• SOCIEDADE-  • CULTURA  • DESPORTO  • OPINIÃO
Directora: Inês Vidal   |     Segunda, 22 de Janeiro de 2018
Pesquisar...
Qui.
 14° / 7°
Céu nublado com chuva fraca
Qua.
 15° / 6°
Céu nublado
Ter.
 17° / 7°
Períodos nublados
Torres Novas
Hoje  17° / 9°
Céu nublado
       #Alcanena    #Entroncamento    #Golega    #Barquinha    #Constancia 

Torres Novas: autarquia conta com envolvimento de privados para dar a volta ao centro histórico

Sociedade  »  2015-01-22 

O auditório da biblioteca foi o local escolhido para a apresentação pública do UrbNovas, um projecto de reabilitação de Torres Novas que surge na sequência da delimitação da primeira ARU – Área de Reabilitação Urbana. A autarquia pretende envolver privados, que são donos de 95 por cento do edificado nesse perímetro e, para isso, regulamentou uma série de benefícios fiscais.

Decorreu no sábado, dia 17 de Janeiro, a sessão pública de apresentação do UrbNovas, o nome dado pela autarquia ao projecto de reabilitação do centro histórico da cidade em que o papel do município passa, em certa medida, pela criação de condições de incentivo à reabilitação, revitalização e regeneração daquela área urbana, muito afectada pela degradação do parque habitacional.

Com este programa, a câmara quer evitar ‘pseudo’ reabilitações, ou seja, intervenções que se fiquem apenas pelas fachadas dos imóveis e deseja que as intervenções a fazer não descaracterizem os edifícios.

Com a delimitação da ARU, os particulares e entidades públicas têm acesso a ferramentas e instrumentos no âmbito do Regime Jurídico da Reabilitação Urbana e, é esse o principal trunfo da autarquia na tarefa de mobilizar os proprietários para esta causa.

Os benefícios fiscais surgem à cabeça do conjunto do normativo de incentivos, nomeadamente a isenção de IMI durante cinco anos, redução do IVA de 23 para 6 por cento nas empreitadas, deduções à colecta no IRS, acesso facilitado a programas de financiamento e isenção em todas as taxas previstas no regulamento municipal. Estes são alguns dos incentivos previstos para obras de reabilitação na ARU de Torres Novas, que tem um prazo temporal limitado de 15 anos.

Entretanto, dentro de algumas semanas, a câmara municipal vai instalar no centro das cidade (no edifício do Paço) o GURU - Gabinete Técnico para a Reabilitação Urbana -, um gabinete especializado criado para sensibilizar e esclarecer a população, bem como para apoiar tecnicamente os projectos que venham a ser apresentados.

 

Centro histórico perdeu 127 famílias em 20 anos

Não obstante de se terem realizado importantes e significativas intervenções e melhorias no espaço público do centro histórico de Torres Novas (remodelação da praça 5 de Outubro, intervenção no castelo e na envolvente, nas igrejas da Misericórdia, Santiago e de São Pedro, jardim das rosas, entre outros), o estado de degradação do CH, em geral, piorou. sobretudo o estado de conservação dos prédios particulares que correspondem a 95 por cento do edificado no CH.

”O nosso centro histórico está longe de o considerarmos razoável”, disse mesmo o presidente da câmara municipal de Torres Novas na sessão de apresentação do UrbNovas, afirmando ainda ”a tristeza e preocupação” que sente ao assistir à degradação contínua de inúmeros imóveis, muitos dos quais em estado de ruína. ”Um cenário que desincentiva a procura de habitação no centro da cidade e prejudica inevitavelmente as pequenas ou grandes empresas que continuam felizmente a apostar nesta localização”, asseverou Pedro Ferreira, que disse que 30 por cento dos 760 prédios existentes no CH está em ruínas ou em mau estado de conservação.

”Recuando a 1991, não existiam alojamentos vagos e registavam-se 519 famílias residentes (no CH). Os dados dos censos de 2011 apontam para 302 alojamentos vagos no centro histórico e apenas 391 famílias residentes”, ou seja, existem menos 127 famílias do que há 20 anos.

O autarca torrejano sublinhou que os proprietários dos imóveis em ruínas têm sido alertados pelo município mas, por questões financeiras e de desentendimentos entre herdeiros, que originam em muitos casos processos judiciais, tem obrigado o município a intervir pontualmente ,”mas a execução das obras necessárias é penosa financeiramente para o município e são tantos os casos que seria financeiramente impossível responder atempadamente a todos eles. Estamos assim perante um enorme e complexo desafio, mas que o município está disposto a assumir”, vaticinou. Pedro Ferreira garantiu ainda que para os proprietários que não aderiram a este desafio e que ponham em causa o sucesso deste projecto de grande interesse público, serão utilizadas, ”caso a caso” as medidas coercivas em termos de política urbanística, medidas estas que foram reforçadas com a constituição da ARU.

 

Como se processa?

Os projectos de reabilitação na ARU de Torres Novas começam por um vistoria ao imóvel a intervir, por uma comissão que atribui uma classificação em função do estado de conservação. A classificação de 1 a 5 (péssimo, mau, médio, bom e excelente) é fixada e um dos pressupostos deste programa é que, depois da intervenção, a avaliação do imóvel pela mesma comissão suba pelo menos dois patamares. Por exemplo, para um imóvel com uma avaliação inicial ”mau”, a classificação final (posterior à obra) tem de ser, no mínimo, ”bom”.

 

Materiais

O projecto UrbNovas contempla a criação de um armazém de materiais relevantes que possam ser recuperados antes da obra, conservados, e novamente aplicados no decorrer dos trabalhos, como azulejos, gradeamentos, portas, caixilhos, ou outros.

 

Automóveis no centro histórico

O estacionamento automóvel é também um dos aspectos considerados centrais e ao qual a equipa UrbNovas, coordenada pela arquitecta Leonor Calisto, dedicará especial atenção. A autarquia tem um estudo na sua posse, mas que está a ser actualizado tendo em conta algumas mudanças que entretanto surgiram. A actualização do referido estudo vai custar aos cofres da autarquia 4 mil euros, disse o presidente da câmara municipal, que considerou um investimento necessário.

 

 

 Outras notícias - Sociedade


Torres Novas apela à unidade do Ribatejo - autarca de Almeirim reage confuso »  2018-01-18 

A unidade dos concelhos do antigo distrito de Santarém, em qualquer quadro de reforma do território que venha a acontecer, mereceu a concordância da maioria dos eleitos da assembleia municipal de Torres Novas. A moção foi aprovada no passado dia 12, com votos do PS, BE, PSD, CDS e autarcas das freguesias.
(ler mais...)


CHMT: Governo injecta oito milhões para redução da dívida »  2018-01-11 

O Centro Hospitalar do Médio Tejo (CHMT), que integra as unidades hospitalares de Torres Novas, Tomar e Abrantes, tem em curso um aumento de capital em mais de oito milhões de euros “que será utilizado exclusivamente no pagamento de dívida vencida”, refere o gabinete de imprensa desta organização.
(ler mais...)


Yoga para bebés, no Entroncamento »  2018-01-11 


O município do Entroncamento promove um ciclo de Yoga para crianças, decorrendo as primeiras sessões já no próximo sábado, dia 13 de Janeiro, realizando-se as outras sessões nos dias 3 de Fevereiro e 3 de Março.
(ler mais...)


Poderes e interesses ameaçam a cidadania »  2018-01-05 

Os poderes instituídos e os altos interesses parecem estar sem freio, ameaçando cidadãos por “delito de opinião” com armas desproporcionadas. A imprensa local, tida como mais frágil e sensível à pressão dos poderes, parece estar também na mira de quem acha que pode tudo.
(ler mais...)


CDU e Bloco manifestam-se contra encerramento de balões e CTT na região »  2018-01-04 

As estruturas distritais da CDU e do BE manifestaram-se, esta quinta-feira, contra o encerramento de balcões dos CTT em Alferrarede (Abrantes) e Alpiarça. Numa nota de imprensa, a CDU reclama o regresso à esfera pública dos CTT e o regresso do serviço postal “público, universal e de qualidade”.
(ler mais...)


Golegã: fábrica de vinagres começa ano com lançamento de novo produto »  2018-01-04 

A fábrica de vinagres e molhos da Golegã, a Mendes e Gonçalves – que detém a marca Paladim -, começa o ano de 2018 com lançamento de um novo produto no mercado dos vinagres. Trata-se se um vinagre de Sidra “100% natural e saboroso” e que, segundo a empresa, procura ir “ao encontro da tendência mundial da procura de produtos não processados e naturais”.
(ler mais...)


Constância: requalificação da frente ribeirinha previstas nas GOP »  2018-01-04 

As Grandes Opções do Plano (GOP) da câmara municipal de Constância, para 2018, prevêem, entre outros projectos, a reconversão da frente ribeirinha (margem do rio Zêzere) de Constância. Trata-se de um espaço privilegiado que, no Verão, é procurado por muita gente para momentos de lazer.
(ler mais...)


Ministro da Administração Interna vem a Santarém assinar protocolo de projecto-piloto para redução da acidentes rodoviários »  2018-01-04 

Eduardo Cabriata, recém-empossado ministro da Administração Interna, vem a Sanatrém na próxima terça-feira, dia 9 de Janeiro, presidir à cerimónia de apresentação do projecto para a promoção da segurança rodoviária na região da Lezíria do Tejo, bem como assinar protocolos com os municípios daquela região.
(ler mais...)


ÚLTIMA HORA Morreu Joaquim Canais Rocha »  2018-01-02 

Joaquim Canais Rocha, que contava 82 anos, morreu hoje,  terça-feira, dia 2, no hospital de Tomar onde se encontrava internado há algum tempo.

Figura histórica da imprensa local, Canais Rocha começou a trabalhar ainda muito jovem na velha tipografia do jornal O Almonda do largo do Salvador, onde se iniciou na profissão de tipógrafo.
(ler mais...)


Mitsubishi Fuso ofereceu três viaturas 4x4 a bombeiros »  2017-12-25 

A Mitsubishi Fuso Truck Europe, situada em Tramagal e pertencente ao Grupo Daimler, entregou na sexta-feira, 22 de Dezembro, três viaturas Canter 4x4 doadas pela empresa às Corporações de Bombeiros de Castanheira de Pera, Pedrogão Grande e Figueiró dos Vinhos.
(ler mais...)

 Mais lidas - Sociedade (últimos 10 dias)
»  2018-01-18  Torres Novas apela à unidade do Ribatejo - autarca de Almeirim reage confuso