• SOCIEDADE-  • CULTURA  • DESPORTO  • OPINIÃO
  Domingo, 21 Julho 2024    •      Directora: Inês Vidal; Director-adjunto: João Carlos Lopes    •      Estatuto Editorial    •      História do JT
   Pesquisar...
Qua.
 40° / 21°
Céu limpo
Ter.
 41° / 21°
Céu limpo
Seg.
 40° / 16°
Céu limpo
Torres Novas
Hoje  29° / 17°
Céu nublado
       #Alcanena    #Entroncamento    #Golega    #Barquinha    #Constancia 

Agora, também às cegas - antónio gomes

Opinião  »  2024-06-11  »  António Gomes

A Assembleia Municipal de Torres Novas inaugurou um novo método de decisão. Até agora, acontecia de quando em vez, sem debate ou contraditório, apenas decidia porque as maiorias absolutas assim votavam, assumindo-se como travão ao debate e à transparência.

Mas agora ainda foram mais longe, foram apresentados pedidos de autorização prévia de empréstimos bancários no valor de 6 milhões de euros. A Assembleia Municipal foi confrontada com estes números, sem debate, sem explicação e, mais grave, sem qualquer informação acerca dos projectos onde irá ser aplicado este dinheiro.

Decisão às cegas.

Todos os membros da Assembleia Municipal têm o direito a serem informados das propostas que são chamados a votar; além do direito, também têm o dever de votar devidamente informados, é uma regra básica da democracia. No caso em presença, a informação sobre os investimentos, muito incompleta, só apareceu por insistência dos autarcas do BE.

Também a mesa da Assembleia Municipal tem de zelar pelo funcionamento democrático da Assembleia - a falta de informação para decidir não pode ser aceite por ninguém, muito menos pela mesa.

Foi decidido autorizar o executivo camarário a pedir 2,8 milhões de euros para obras no Estádio Municipal. Pode-se concordar com os objectivos propostos, mas não existe memória descritiva que informe e esclareça o que se pretende fazer; falou-se em construir um campo relvado alternativo nas Lapas, mas o presidente informou, na própria sessão, que afinal o dito campo vai ser na Meia Via (?).

Ainda para esta rubrica, no Orçamento para 2024 está previsto um empréstimo de 1,5 milhões, mas agora acrescentaram-lhe mais 1,3 milhões, sem qualquer explicação: trabalhar assim não é muito sério.

Também foi votado 1,8 milhões para a pavimentação em São Pedro, no centro histórico da cidade, uma zona critica que precisa há muito de atenção.

Mas o que é isso de pavimentação? Sem memória descritiva rigorosa e explicativa não é fácil votar em consciência, nem a opinião pública sabe o que se vai passar nem tão pouco a Assembleia Municipal… Ficámos a saber que vão realizar-se obras na rua 1º de Dezembro e sabe-se que está previsto, é intenção, retirar a circulação automóvel de um dos tabuleiros na Ponte do Raro e no outro ter apenas um sentido. Talvez seja uma solução interessante, mas votar sem projectos aprovados, é votar às cegas.

Também a rede viária foi contemplada com 1,4 milhões, mas na informação prestada, à posteriori, apenas se sabe quanto dinheiro vai ser aplicado em cada freguesia, mais uma vez nada de projectos, nada de ruas/estradas a serem intervencionadas, nada de prioridades.

Bem sei que este dinheiro é a base para a campanha eleitoral das próximas eleições autárquicas, mas caramba, exige-se o mínimo de rigor, transparência e respeito pelos órgãos eleitos.

Assim foi inaugurado um novo paradigma para as decisões da Assembleia Municipal, sem informação, sem rigor, às cegas.


 

 

 Outras notícias - Opinião


O Orelhas... »  2024-07-16  »  Hélder Dias

Lady Gago »  2024-07-09  »  Hélder Dias

Na aldeia de Zibreira passa o rio Almonda - isilda loureiro »  2024-06-23 

"O rio da minha aldeia", fazendo lembrar o poema de Fernando Pessoa...

Houve tempos em que o local conhecido por Azenha, no termo da aldeia de Zibreira, após descermos uma ladeira ladeada de terrenos agrícolas e hortas, teve um moinho com gente e muita vida.
(ler mais...)


Cogitações por causa do 25 de Novembro e dos avanços da extrema-direita - antónio mário santos »  2024-06-23  »  António Mário Santos

No momento em que do centro direita à direita radical, aproveitando a viragem das últimas eleições legislativas, se organizou uma associação de interesses para diminuir o 25 de Abril, realçando o golpe militar do 25 de Novembro, num crescendo de recuperação selectiva do revanchismo das elites económicas destronadas pela revolução, ultrapassando a concepção social-democrata do próprio PS (Manuel Alegre distingue-o nas suas Memórias Minhas, criticando a viragem para a 3ª via de Blair, continuando a preferir chamar ao seu partido, por inteiro, Partido Socialista), abriu-se um clamoroso protesto nos órgãos de informação nacionais.
(ler mais...)


O futebol e o radicalismo de direita - jorge carreira maia »  2024-06-23  »  Jorge Carreira Maia

 

Decorre o Europeu de futebol, hora em que o fervor nacionalista se exalta. O futebol, na sua dimensão industrial, foi colonizado por perspectivas ideológicas que fomentam, na consciência dos adeptos, uma visão do mundo muito específica.
(ler mais...)


Toma lá... »  2024-06-19  »  Hélder Dias

Lições da História - acácio gouveia »  2024-06-13  »  Acácio Gouveia

“A História não se repete, mas rima por vezes”, Mark Twain

 Vinte e sete meses após o início da guerra na Ucrânia, temos generais e comentadores nos meios de comunicação social portugueses: (I) a justificar a legitimidade da invasão; (II) a profetizar a total e inelutável vitória de Putin; (III) e tentar convencer-nos que este assunto tem pouco ou nada a ver com Portugal e com os demais países europeus.
(ler mais...)


Do rescaldo da festa à realidade da Europa - antómio mário santos »  2024-06-11  »  António Mário Santos

Vivemos, na Europa, tempos difíceis. As eleições europeias, que se desenrolarão no próximo domingo, podem apontar para o fim da União Europeia como hoje a conhecemos. O avanço da extrema direita, racista e xenófoba, na maioria dos países europeus, veio ressuscitar o velho problema das nacionalidades e das suas fronteiras, dos impérios coloniais arrumados nos armários da história, da milenária contenda entre a ciência e a fé, da economia neoliberal assente no conceito do Estado-Nação e nos direitos fundamentais da cidadania democrática.
(ler mais...)


Nascente do Almonda: há outro caminho - jorge salgado simões »  2024-06-11  »  Jorge Salgado Simões

Tem sido difícil assistir a tudo o que se tem passado em torno da nascente do Almonda nos últimos anos, um conflito exacerbado por dois lados com interesses legítimos, mas incapazes de construir qualquer benefício para um património que todos dizem querer valorizar.
(ler mais...)


Teixeira de Queiroz e o mundo português - jorge carreira maia »  2024-06-11  »  Jorge Carreira Maia

Hoje desconhecido do grande público, Francisco Teixeira de Queiroz foi um dos grandes escritores portugueses dos finais do século XIX e inícios do século XX. A Imprensa Nacional começou, em 2020, a republicar as obras do escritor nascido em Arcos-de-Valdevez, que chegou a ser deputado e Ministro dos Negócios Estrangeiros na Primeira República.
(ler mais...)


 Mais lidas - Opinião (últimos 30 dias)
»  2024-07-09  »  Hélder Dias Lady Gago
»  2024-07-16  »  Hélder Dias O Orelhas...
»  2024-06-23  Na aldeia de Zibreira passa o rio Almonda - isilda loureiro
»  2024-06-23  »  António Mário Santos Cogitações por causa do 25 de Novembro e dos avanços da extrema-direita - antónio mário santos
»  2024-06-23  »  Jorge Carreira Maia O futebol e o radicalismo de direita - jorge carreira maia