradição liberal-conservadora e a sua pretensão social-democrata, o que seria uma boa resposta para a actual situação, terá qualquer possibilidade de ser mantida. Tanto a IL como o Chega são partidos maximalistas, que querem subverter o regime, embora com perspectivas diferentes. Caso mantenham as posturas ideológicas actuais, serão fonte de grande instabilidade ou acabarão por subjugar o PSD aos seus devaneios ideológicos.

 O pior, todavia, pode nem chegar de Portugal. Não é impossível que a situação do Médio Oriente se deteriore e o conflito, ainda contido em Gaza, possa alastrar de forma consistente para outras zonas. No entanto, será dos EUA que poderão vir as piores notícias, com a eleição de Donald Trump. Nesse momento, não apenas a Ucrânia terá poucas hipóteses de vencer a guerra, como corre o risco de desaparecer como país independente. A Aliança Atlântica poderá entrar em colapso e a Europa ficará completamente desprotegida e sem capacidade de enfrentar os perigos a que a exporá a desarticulação da NATO. A isto deve somar-se o fim da crença de que as guerras para conquista territorial eram coisa do passado ou de países atrasados. Não será inverosímil ver eclodir conflitos que, em contradição com o direito internacional, tenham por objectivo conquistar território e submeter povos ao jugo de outros. 2024 é o ano de todos os perigos.

 

 

 Outras notícias - Opinião


Gerações de traidores - acácio gouveia »  2024-05-25  »  Acácio Gouveia

“Antigamente, quando o vale do Kusun estava coberto de floresta, havia ali muitas martas-zibelinas. Agora é desértico.”

Vladimir Arseniev in ´Dersu Uzala

 As acções dos jovens activistas que protestam contra as alterações climatéricas estão na ordem do dia.
(ler mais...)


Renova, que queres tu? - antónio gomes »  2024-05-25  »  António Gomes

Mais um ‘Dia da Espiga’, mais um dia de convívio na nascente do rio Almonda, mais um dia de intimidação e prepotência perpetrados pela empresa Renova.

O Ministério Público acabou de arquivar os processos movidos contra 12 cidadãos que o ano passado tiveram a “desfaçatez” de ir assinalar o Dia da Espiga, exactamente no mesmo local onde gerações anteriores sempre o fizeram.
(ler mais...)


Reflexões sobre a posse da água - antónio mário santos »  2024-05-25  »  António Mário Santos

 

Passadas as comemorações do 50.º Aniversário do 25 de Abril, sobreveio a festa pagã da enunciação da Primavera, que a religião cristã transformou na 5ª feira da Ascensão de Cristo ao céu que é, nas cidades e vilas urbanas de significativo peso rural, feriado municipal.
(ler mais...)


O desafio à ordem liberal - jorge carreira maia »  2024-05-25  »  Jorge Carreira Maia

Assistimos, nos dias de hoje, ao maior desafio que, desde o fim da Segunda Guerra Mundial, foi colocado à cosmovisão liberal. Esta visão do mundo não diz respeito apenas à economia. Ela é, fundamentalmente, uma perspectiva assente nos direitos individuais e em regimes pluralistas.
(ler mais...)


Todos os Nomes - josé ricardo costa »  2024-05-25  »  José Ricardo Costa

O tamanho importa? Bom, se nalguns campos as opiniões se dividem, outros há que são consensuais, como o tamanho dos nomes de pessoas. Importa, sim, desde logo na Roma Antiga: enquanto um homem podia ter três nomes, a mulher só tinha direito a um, ainda por cima variante do nome do pai (Hortênsia seria filha de Hortensius).
(ler mais...)


Insana Casa… »  2024-05-06  »  Hélder Dias

25 de Abril e 25 de Novembro - jorge carreira maia »  2024-05-05  »  Jorge Carreira Maia

Por que razão a França só comemora o 14 de Julho, o início da Revolução Francesa, e não o 27 ou 28 de Julho? O que aconteceu a 27 ou 28 de Julho de tão importante? A 27 de Julho de 1794, Maximilien Robespierre foi preso e a 28, sem julgamento, foi executado.
(ler mais...)


O miúdo vai à frente »  2024-04-25  »  Hélder Dias

Família tradicional e luta do bem contra o mal - jorge carreira maia »  2024-04-24  »  Jorge Carreira Maia

A publicação do livro Identidade e Família – Entre a Consistência da Tradição e os Desafios da Modernidade, apresentado por Passos Coelho, gerou uma inusitada efervescência, o que foi uma vitória para os organizadores desta obra colectiva.
(ler mais...)


Caminho de Abril - maria augusta torcato »  2024-04-22  »  Maria Augusta Torcato

Olho para o meu caminho e fico contente. Acho mesmo que fiz o caminho de Abril. O caminho que Abril representa. No entanto, a realidade atual e os desafios diários levam-me a desejar muito que este caminho não seja esquecido, não por querer que ele se repita, mas para não nos darmos conta, quase sem tempo de manteiga nos dentes, que estamos, outra vez, lá muito atrás e há que fazer de novo o caminho com tudo o que isso implica e que hoje seria incompreensível e inaceitável.
(ler mais...)

 Mais lidas - Opinião (últimos 30 dias)
»  2024-05-06  »  Hélder Dias Insana Casa…
»  2024-05-05  »  Jorge Carreira Maia 25 de Abril e 25 de Novembro - jorge carreira maia
»  2024-05-25  »  José Ricardo Costa Todos os Nomes - josé ricardo costa
»  2024-05-25  »  Acácio Gouveia Gerações de traidores - acácio gouveia
»  2024-05-25  »  Jorge Carreira Maia O desafio à ordem liberal - jorge carreira maia