• SOCIEDADE-  • CULTURA  • DESPORTO  • OPINIÃO
  Segunda, 22 Julho 2019    |      Directora: Inês Vidal    |      Estatuto Editorial    |      História do JT
   Pesquisar...
Qui.
 32° / 17°
Períodos nublados
Qua.
 36° / 17°
Períodos nublados
Ter.
 31° / 17°
Períodos nublados
Torres Novas
Hoje  37° / 16°
Céu limpo
       #Alcanena    #Entroncamento    #Golega    #Barquinha    #Constancia 

Torres Novas: regressão demográfica ameaça coesão do concelho como a conhecemos

Sociedade  »  2019-01-17 

Até aqui pensava-se que Torres Novas iria resistir à regressão demográfica, já clara há uns anos, de concelhos como Tomar e Abrantes, com grandes zonas “rurais”, para não falar de outros cujo cenário é catastrófico. Mas as projecções apontam o mesmo caminho para o município torrejano: o futuro é negro.

 Os dados do último recenseamento da população, de 2011, vinham confirmar um cenário de enorme regressão demográfica da região, com quase todos os concelhos a perderam habitantes numa tendência persistente e imutável. Desse quadro, apenas escapavam o Entroncamento, que não tendo perdido população, apresentava já essa tendência futura devido ao envelhecimento da sua pirâmide de idades, o de Torres Novas que praticamente mantinha a sua população, contrariando a tendência geral, e pouco mais.

 Afinal, o cenário futuro não é nada famoso para Torres Novas e a regressão demográfica geral da região também vai estender-se ao concelho torrejano, a crer no diagnóstico realizado pelo gabinete de estudos do sociólogo David Justino, antigo ministro da Educação, a respeito do plano educativo para Torres Novas.

 O estudo inclui uma caracterização do concelho, através da análise de alguns parâmetros, e entre eles uma projecção demográfica para os próximos anos: isto é, não se trata de uma situação remota, mas presente daqui a meia dúzia de anos, e a principal e mais perturbadora questão é a praticamente irreversível regressão demográfica da população torrejana para níveis nunca conhecidos.

 Com cerca de 35 mil habitantes em 2011, altura do Censo, o concelho de Torres Novas deverá perder, segundo a projecção de David Justino, cerca de 3500 habitantes até 2025, isto é, 10% da sua população em escassa meia dúzia de anos. Uma das consequências visíveis será a diminuição do número global de estudantes, que deverão ser menos 1000, de resto de acordo com os sinais que já se vão verificando.

 O saldo migratório “interno” muito negativo que já se observa há anos em todas as freguesias (onde a população diminui a favor das zonas mais centrais e urbanas) será agora um saldo migratório negativo para o próprio concelho, que não tem capacidade de atrair gente de fora que atenue o seu saldo fisiológico negativo (o facto de morrerem mais pessoas do que as que nascem).

 Há outra consequência muito desastrosa que ameaça destruir a coesão social e económica do concelho como a temos vindo a conhecer: em cima desta regressão demográfica, e devido ao envelhecimento da população, teremos uma percentagem elevada de gente acantonada em lares e instituições similares, ou pelos fora dos circuitos e actividades daquilo que se considera população activa. E poderá existir falta de mão de obra para sectores de actividade específicos, quer para trabalhos mais indiferenciados, quer no que toca a quadros superiores, se a cidade continuar a não possuir atractividade para classes “médias”.

 Para além de um “centro histórico” totalmente destruído (isto é, sem qualquer retoma demográfica), que será nula com as anunciadas obras do PEDU, a cidade tem centenas de casas vazias (3000 no total do concelho) e as próprias zonas urbanas mais recentes não foram desenhadas de modo a serem, por si, locais de residência atractivos: a eventual qualidade dos apartamentos não conta nada quando os moradores esperam dezenas de anos por uma bocado de relva à saída da porta em vez do matagal, como acontece na nova urbanização dos Negréus.

 As projecções do estudo, que são praticamente certezas, vêm provar que as políticas locais das autarquias não tiveram capacidade de contrariar a tendência geral de despovoamento de todo o país interior, que na verdade é todo o território nacional menos as áreas metropolitanas de Lisboa e Porto, o eixo Braga-Guimarães, e centralidades muito concretas no meio do deserto, como Viseu, e pouco mais.

 Quanto aos dados específicos da educação, o estudo do antigo ministro apresenta alguns indicadores para o concelho, nomeadamente a elevada média de idades do pessoal docente (48,7 anos, superior à média nacional), uma percentagem de retenções e de desistências no ensino secundário muito alta (25,8%) e uma média de alunos por turma também superior à média nacional. São apenas alguns exemplos do diagnóstico realizado para enquadra a carta educativa do concelho.

 

 

 

 

 

 

 Outras notícias - Sociedade


Olá cidade! »  2019-07-09 

Torres Novas comemorou ontem, dia 8 de Julho, mais um aniversário da elevação a cidade. Dias antes, terá havido em local apropriado mais uma jornada, mais uma, de apresentação de obras digitais. Milhões de flores entre as ruínas, como diz a canção.
(ler mais...)


Legislativas: PSD agastado, PS calado, Bloco rachado, PCP ao lado »  2019-07-06 

As listas dos candidatos às legislativas de Outubro, pelo distrito de Santarém, estão na ordem do dia e mobilizam as máquinas partidárias. São processos em que corre sempre algum sangue, com os contendores a evocarem “a vontade do povo”, “o povo do distrito” e outros argumentos patéticos para justificar intenções, vontade e decisões, quando elas passam e só, pela arregimentação de militantes.
(ler mais...)


Judite Gonçalves, proprietária de loja de ferragens no largo da botica: “Vim para ficar, pelo menos mais trinta anos” »  2019-07-04 

Judite Gonçalves tem 50 anos e é natural de Tomar, embora viva desde sempre no concelho de Torres Novas. Filha de pai outeirense e mãe moreirense, há 30 anos que reside no Outeiro Pequeno. Nunca antes

Um ramo de flores vermelhas no balcão recebe-nos quando entramos e vemos que alguma coisa mudou por ali.
(ler mais...)


Petição pelo fim imediato e definitivo dos aterros no aeródromo de Pias Longas »  2019-06-30 

Corre na net e tem já dezenas de subscritores uma petição pública exigindo o fim imediato e definitivo dos aterros no “aeródromo de Pias Longas”, um projecto implantado na fronteira entre os concelhos de Ourém e Torres Novas, no caso do município torrejano em território da freguesia de Chancelaria, próximo do Senhor da Serra e dos Moinhos da Pena.
(ler mais...)


Master D Portugal – conheça a história e as opiniões sobre este centro de formação »  2019-06-27 

PUB.

Master D Portugal – conheça a história e as opiniões sobre este centro de formação

Encontrar um trabalho ainda é uma tarefa preocupante para os jovens e adultos.
(ler mais...)


Catarina Picton Santos: “Manter viva esta escola é uma homenagem à minha mãe” »  2019-06-21 

Esta não é a história de uma mulher num lugar outrora reservado a homens. É muito mais do que isso.
É a história de uma mulher, de um exemplo, de um legado e das mulheres que a sucedem.
(ler mais...)


Aterro do aeródromo continua perante a passividade da maioria socialista »  2019-06-09 

Aquilo que poderá ser um enorme atentado ecológico contra o território do concelho, continua como se nada fosse. Num mês, mais algumas toneladas foram acrescentadas ao aterro do alegado aeródromo de Pias Longas.

O avanço dos aterros, segundo os limites administrativos entre Torres Novas e Ourém, entrou agora muito mais de 200m no concelho de Torres Novas, perfazendo uma área de implantação de mais de 20 000 metros quadrados.
(ler mais...)


Ainda as eleições: Tomar, Abrantes e Mação em queda acentuada num distrito quase todo a encolher »  2019-06-06 

Nos últimos cinco anos, o distrito de Santarém perdeu mais de 15 mil eleitores. Dos 21 concelhos, 20 deles perderam eleitores e vão continuar a perder população. Apenas o concelho de Benavente dá conta de um aumento, resultado da sua proximidade com a área metropolitana de Lisboa, onde o rio o liga a outro concelho ribatejano a crescer, o de Vila Franca de Xira.
(ler mais...)


Escola Maria Lamas: alunos de Humanidades debateram a Europa »  2019-06-03 

Os alunos de Línguas e Humanidades, dos 11º e 12º anos, da Escola Secundária de Maria Lamas, debateram no dia 3 de Junho o projecto europeu, durante o Colóquio “Europa, para que te quero”. Esta actividade foi uma organização conjunta das disciplinas de Ciência Política, História, Geografia e História da Cultura e das Artes.
(ler mais...)


Vitória pífia do PS nas Europeias de ontem: do poucochinho de Seguro ao poucochito de Costa »  2019-05-27 

Ao contrário do que os comentadores se apressaram a dizer na noite de ontem, a vitória do PS/Costa nas Europeias deste ano foi uma vitória pífia: os socialistas tiveram um aumento de votos menor que do que o da direita que formou a coligação de há cinco anos acabou por averbar.
(ler mais...)

 Mais lidas - Sociedade (últimos 30 dias)
»  2019-07-04  Judite Gonçalves, proprietária de loja de ferragens no largo da botica: “Vim para ficar, pelo menos mais trinta anos”
»  2019-06-30  Petição pelo fim imediato e definitivo dos aterros no aeródromo de Pias Longas
»  2019-07-06  Legislativas: PSD agastado, PS calado, Bloco rachado, PCP ao lado
»  2019-06-27  Master D Portugal – conheça a história e as opiniões sobre este centro de formação
»  2019-07-09  Olá cidade!