• SOCIEDADE-  • CULTURA  • DESPORTO  • OPINIÃO
  Domingo, 16 Junho 2024    •      Directora: Inês Vidal; Director-adjunto: João Carlos Lopes    •      Estatuto Editorial    •      História do JT
   Pesquisar...
Qua.
 22° / 15°
Céu nublado com chuva fraca
Ter.
 23° / 16°
Períodos nublados com chuva moderada
Seg.
 27° / 15°
Céu nublado com chuva fraca
Torres Novas
Hoje  26° / 13°
Períodos nublados
       #Alcanena    #Entroncamento    #Golega    #Barquinha    #Constancia 

Amonas para todos - inês vidal

Opinião  »  2023-05-19 

"“Onde estava Pedro Ferreira, quando há uns anos resolveram transformar as piscinas municipais num complexo estritamente de inverno?"

Gosto de passear, ver cidades, cantos e recantos do mundo. Não preciso de grandes museus com obras-primas de renome ou monumentos de cortar a respiração. Bastam-me avenidas grandes e onde o ar corre, ladeadas de árvores centenárias, esplanadas arejadas pinceladas em tons de filme italiano e pessoas que não as de sempre.

Um gosto que cresce desmesuradamente proporcional à medida em que me afundo nesta terra circular em que nos movemos, onde o ponto de partida é o de chegada, os dias se repetem sem dó e as caras envelhecem, mas não mudam.

Sou claustrofóbica. Uma claustrofobia que não se contenta com elevadores e aviões fechados, mas que se estende a tudo o que me rodeia. Custa-me curvar uma bicicleta numa rua apertada, festejar um São João no Porto ou respirar num aglomerado arquitectónico mal pensado, se sequer pensado, feito aos poucos, sem planeamento capaz.

Cresci em Torres Novas. Aprendi a nadar nas piscinas municipais de Inverno e a gargalhar nas então piscinas de Verão. Já por aqui ando há 4 décadas. Talvez qualquer coisita mais. Acompanhei os desvarios de Rodrigues que precediam cada período eleitoral e continuo por cá a acompanhar as tendências de quem ensinou e, contra a sua vontade, cá deixou. O fio condutor é sempre o mesmo: nenhum. Hoje temos uma ideia brilhante para aqui, agora temos uma ideia brilhante para ali. Construímos e destruímos. Gastamos dinheiro e voltamos a gastar. Não faz mal, porque o dinheiro não é nosso, dizem eles. São fundos europeus, aquele fenómeno milagroso que infelizmente ainda não conseguimos reproduzir nos nossos quintais, onde o dinheiro nasce das árvores e dá para tudo e para todos, sem sair da carteira de ninguém. Dizem eles.

Depois de destruídas as piscinas de Verão, um dos maiores disparates cometidos nesta terrinha, já ouvi falar em megalómanos projectos para grandiosas piscinas construídas no leito de cheia da Várzea dos Mesiões, ali para os lados das chaminés que já o foram. Era isso, e cavalos (já os estou a imaginar com água pelos tornozelos). O projecto tanto andou, tanto andou, que por aí ficou. Nunca saiu do papel, mas certamente que cumpriu o seu intuito de angariar mais alguns votos.

Hoje, a ideia é outra, com nova assinatura, mas igualmente questionável: alargar o actual tanque das pranchas de saltos e transformá-lo em piscinas de Verão! Só de pensar, começa logo a faltar-me o ar. Das duas uma: ou uma pessoa não tem onde estender a toalha, qual praia de Armação de Pêra em pleno mês de Agosto e daqui a dez anos estamos outra vez a pensar como solucionar o problema das piscinas de Verão, ou irão destruir grande parte do espaço envolvente, nomeadamente o jardim das rosas, para cabermos todos nos dias mais quentes.

Cá vamos nós outra vez. É o faz e desfaz, sem qualquer planeamento ou fio condutor, remediando o possível, à medida do que se vão lembrando naquelas grandes reuniões em torno da mesa.

Se não fosse tão triste, quase que dava para rir. Onde estava Pedro Ferreira quando há uns anos resolveram transformar as piscinas municipais num complexo estritamente de inverno, entendendo que as piscinas de Verão já não faziam sentido naquele local? Se não me falha o discernimento, era vice-presidente da Câmara, número dois com uma palavra a dizer, de um executivo que destruiu parte importante da feliz memória colectiva de quem por aqui nasceu e cresceu.

Ele sempre lá, no centro da história e nós aqui, caladinhos, a assistir de camarote ao põe e dispõe da vida de todos nós.

 



 

 

 

 Outras notícias - Opinião


Lições da História - acácio gouveia »  2024-06-13  »  Acácio Gouveia

“A História não se repete, mas rima por vezes”, Mark Twain

 Vinte e sete meses após o início da guerra na Ucrânia, temos generais e comentadores nos meios de comunicação social portugueses: (I) a justificar a legitimidade da invasão; (II) a profetizar a total e inelutável vitória de Putin; (III) e tentar convencer-nos que este assunto tem pouco ou nada a ver com Portugal e com os demais países europeus.
(ler mais...)


Do rescaldo da festa à realidade da Europa - antómio mário santos »  2024-06-11  »  António Mário Santos

Vivemos, na Europa, tempos difíceis. As eleições europeias, que se desenrolarão no próximo domingo, podem apontar para o fim da União Europeia como hoje a conhecemos. O avanço da extrema direita, racista e xenófoba, na maioria dos países europeus, veio ressuscitar o velho problema das nacionalidades e das suas fronteiras, dos impérios coloniais arrumados nos armários da história, da milenária contenda entre a ciência e a fé, da economia neoliberal assente no conceito do Estado-Nação e nos direitos fundamentais da cidadania democrática.
(ler mais...)


Nascente do Almonda: há outro caminho - jorge salgado simões »  2024-06-11  »  Jorge Salgado Simões

Tem sido difícil assistir a tudo o que se tem passado em torno da nascente do Almonda nos últimos anos, um conflito exacerbado por dois lados com interesses legítimos, mas incapazes de construir qualquer benefício para um património que todos dizem querer valorizar.
(ler mais...)


Teixeira de Queiroz e o mundo português - jorge carreira maia »  2024-06-11  »  Jorge Carreira Maia

Hoje desconhecido do grande público, Francisco Teixeira de Queiroz foi um dos grandes escritores portugueses dos finais do século XIX e inícios do século XX. A Imprensa Nacional começou, em 2020, a republicar as obras do escritor nascido em Arcos-de-Valdevez, que chegou a ser deputado e Ministro dos Negócios Estrangeiros na Primeira República.
(ler mais...)


Feiras sem estórias - carlos paiva »  2024-06-11  »  Carlos Paiva

Segundo pesquisa da TSF, em Portugal no ano de 2015, ocorreram 40 eventos no contexto de "feira medieval", ou similar relacionado com esta temática. Após uma pesquisa online breve, não sistematizada, para o ano de 2023, contei 86.
(ler mais...)


Agora, também às cegas - antónio gomes »  2024-06-11  »  António Gomes

A Assembleia Municipal de Torres Novas inaugurou um novo método de decisão. Até agora, acontecia de quando em vez, sem debate ou contraditório, apenas decidia porque as maiorias absolutas assim votavam, assumindo-se como travão ao debate e à transparência.
(ler mais...)


Gerações de traidores - acácio gouveia »  2024-05-25  »  Acácio Gouveia

“Antigamente, quando o vale do Kusun estava coberto de floresta, havia ali muitas martas-zibelinas. Agora é desértico.”

Vladimir Arseniev in ´Dersu Uzala

 As acções dos jovens activistas que protestam contra as alterações climatéricas estão na ordem do dia.
(ler mais...)


Renova, que queres tu? - antónio gomes »  2024-05-25  »  António Gomes

Mais um ‘Dia da Espiga’, mais um dia de convívio na nascente do rio Almonda, mais um dia de intimidação e prepotência perpetrados pela empresa Renova.

O Ministério Público acabou de arquivar os processos movidos contra 12 cidadãos que o ano passado tiveram a “desfaçatez” de ir assinalar o Dia da Espiga, exactamente no mesmo local onde gerações anteriores sempre o fizeram.
(ler mais...)


Reflexões sobre a posse da água - antónio mário santos »  2024-05-25  »  António Mário Santos

 

Passadas as comemorações do 50.º Aniversário do 25 de Abril, sobreveio a festa pagã da enunciação da Primavera, que a religião cristã transformou na 5ª feira da Ascensão de Cristo ao céu que é, nas cidades e vilas urbanas de significativo peso rural, feriado municipal.
(ler mais...)


O desafio à ordem liberal - jorge carreira maia »  2024-05-25  »  Jorge Carreira Maia

Assistimos, nos dias de hoje, ao maior desafio que, desde o fim da Segunda Guerra Mundial, foi colocado à cosmovisão liberal. Esta visão do mundo não diz respeito apenas à economia. Ela é, fundamentalmente, uma perspectiva assente nos direitos individuais e em regimes pluralistas.
(ler mais...)

 Mais lidas - Opinião (últimos 30 dias)
»  2024-05-25  »  Acácio Gouveia Gerações de traidores - acácio gouveia
»  2024-05-25  »  José Ricardo Costa Todos os Nomes - josé ricardo costa
»  2024-05-25  »  Jorge Carreira Maia O desafio à ordem liberal - jorge carreira maia
»  2024-06-13  »  Acácio Gouveia Lições da História - acácio gouveia
»  2024-05-25  »  António Mário Santos Reflexões sobre a posse da água - antónio mário santos