• SOCIEDADE-  • CULTURA  • DESPORTO  • OPINIÃO
  Sábado, 19 Setembro 2020    |      Directora: Inês Vidal    |      Estatuto Editorial    |      História do JT
   Pesquisar...
Ter.
 26° / 16°
Céu nublado com chuva fraca
Seg.
 26° / 14°
Períodos nublados
Dom.
 25° / 17°
Céu nublado com chuva fraca
Torres Novas
Hoje  24° / 16°
Períodos nublados com chuva fraca
       #Alcanena    #Entroncamento    #Golega    #Barquinha    #Constancia 

6. O Partido Republicano em Alcanena (1907-1908)

Opinião  »  2015-02-26  »  Gabriel Feitor

Nacional

Em Março de 1907 é decretado o início da greve académica em Coimbra, com a reprovação do candidato a Doutor José Eugénio Dias Ferreira, que em Janeiro, aderira ao PRP. A acção política de João Franco em relação à Universidade e a gradual influência republicana no meio académico, radicaliza a situação. Em 11 de Abril é aprovada uma lei de imprensa, cujo objectivo era conter os ataques dos republicanos e da dissidência progressista. Com o apoio de D. Carlos I, João Franco, em Maio, dissolve o parlamento sem marcar novas eleições, começando a governar à turca. A 27, é realizado um comício republicano em Lisboa, com a destacada presença de importantes figuras monárquicas. Subsequentemente, são dissolvidos os vários órgãos de administração local, como as câmaras municipais e juntas de paróquia, sendo substituídas por comissões administrativas. A censura à imprensa vai apertando, e no início de 1908, são presos vários dirigentes republicanos implicados numa conspiração para derrubar o regime: França Borges, João Chagas, Alfredo Leal, Vítor de Sousa, António José de Almeida e Luz de Almeida. No mesmo instante, sai a lume o Manifesto do Directório Republicano, em que se assumia ser importante «suprimir as opressões e não os homens do regime». A oposição ao Governo crescia, não só dentro do seio do PRP, como também da Maçonaria, da Carbonária e, até, dos partidos rotativistas da Monarquia Constitucional. Após a prisão dos aludidos dirigentes, Afonso Costa, José Maria de Alpoim, Ribeira Brava e Egas Moniz tomam o comando. A tentativa de golpe gorou, tendo sido detidos os seus conspiradores à excepção de Alpoim, que refugia-se e, em seguida, exila-se em Espanha. É intensificada a repressão, e a 31 de Janeiro é aprovado um decreto que previa a expulsão do país ou a deportação para as colónias de quem conspirasse contra a segurança do Estado. A 1 de Fevereiro dá-se o Regicídio, com a morte de D. Carlos e do seu filho D. Luís.

 

Local

Em 1907, o escultor Simões de Almeida (sobrinho), figura ligada aos quadros republicanos, muda-se para Alcanena. No comício republicano desse ano, o concelho de Torres Novas é representado por Augusto dos Santos Trincão, residente em Alcanena.1 Em 15 de Novembro, na sessão da Comissão Municipal Republicana, o directório composto por José Soares Isaac, António Namorado e Arnaldo de Carvalho, denuncia o «abandono» em que alguns membros deixaram a referida comissão, nomeadamente António Vassalo, Salles Vellez, João da Silva Costa e José Estevão Queiroz. Queiroz, na mesma sessão, é referido como um «trabalhador incansável pela causa da República, e desculpável por fazer parte da Comissão Paroquial de Alcanena, onde tem prestado grandes serviços».2 Por essa altura abre em Alcanena o Centro Escolar Republicano Dr. Anselmo Xavier, que em Dezembro, pela mão de Simões de Almeida, começa a leccionar português, francês e escrituração comercial.3 Atente-se que a figura do centro político formalmente como Centro Republicano Dr. Anselmo Xavier só iria surgir mais tarde. Entretanto, o notário Joaquim Albino da Silveira – moderado e mais tarde unionista –, é substituído na direcção do periódico O Povo de Alcanena. O jornal radicaliza-se, e em 13 de Fevereiro é suspenso, devido à sua posição perante o Regicídio. (Continua no próximo número).

?

1 Jornal Torrejano, nº1:177, 2 de Maio de 1907.

2 Jornal Torrejano, nº1:206, 21 de Novembro de 1907.

3 Almanaque Republicano.

 

 

 Outras notícias - Opinião


A mesa - rui anastácio »  2020-09-12  »  Rui Anastácio

Tenho um certo fascínio por mesas. Ao longo da minha vida já mandei fazer algumas. Quase sempre mesas grandes e robustas. Onde se possam sentar muitas pessoas. Onde se possa beber um bom vinho, comer muito, conversar muito, discutir muito, praguejar, gritar, lutar por ideias e ideais.
(ler mais...)


Aventurazinha no Comboio Fantasma - miguel sentieiro »  2020-09-12  »  Miguel Sentieiro

Hoje apetece-me escrever uma história baseada em factos verídicos com algumas notas ficcionadas para se conseguir tornar a narrativa menos densa e nauseabunda. Um indivíduo com 80 anos entra na urgência do Hospital de Torres Novas com fortes dores abdominais.
(ler mais...)


Democracia e representatividade - mariana varela »  2020-09-12  »  Mariana Varela

A democracia é, essencialmente, um sistema político que assenta na soberania popular, isto é, um regime em que a legitimidade do poder político emana do povo. Definir ou explicar a noção de democracia não é difícil.
(ler mais...)


A ruptura do discurso - jorge carreira maia »  2020-09-12  »  Jorge Carreira Maia

Nos últimos tempos três assuntos têm concentrado os interesses das redes sociais que dão atenção ao fenómeno político. O racismo, a festa do Avante e a disciplina de Cidadania e Desenvolvimento no ensino não superior.
(ler mais...)


As cabras do reino - carlos paiva* »  2020-09-12  »  Carlos Paiva

Era uma vez um reino. O rei tomou conhecimento que uma república aliada doava dinheiro a quem quisesse criar cabras com o intuito de limpeza do mato nas serras, de modo a diminuir o risco de incêndios. Uma solução barata, neste caso de borla, e acima de tudo não poluente, amiga do ambiente, tema muito em voga entre os gentios.
(ler mais...)


Fabrióleo: ir até ao fim - antónio gomes »  2020-09-12  »  António Gomes

O encerramento da Fabrióleo é um facto. O sofrimento das pessoas e o atentado ao ambiente estão agora mais próximos do fim. Quem não luta, não alcança.
Durante muitos anos, a poluição dos solos e das linhas de água foram a marca daqueles poluidores, nunca se importando com as consequências dos seus actos.
(ler mais...)


Agricultores - rui anastácio »  2020-09-01  »  Rui Anastácio

Falámos em Inglês. Não sei de onde vinham, vinham de bicicleta de bem longe, pela sua tez seriam originários do centro da Europa. Uma das bicicletas estava furada, com o pneu destroçado. Ofereci-lhes o meu spray antifuro.
(ler mais...)


O debate e a ditadura de pensamento - mariana varela »  2020-09-01  »  Mariana Varela

Nós, seres humanos, habitamos e partilhamos este mesmo Mundo, algo que nos une enquanto Humanidade. Ainda que todos façamos parte de uma realidade universal, possuímos uma identidade baseada nas nossas próprias experiências pessoais e características únicas.
(ler mais...)


O outro somos nós - margarida trindade »  2020-09-01  »  Margarida Trindade

Numa muito recente viagem de família, a dada altura e já próximos do destino, a fim de sabermos qual o caminho a tomar, parámos numa bomba de gasolina e baixados os vidros das janelas, lançámos às três pessoas sentadas na mesa da esplanada a demanda pela estrada a seguir.
(ler mais...)


O rio do fururo - josé mota pereira »  2020-09-01  »  José Mota Pereira

Nos diferentes modelos de desenvolvimento para o concelho, há que reconhecê-lo, os poderes municipais estão muitas vezes limitados nos seus poderes de decisão. Mas, as suas decisões – ou não decisões – e aquilo que consideram estratégico, tem reflexos e consequências para o futuro dos concelhos.
(ler mais...)

 Mais lidas - Opinião (últimos 30 dias)
»  2020-09-01  »  José Mota Pereira O rio do fururo - josé mota pereira
»  2020-09-01  »  Rui Anastácio Agricultores - rui anastácio
»  2020-09-01  »  Mariana Varela O debate e a ditadura de pensamento - mariana varela
»  2020-09-12  »  Mariana Varela Democracia e representatividade - mariana varela
»  2020-09-01  »  Jorge Carreira Maia Saudades da ditadura - jorge carreira maia