• SOCIEDADE-  • CULTURA  • DESPORTO  • OPINIÃO
  Quinta, 13 Agosto 2020    |      Directora: Inês Vidal    |      Estatuto Editorial    |      História do JT
   Pesquisar...
Dom.
 27° / 15°
Períodos nublados
Sáb.
 27° / 15°
Períodos nublados
Sex.
 28° / 15°
Períodos nublados
Torres Novas
Hoje  30° / 15°
Céu limpo
       #Alcanena    #Entroncamento    #Golega    #Barquinha    #Constancia 

"Ser-se líder hoje é ser-se superior à bisbilhotice"

Opinião  »  2014-10-10  »  Carlos Ramos

Ser-se líder, hoje, passa por ser-se um educador de virtudes, de valores humanos e cristãos, acreditando que poderá fazer-se a diferença num mundo hipócrita que nos rodeia. Ser-se líder é fazer a diferença no bem, na procura da verdade e na sua promoção.

O líder é responsável por criar esse ambiente de verdade, não deixando que no grupo que lidera domine um ambiente hostil, deprimente, onde reine o pior dos defeitos de que sociedade moderna padece: a ditadura da mesquinhez, da inverdade, do vale tudo para que a minha ideia sobreviva, seja ela qual for.

O líder transforma o grupo e experimenta no grupo o ambiente de ”casa” do afeto, da justiça, da liberdade na responsabilidade, da verdade, da partilha, do respeito. Faz do grupo a ”casa” de Deus e da Humanidade.

Ser-se líder é ser-se superior à ”bisbilhotice e maledicência”. Para o Papa Francisco, tais posturas constituem um pecado que afeta a Igreja em cada comunidade católica e são nefastas para toda a sociedade. Um líder terá de ser implacável com tais comportamentos indignos do ser humano. Muitos deles, criticados pelo Papa Francisco, constituem autênticos homicídios sociais de muitos inocentes, que se vêm nas primeiras páginas dos jornais e dos comentários indecorosos de pseudo moralistas. São inaceitáveis os julgamentos sociais na base do ”ouvi dizer”, pareceu-me que… pensava que… onde há fumo há fogo, etc.

Ora, a cultura portuguesa enferma atualmente de um ambiente de ”bisbilhotice e maledicência” que nas palavras do Papa Francisco acontecem quando as pessoas se colocam ”em primeiro lugar e no centro das suas ambições pessoais, julgando os outros”. Precisamos de crescer na humanidade cristã e nos valores universais para que a vida aconteça com verdade e no respeito pela individualidade e consciência individual. A mensagem cristã não se pode resumir-se à oralidade discursiva ou ao belo texto, ela terá que encarnar na vida dos homens e mulheres do nosso tempo. O anúncio evangélico é vida nova que transforma os corações e as mentes. Este anúncio precisa ser efetivo no testemunho das comunidades católicas e nas famílias que se dizem católicas. Mas, também, no mundo que necessita de transformação cultural em ordem à superação da tendência animalesca da sobrevivência pela bisbilhotice e maledicência.

Os ”bisbilhoteiros e maledicentes” são por natureza fracos e fracas que recorrem a métodos nada convencionais para denegrirem o próximo, à técnicas dos comentários anónimos e irresponsáveis em locais públicos, nas esquinas, em pseudo reuniões de trabalho, etc. Ficam na inverdade e na parcialidade, porque não são capazes de ouvir os envolvidos, porque afinal são pessoas servis da fraqueza do mal e da inveja, que cedem ao mal e à criação da suspeita.

”Por vezes, as nossas paróquias, chamadas a ser lugar de partilha e de comunhão, são tristemente marcadas por invejas, ciúmes, antipatias”, lamenta o Papa. Precisamos de estabelecer um encontro mais profundo com o Bem, a Verdade e o Belo da vida que nos é dada por Deus. Cada um de nós, na comunidade humana, pode deixar o mundo algo melhor, basta ser imagem e semelhança de Deus. Ser-se líder é ser-se superior e vencedor na luta contra a bisbilhotice e maledicência.

 

 

 Outras notícias - Opinião


As nossas vozes - josé mota pereira »  2020-07-27  »  José Mota Pereira

Muitas vezes, a comunicação social local é acusada de ser um instrumento ao serviço do caciquismo.

 Outras tantas vezes, também não é difícil de desmentir que a comunicação social local e regional (jornais e rádios) é apenas páginas de jornais ou horas de rádio vazias desprovidas de conteúdo ou interesse.
(ler mais...)


E se António Rodrigues? »  2020-07-18  »  Jorge Carreira Maia

Se António Rodrigues não se candidatar à presidência do Município, Pedro Ferreira será, sem dificuldade, reeleito. A entrada de António Rodrigues na corrida poderá, contudo, perturbar o passeio dos socialistas.
(ler mais...)


TORRES NOVAS EM 1985: parabéns, cidade! - josé mota pereira »  2020-07-18  »  José Mota Pereira

Em 1985, as pessoas da zona alta vinham à vila. E diziam-no quando vinham ao centro! Ainda hoje, passados 35anos, vem-se à vila. Eram bem diferentes os limites físicos. A vila terminava junto à capela de Santo António e todas as urbanizações circundantes à Av.
(ler mais...)


530 mil - rui anastácio »  2020-07-18  »  Rui Anastácio

É o número de jovens que abandonaram o país nos últimos 10 anos.

Perante este número, é impossível não concluir que somos um país falhado. Não somos só um país falhado.
(ler mais...)


Zona industrial em Riachos - antónio gomes »  2020-07-18  »  António Gomes

As zonas industriais são espaços de ordenamento do território. Só com a sua implementação se consegue evitar a construção de empresas em locais que se destinam a outros fins e que não estão minimamente preparados para receber determinado tipo de actividades.
(ler mais...)


Refugiados: cooperação e sentido de humanidade - mariana varela »  2020-07-18  »  Mariana Varela

No passado dia 7 de julho, chegaram a Portugal 25 jovens menores não acompanhados, oriundos de campos de refugiados da Grécia, onde viviam, naturalmente em condições de extrema precariedade. No meio do caos que tem sido a situação pandémica, o problema dos refugiados não deixa de existir, adquirindo mesmo maior relevância e dimensão, uma vez que grande parte dos países fecharam a suas fronteiras como medida de prevenção.
(ler mais...)


Por onde ir? - acácio gouveia »  2020-07-18  »  Acácio Gouveia

É gratificante apercebermo-nos de que há jovens que canalizam a sua irrequietude para o pensamento crítico e para opinar sobre política. O texto da jovem Mariana Varela é um bom ponto de partida para discussão sobre perspectivas de alternativas ao caminho actual do mundo.
(ler mais...)


Uma cidade à espera de si própria - joão carlos lopes »  2020-07-18  »  João Carlos Lopes

1. Ser cidade não vale um caracol, não acrescenta uma vírgula a nenhum campeonato. Em Portugal, “cidade” não é nenhuma categoria político-administrativa, tratando-se de um título meramente honorífico.
(ler mais...)


Os municípios e as respostas locais e excepcionais a uma situação de excepção »  2020-07-03  »  Ana Lúcia Cláudio

Lisboa e Porto são, naturalmente, as cidades portuguesas mais viradas para o turismo. Por isso mesmo, são também elas as mais penalizadas com os respectivos danos colaterais nas vidas de todos os que aí vivem e trabalham.
(ler mais...)


Tudo vale a pena se a alma não é pequena - anabela santos »  2020-07-03  »  AnabelaSantos

Tanto empenho, tanto sofrimento, tantos sacrifícios, tanta luta para alcançar objectivos e pergunta Fernando Pessoa se terá valido a pena, ao que o poeta responde: sim. Se a alma não é pequena, isto é, se é dotada de um espírito bravo, forte e sonhador, nada do que se faz é em vão.
(ler mais...)

 Mais lidas - Opinião (últimos 30 dias)
»  2020-07-18  »  Jorge Carreira Maia E se António Rodrigues?
»  2020-07-18  »  José Mota Pereira TORRES NOVAS EM 1985: parabéns, cidade! - josé mota pereira
»  2020-07-18  »  João Carlos Lopes Uma cidade à espera de si própria - joão carlos lopes
»  2020-07-27  »  José Mota Pereira As nossas vozes - josé mota pereira
»  2020-07-18  »  Mariana Varela Refugiados: cooperação e sentido de humanidade - mariana varela