• SOCIEDADE-  • CULTURA  • DESPORTO  • OPINIÃO
Directora: Inês Vidal   |     Quinta, 14 de Dezembro de 2017
Pesquisar...
Dom.
 14° / 3°
Períodos nublados
Sáb.
 15° / 5°
Claro
Sex.
 15° / 7°
Céu nublado com chuva fraca
Torres Novas
Hoje  18° / 10°
Céu nublado com chuva fraca
       #Alcanena    #Entroncamento    #Golega    #Barquinha    #Constancia 

BE diz que Fabrióleo foi condenada e que ETAR continua sem licença (actualizada)

Sociedade  »  2017-06-14 

Funcionária da câmara veio desmentir a existência de qualquer licença

É o outro lado do extenso comunicado que a Fabrióleo tem vindo a publicar em alguma imprensa da região: o Bloco de Esquerda de Torres Novas diz que a empresa foi condenada pelo tribunal de Leiria e que não tem licença para a ETAR construída ilegalmente. A posição do BE foi tornada pública ontem, terça-feira (13).

A concelhia do Bloco de Esquerda recorda que há muitos meses se espera um desfecho sobre as diversas e múltiplas fiscalizações à Fabrióleo e que a empresa, «utilizando todos os recursos, onde se inclui a publicidade paga, continua a sua campanha. Na semana passada foi mesmo ao ponto de divulgar uma sentença do Tribunal Administrativo de Leiria para evidenciar uma pequena parte desse documento dizendo que “está provado que a arguida (a Fabrióleo) dia 30 de setembro apresentou um requerimento de legalização da obra ilegal e, que à data de hoje, a obra já está legalizada”.

O Bloco de Esquerda diz que a sentença (processo n.º 79/17.6BELRA), que a Fabrióleo tem citado para valer a sua posição, em primeiro lugar condena a própria Fabrióleo por ter construído a ETAR sem licença, num recurso a uma contra-ordenação do município. Por outro lado, os bloquistas dizem que, ao contrário do que diz a empresa, não há nenhuma licença emitida pela câmara, licença essa que a juíza, na sentença, diz existir com base na palavra de uma testemunha ouvida no processo.

Explica o BE que «a referida decisão judicial deu como provado que a Fabrióleo obteve licença posteriormente, fundando a sua convicção em prova testemunhal. Salvo melhor opinião, tal prova apenas podia ser obtida por via de prova documental, considerando a natureza de um acto de licenciamento, pelo que devia ser solicitada tal informação à Câmara Municipal. Na verdade, tal licença nunca foi atribuída à Fabrióleo, como nos foi garantido pelo Presidente e Vice Presidente da Câmara, de quem se espera um desmentido categórico». Atendendo ao que diz a nota de imprensa, o BE terá tido a garantia dos dois autarcas do PS de que não foi passada qualquer licença, apesar de uma testemunha ouvida, técnica municipal, alegadamente ter dito em tribunal que a empresa já tinha licença. Um imbróglio.

No mesmo comunicado, divulgado através de publicidade paga, refere a posição do Bloco, «a Fabrióleo afirma também que, por sua iniciativa, foi contratualizado à FCT-UNL “um estudo rigoroso e isento sobre a bacia da Ribeira da Água, assim como o mapeamento de todas as fontes poluentes da zona referida”. Mas, nesse estudo, contesta o BE, «estão explícitos factos não mencionados pelo comunicado que indicam que, efectivamente, a Fabrióleo ultrapassou os limites legalmente exigidos no que às descargas de efluentes diz respeito. A Fabrióleo deveria divulgar todo o estudo, mas só divulga o que lhe interessa. Salienta-se que, através das análises efetuadas pelo IGAMAOT a 27 de Julho e a 7 de Setembro de 2016, no mesmo laboratório ao qual a Fabrióleo recorre para realizar as suas análises, verificou-se que as amostras ultrapassavam entre 40 e 70 vezes o Valor Limite de Emissão para todos os parâmetros analisados. No entanto, os valores divulgados pela Fabrióleo a análises feitas dias antes da inspecção do IGAMAOT de 27 de Julho são 5 vezes inferiores ao Valor Limite de Emissão.» Citando o estudo, considera o BE, “a discrepância verificada entre os valores do autocontrolo realizado pela Fabrióleo e os valores das análises da inspecção do IGAMAOT é estranha.”. Na opinião do BE, esta diferença «é mais suspeita do que estranha».

«Além das descargas que ultrapassam os limites legais e das ilegalidades de ordenamento do território, reconhecidas pelo dito estudo, construção de ETAR que nem sequer está prevista na licença, o estudo atribui os valores anormalmente altos à entrada em funcionamento desta ETAR», diz ainda o BE, ao mesmo tempo que, diz «é totalmente omisso quanto à origem e consumos de água, utilizada no processo industrial descrito e especialmente na lavagem de cisternas, produção de vapor. Assim como é omisso a quantidade de efluentes rejeitados mensalmente, apesar de a licença o exigir».

 Posteriormente a este estudo, conclui o comunicado do BE, «já a Fabrióleo foi alvo de processos por contra-ordenações graves cuja decisão final se aguarda. O BE aguarda as conclusões da última inspecção à empresa e faz votos para que este gravíssimo problema tenha uma solução definitiva».

Entretanto,  nenhum dos outros partidos da oposição veio a terreiro comentar este tema aparentemente complexo. O PS, que apoia a maioria no executivo, também não disse uma palavra.

A maioria socialista da câmara continua en silêncio, tendo-se limitado a fazer chegar aos jornais um desmentido subscrito por uma funcionária do gabinete de imprensa, e que é lacónico:: "No seguimento do que tem sido recentemente publicado por alguns meios de comunicação, informa-se que não foi emitido qualquer alvará de licença por parte da Câmara Municipal de Torres Novas para a obra de Estação de Tratamento de Águas Residuais (ETAR) biológica, não existindo, portanto, para aquela operação urbanística, qualquer título de licenciamento".

 

 

 

 Outras notícias - Sociedade


Como prevenir gripes e constipações »  2017-12-13  »  Juvenal Silva

Com a chegada do tempo frio é também chegado o momento mais propício para o desenvolvimento das doenças respiratórias, como gripes ou resfriados, vulgo constipações. São doenças virais em que os antibióticos não surtem qualquer efeito, por serem impotentes nestas circunstâncias e destruírem a flora intestinal e debilitarem o sistema imunitário.
(ler mais...)


O Riachense está a festejar os 40 anos »  2017-12-09 

O jornal O Riachense assinala este fim de semana os 40 anos da sua segunda fase de publicação, iniciada justamente em 1978, de início sob a égide da “Cooperativa Editora Escrever É Lutar”, de Torres Novas, que na altura editava o semanário A Forja.
(ler mais...)


Fátima: GNR apreendeu material contrafeito e máquinas de jogo ilegal »  2017-12-08 

O Comando Territorial de Santarém da GNR anunciou ue apreendeu diversos artigos contrafeitos e máquinas de jogo ilegal no concelho de Fátima “durante uma fiscalização a estabelecimentos”. Numa nota de imprensa, fonte policial refere que os militares entraram num café onde estava um indivíduo com uma banca a vender artigos contrafeitos, o qual foi identificado e foram apreendidos 21 pares de ténis e 11 óculos de sol.
(ler mais...)


Operação de Reabilitação Urbana (ORU): PSD espera pouco do programa socialista e abstém-se »  2017-12-06 

“Votar esta operação de reabilitação sistemática da ARU de Torres Novas – Centro Histórico quase no último dia possível, faz com que qualquer discussão sobre este tema não possa ser, agora, muito séria”, diz o PSD em comunicado, a respeito do tema, que foi presente a uma recente reunião extraordinária da câmara de Torres Novas.
(ler mais...)


"A presença da serra": escultura para ver na biblioteca municipal »  2017-12-02 

“A presença da serra” é o título de uma bela exposição, inaugurada hoje, sábado, na biblioteca municipal, composta por cerca dezenas de trinta esculturas de dois artistas, Luiz Rodrigues e Carlos Clara.
(ler mais...)


Olhos de Água: águas negras junto à nascente »  2017-12-01 

Hoje, sexta, dia 1, as águas do rio Alviela, imediatamente junto à nascente, na praia fluvial dos Olhos de Água, surgiram escuras e vagamente avermelhadas, denotando-se ainda a existência de espuma à superfície e um mau cheiro que se espalhou pela zona envolvente.
(ler mais...)


Fabrióleo condenada a pagar 27 mil euros por infracções ambientais »  2017-11-30 

A Fabrióleo foi multada em 27 mil euros por infracções detectadas na gestão de resíduos, emissão de poluentes do ar e descarga de águas residuais, anunciou o Ministério do Ambiente.

No seguimento de acções da Inspecção geral da Agricultura, Mar, Ambiente e Ordenamento do território (IGAMAOT), em Julho e Setembro de 2016, "procedeu-se à instauração de um processo de contraordenação" tendo sido decidido avançar com "condenação com aplicação de uma coima no valor de 75 mil euros", disse à agência Lusa fonte do Ministério.
(ler mais...)


Médio Tejo: comunidade intermunicipal pede equidade de tratamento nos territórios afectados pelos incêndios »  2017-11-23 

A Comunidade Intermunicipal do Médio Tejo (CIMT) pede “equidade de tratamento entre os vários territórios assolados pelos grandes incêndios” que ocorreram este ano, aprovando para isso uma moção com diversos pontos.
(ler mais...)


Nersant organiza workshop sobre inovação e sustentabilidade »  2017-11-23 

A Associação Empresarial da Região de Santarém (Nersant) vai realizar nos dias 29 e 30 de Novembro um fórum de inovação e empreendedorismo do Ribatejo, no Convento de São Francisco e Startup Santarém.
(ler mais...)


Centro Hospitalar trem nova viatura de emergência médica »  2017-11-23 

O Centro Hospitalar do Médio Tejo (CHMT) foi um das 22 unidades do país que recebeu uma nova Viatura Médica de Emergência e Reanimação (VMER), viaturas que foram entregues pelo secretário de Estado da Saúde numa cerimónia que decorreu no dia 22 de Novembro, no hospital Professor Doutor Fernando Fonseca.
(ler mais...)

 Mais lidas - Sociedade (últimos 10 dias)
»  2017-12-06  Operação de Reabilitação Urbana (ORU): PSD espera pouco do programa socialista e abstém-se
»  2017-12-08  Fátima: GNR apreendeu material contrafeito e máquinas de jogo ilegal
»  2017-12-09  O Riachense está a festejar os 40 anos