• SOCIEDADE  • CULTURA  • DESPORTO  • OPINIÃO
Directora: Inês Vidal   |     Sexta, 23 de Junho de 2017
Pesquisar...
Seg.
 29° / 15°
Claro
Dom.
 33° / 14°
Céu nublado com aguaceiros e trovoadas
Sáb.
 33° / 13°
Céu nublado
Torres Novas
Hoje  33° / 13°
Claro
       #Alcanena    #Entroncamento    #Golega    #Barquinha    #Constancia 

BE diz que Fabrióleo foi condenada e que ETAR continua sem licença (actualizada)

Sociedade  »  2017-06-14 

Funcionária da câmara veio desmentir a existência de qualquer licença

É o outro lado do extenso comunicado que a Fabrióleo tem vindo a publicar em alguma imprensa da região: o Bloco de Esquerda de Torres Novas diz que a empresa foi condenada pelo tribunal de Leiria e que não tem licença para a ETAR construída ilegalmente. A posição do BE foi tornada pública ontem, terça-feira (13).

A concelhia do Bloco de Esquerda recorda que há muitos meses se espera um desfecho sobre as diversas e múltiplas fiscalizações à Fabrióleo e que a empresa, «utilizando todos os recursos, onde se inclui a publicidade paga, continua a sua campanha. Na semana passada foi mesmo ao ponto de divulgar uma sentença do Tribunal Administrativo de Leiria para evidenciar uma pequena parte desse documento dizendo que “está provado que a arguida (a Fabrióleo) dia 30 de setembro apresentou um requerimento de legalização da obra ilegal e, que à data de hoje, a obra já está legalizada”.

O Bloco de Esquerda diz que a sentença (processo n.º 79/17.6BELRA), que a Fabrióleo tem citado para valer a sua posição, em primeiro lugar condena a própria Fabrióleo por ter construído a ETAR sem licença, num recurso a uma contra-ordenação do município. Por outro lado, os bloquistas dizem que, ao contrário do que diz a empresa, não há nenhuma licença emitida pela câmara, licença essa que a juíza, na sentença, diz existir com base na palavra de uma testemunha ouvida no processo.

Explica o BE que «a referida decisão judicial deu como provado que a Fabrióleo obteve licença posteriormente, fundando a sua convicção em prova testemunhal. Salvo melhor opinião, tal prova apenas podia ser obtida por via de prova documental, considerando a natureza de um acto de licenciamento, pelo que devia ser solicitada tal informação à Câmara Municipal. Na verdade, tal licença nunca foi atribuída à Fabrióleo, como nos foi garantido pelo Presidente e Vice Presidente da Câmara, de quem se espera um desmentido categórico». Atendendo ao que diz a nota de imprensa, o BE terá tido a garantia dos dois autarcas do PS de que não foi passada qualquer licença, apesar de uma testemunha ouvida, técnica municipal, alegadamente ter dito em tribunal que a empresa já tinha licença. Um imbróglio.

No mesmo comunicado, divulgado através de publicidade paga, refere a posição do Bloco, «a Fabrióleo afirma também que, por sua iniciativa, foi contratualizado à FCT-UNL “um estudo rigoroso e isento sobre a bacia da Ribeira da Água, assim como o mapeamento de todas as fontes poluentes da zona referida”. Mas, nesse estudo, contesta o BE, «estão explícitos factos não mencionados pelo comunicado que indicam que, efectivamente, a Fabrióleo ultrapassou os limites legalmente exigidos no que às descargas de efluentes diz respeito. A Fabrióleo deveria divulgar todo o estudo, mas só divulga o que lhe interessa. Salienta-se que, através das análises efetuadas pelo IGAMAOT a 27 de Julho e a 7 de Setembro de 2016, no mesmo laboratório ao qual a Fabrióleo recorre para realizar as suas análises, verificou-se que as amostras ultrapassavam entre 40 e 70 vezes o Valor Limite de Emissão para todos os parâmetros analisados. No entanto, os valores divulgados pela Fabrióleo a análises feitas dias antes da inspecção do IGAMAOT de 27 de Julho são 5 vezes inferiores ao Valor Limite de Emissão.» Citando o estudo, considera o BE, “a discrepância verificada entre os valores do autocontrolo realizado pela Fabrióleo e os valores das análises da inspecção do IGAMAOT é estranha.”. Na opinião do BE, esta diferença «é mais suspeita do que estranha».

«Além das descargas que ultrapassam os limites legais e das ilegalidades de ordenamento do território, reconhecidas pelo dito estudo, construção de ETAR que nem sequer está prevista na licença, o estudo atribui os valores anormalmente altos à entrada em funcionamento desta ETAR», diz ainda o BE, ao mesmo tempo que, diz «é totalmente omisso quanto à origem e consumos de água, utilizada no processo industrial descrito e especialmente na lavagem de cisternas, produção de vapor. Assim como é omisso a quantidade de efluentes rejeitados mensalmente, apesar de a licença o exigir».

 Posteriormente a este estudo, conclui o comunicado do BE, «já a Fabrióleo foi alvo de processos por contra-ordenações graves cuja decisão final se aguarda. O BE aguarda as conclusões da última inspecção à empresa e faz votos para que este gravíssimo problema tenha uma solução definitiva».

Entretanto,  nenhum dos outros partidos da oposição veio a terreiro comentar este tema aparentemente complexo. O PS, que apoia a maioria no executivo, também não disse uma palavra.

A maioria socialista da câmara continua en silêncio, tendo-se limitado a fazer chegar aos jornais um desmentido subscrito por uma funcionária do gabinete de imprensa, e que é lacónico:: "No seguimento do que tem sido recentemente publicado por alguns meios de comunicação, informa-se que não foi emitido qualquer alvará de licença por parte da Câmara Municipal de Torres Novas para a obra de Estação de Tratamento de Águas Residuais (ETAR) biológica, não existindo, portanto, para aquela operação urbanística, qualquer título de licenciamento".

 

 

 

 Outras notícias - Sociedade


Museu e Biblioteca de Torres Novas comemoraram ontem 80 anos »  2017-06-21 

A integração de um acervo de Carlos Reis, até aqui instalado no Palácio Nacional da Ajuda, no Museu Municipal de Torres Novas, fica a marcar o 80.º aniversário da fundação do museu e da biblioteca, que nasceram em 1937 pela mão de Gustavo Pinto Lopes.
(ler mais...)


Torres Novas e Alcanena aprovaram votos de pesar pela tragédia em Pedrógão Grande »  2017-06-20 

Os executivos municipais de Torres Nova se Alcanena aprovaram votos de pesar pela tragédia ocorrida no passado fim-de-semana e que foi amplamente noticiada. Em Torres Novas, o voto de pesar foi aprovado na sessão de câmara desta terça-feira, dia 21 de Junho.
(ler mais...)


Alcanena: Carla Pereira é a candidata da CDU à câmara »  2017-06-20 

A comerciante e militante comunista Carla Mendes Pereira, de 35 anos, é a candidata da CDU à presidência da Câmara Municipal de Alcanena às eleições autárquicas de 1 de outubro. Em comunicado, a CDU afirma que Carla Pereira lidera “um projeto alternativo, virado para as populações e os trabalhadores, com provas dadas de trabalho, honestidade e competência a nível regional e nacional”.
(ler mais...)


Festa do rock junto às pegadas de dinossáurios »  2017-06-20 

“RCA”, “DA/CA”, banda de tributo aos australianos AC/DC e “m!stakes”, são os nomes que integram o cartaz de mais um Bairro Rockfest, que decorre no campo de futebol do Bairro (Ourém), junto às pegadas e dinossáurios, no dia 8 de Julho.
(ler mais...)


Torres Novas: Cineclube volta com ciclo de cinema ao ar livre »  2017-06-20 

O Cineclube de Torres Novas está de volta com mais uma edição de cinema ao ar livre. Aproveitando as noites quentes de Verão, a primeira projecção está agendada para a noite deste sábado, 24 de Junho, no jardim das rosas, de “A vida secreta dos nossos bichos”.
(ler mais...)


Caminhada solidária a favor do CRIT »  2017-06-20 

O Centro de Reabilitação e Integração Torrejano (CRIT) promove no próximo dia 2 de Julho uma caminhada solidária na cidade de Torres Novas, na qual é pedido aos participantes que, no acto da inscrição, entreguem um bem alimentar.
(ler mais...)


Bombeiros: como ajudar? »  2017-06-18 

Águas e pacotes de sumo pequenos, bolachas e barritas energéticas são alguns dos contributos que a população pode deixar no quartel dos Bombeiros Voluntários Torrejanos. Numa altura em que a corporação tem homens a combater as chamas nos palcos de incêndio mais mediáticos do momento, é com apreço que os bombeiros recebem estes contributos, que nas horas de aperto poderão fazer a diferença.
(ler mais...)


João Zilhão, arqueólogo que achou o crânio com 400 mil anos, vem a Torres Novas falar do fóssil »  2017-06-17 

João Zilhão, coordenador dos trabalhos de arqueologia na gruta da aroeira que levaram à descoberta do crânio humano fóssil que se supõe ter 400 mil anos, vai estar em Torres Novas no próximo sábado, dia 24, para proferir uma conferência na qual abordará as circunstâncias da descoberta do mais antigo achado arqueológico até hoje encontrado em território nacional.
(ler mais...)


Secretário de Estado da Indústria vem a Torres Novas apresentar programa de apoio à capitalização das empresas »  2017-06-17 

João Vasconcelos, secretário de Estado da Indústria, vem a Torres Novas no próximo dia 4 de Julho para apresentar às empresas da região o programa “Capitalizar”, de apoio à capitalização das empresas e à retoma do investimento.
(ler mais...)


Torres Novas: associação de defesa do património debate “ocupação/abandono urbano” »  2017-06-17 

Associação de  Defesa do Património de Torres Novas (ADPTN) promove no próximo dia 21 de Junho - solstício de Verão -, um debate sobre ocupação e abandono urbano, iniciativa que contará com a participação de historiadores e arqueólogos

O espaço escolhido para o encontro é a antiga Fábrica de Móveis Pataratas, na travessa dos Albardeiros, em Torres Novas.
(ler mais...)


 Mais lidas - Sociedade (últimos 10 dias)
»  2017-06-18  Bombeiros: como ajudar?
»  2017-06-16  Basta ao vivo! Sábado à noite na praça 5 de Outubro, em defesa do ambiente
»  2017-06-14  BE diz que Fabrióleo foi condenada e que ETAR continua sem licença (actualizada)