• SOCIEDADE-  • CULTURA  • DESPORTO  • OPINIÃO
  Sábado, 21 Maio 2022    |      Directora: Inês Vidal    |      Estatuto Editorial    |      História do JT
   Pesquisar...
Ter.
 22° / 13°
Períodos nublados
Seg.
 23° / 14°
Céu nublado
Dom.
 24° / 17°
Céu nublado com chuva fraca
Torres Novas
Hoje  34° / 17°
Períodos nublados com aguaceiros e trovoadas
       #Alcanena    #Entroncamento    #Golega    #Barquinha    #Constancia 

2020, um ano para esquecer? - jorge carreira maia

Opinião  »  2020-12-20  »  Jorge Carreira Maia

"Se tudo correr bem com a vacina e com a democracia americana, talvez o ano de 2020 seja um ano não para esquecer, mas para lembrar. "

O ano de 2020 não foi fácil. A pandemia desestruturou os nossos hábitos e começou a desfazer a relação tradicional que tínhamos com a vida. Introduziu a incerteza nas decisões, o medo nos comportamentos, o afastamento entre pessoas. Deu lugar a que pululassem na esfera pública as mais descabeladas e perigosas ideias sobre teorias conspirativas e promoveu a menorização dos perigos que a pandemia representa, inclusive com o beneplácito e a participação de quem mais se lhe deveria opor. À doença foi-lhe acrescentada uma dose enorme de irracionalidade.

Um segundo acontecimento extraordinário veio dos EUA. Assistiu-se em directo a uma tentativa de subversão da democracia americana. Uma subversão fortemente apoiada pela massa e que tem tentado tudo para evitar que o vencedor das eleições assuma o cargo. Quando isto se passa numa república das bananas, ninguém estranha. Quando os EUA estão à beira de se transformarem, à vista de todos, em república das bananas, alguma coisa perigosa anda no ar. A irracionalidade que se encontra em muita gente relativamente à pandemia é gémea daquela que apoia a tentativa de subversão dos resultados eleitorais nos EUA.

O ano de 2020 foi, deste modo, um ano em que as forças mais obscuras e perigosas que habitam o rebanho humano encontraram campo propício para lançarem o caos e ameaçarem a vida civilizada. São forças terríveis e têm ao seu serviço instrumentos poderosos, entre eles a comunicação instantânea trazida pelas redes sociais. Aos mais distraídos, convém lembrar que essas forças, no século XX, desencadearam duas guerras mundiais. No entanto, talvez devamos dar alguma atenção à palavra de S. Paulo quando diz ‘onde o pecado abundou, superabundou a graça’. Onde a irracionalidade cresceu, também a razão se excedeu.

A resposta da racionalidade científica à pandemia é um acontecimento digno de realce. É notável como em poucos meses se acumulou uma quantidade de conhecimento enorme sobre a doença e como se chegou a um conjunto de vacinas que permitirão lutar com mais esperança contra a ameaça. Também está a ser, até à hora em que escrevo, notável a resposta das instituições democráticas americanas à ameaça que sobre elas impende. Tanto o sistema eleitoral dos estados federados como os tribunais têm conseguido fazer prevalecer a razão democrática sobre a irracionalidade autoritária. Se tudo correr bem com a vacina e com a democracia americana, talvez o ano de 2020 seja um ano não para esquecer, mas para lembrar. O ano em que a razão científica e a razão democrática venceram as forças obscuras da irracionalidade.

 

 

 Outras notícias - Opinião


Matrioska... »  2022-05-19  »  Hélder Dias

Tamanho - inês vidal »  2022-05-09  »  Inês Vidal

Fez na segunda-feira, dia 2 de Maio, 19 anos que comecei a trabalhar no Jornal Torrejano. Lembro-me desse dia como se fosse hoje, embora os tempos estejam bem diferentes. Pelo caminho, desde então, fomos mudando de caras, de timings, de cor e de formato, mas nunca, em momento algum, mudámos a nossa essência.
(ler mais...)


Viagens pelo centro político - jorge carreira maia »  2022-05-09  »  Jorge Carreira Maia

França: a perda do centro. As eleições presidenciais deram a vitória a Emmanuel Macron, um político centrista. Quando as democracias liberais funcionam razoavelmente, existem dois centros. Um inclinado à esquerda e outro à direita.
(ler mais...)


DOIS LIVROS, MUITOS MOMENTOS - josé alves pereira »  2022-05-09  »  José Alves Pereira

Abordo, de forma breve, dois livros que já este ano foram apresentados em Torres Novas, assinalando trabalhos que penso indesculpável deixar sem uma referência pública.

1. Começo pelo “COMUNISTAS, uma história do PCP em Torres Novas“, da autoria de João Carlos Lopes.
(ler mais...)


Dannazione! - josé ricardo costa »  2022-05-09  »  José Ricardo Costa

Rigoletto é bobo no palácio do duque de Mântua, ou seja, existe para fazer rir. Mas apagam-se as luzes da ribalta e eis que surge um outro homem: sensível, pai extremoso, chorando ainda a morte da única mulher que o amou.
(ler mais...)


Que dia é hoje? - carlos paiva »  2022-05-09  »  Carlos Paiva

Uma das novidades que a vida virtual trouxe à minha pobre existência foi o facto de existirem dias comemorativos de tudo e mais alguma coisa. Todos os dias é dia de algo. Desde o dia do abraço, do amigo, da música, do cão, do gato, até aos mais tradicionais digamos, dia da mãe, da criança, da liberdade, do trabalhador.
(ler mais...)


A parada... »  2022-05-06  »  Hélder Dias

Certamente estou errado- antónio gomes »  2022-04-29  »  António Gomes

Recentemente, assistimos à colocação da 1.ª pedra daquilo que virá a ser um novo restaurante de comida ao “pacote” numa zona da cidade onde já se encontram outros dois do mesmo género. Quero aqui declarar que a comida ali servida não faz o meu estilo, mas também declaro que não tenho nada com isso, cada um é como cada qual, os gostos não se discutem e pelos vistos clientes não faltam.
(ler mais...)


Guerra na Ucrânia, Le Pen e nacionalismo - jorge carreira maia »  2022-04-29  »  Jorge Carreira Maia

1. O primeiro derrotado da guerra na Ucrânia. Um dos postulados centrais do pensamento liberal é a crença de que a conexão comercial entre as nações as torna menos propensas à guerra. Foi por isso que parte substancial da União Europeia, com a Alemanha à cabeça, se tornou dependente da energia russa.
(ler mais...)


Bem-vindo à equipe. Está contratado! - carlos paiva »  2022-04-29  »  Carlos Paiva

Acompanho várias publicações relativas a várias temáticas e âmbitos, sendo a maior longevidade desta convivência nas relacionadas com a música. Ciente da importância dos anunciantes para a sobrevivência destas publicações, tolero que algum viés transpareça nos artigos, favorecendo patrocinadores.
(ler mais...)

 Mais lidas - Opinião (últimos 30 dias)
»  2022-04-23  »  Hélder Dias Retrato de família...
»  2022-04-24  »  Hélder Dias Avante... russo?
»  2022-04-27  »  Hélder Dias Toma!...
»  2022-04-29  »  Carlos Paiva Bem-vindo à equipe. Está contratado! - carlos paiva
»  2022-04-29  »  Hélder Dias Foguetório...