• SOCIEDADE-  • CULTURA  • DESPORTO  • OPINIÃO
  Sexta, 27 Janeiro 2023    |      Directora: Inês Vidal    |      Estatuto Editorial    |      História do JT
   Pesquisar...
Seg.
 12° / 1°
Céu limpo
Dom.
 12° / 1°
Céu limpo
Sáb.
 13° / 2°
Períodos nublados
Torres Novas
Hoje  14° / 3°
Céu limpo
       #Alcanena    #Entroncamento    #Golega    #Barquinha    #Constancia 

Censos: três freguesias de Torres Novas com dados duvidosos

Sociedade  »  2021-08-11 

A freguesia de Olaia/Paço surge com menos habitantes que eleitores, Pedrógão e Chancelaria praticamente não teriam gente entre os 0 e os 17 anos, a crer nos dados oficias. Situações difíceis de explicar.

Comecemos pelo princípio: os dados aqui referidos são oficiais. Trata-se do número de eleitores por freguesias e concelhos, publicados no mapa oficial em Diário da República de 17 de Junho e com referência a escassos dias anteriores a essa data, por um lado, e os dados preliminares do recenseamento geral da população, Censos 2021, também oficialmente divulgados, cujo momento censitário coincidiu praticamente com o fecho dos cadernos eleitorais. Isto é, não há desfasamento temporal que introduza qualquer impossibilidade de comparar uns dados com outros. Os censos apuraram o total da população residente, o recenseamento eleitoral as pessoas com mais de 18 anos nas mesmas circunscrições administrativas, freguesias e concelhos, praticamente na mesma data.

Grosso modo, em cada freguesia ou concelho, subtraindo ao número de habitantes o número de eleitores, teríamos o número de pessoas com idades entre os 0 e os 17 anos. Chamemos-lhe “jovens” por facilidade discursiva (as idades entre os 0 e os 17 anos não constituem uma categoria aplicada na análise demográfica, mas têm aqui função meramente estatística e comparativa).

Segundo os dados referidos, Torres Novas tem 34 149 Habitantes e 30 745 eleitores. Fazendo a subtracção, teria 3 404 pessoas com idades entre os 0 e os 17 anos, isto, é 9,9% de “jovens”. Abrantes é um concelho mais envelhecido, com 34 351 habitantes e 31 614 eleitores. Os “jovens” seriam 2 737, ou seja, 7,9% da população. Tomar está numa situação pior, com 36 444 habitantes, 33 895 eleitores e apenas 2 549 “jovens”, que seriam 6,9% da população total. Ainda em tendência semelhante, para pior, estará Alcanena, com 12 478 habitantes, 11 710 eleitores e 768 “jovens”, apenas 6,1% da população, a mais envelhecida nestes concelhos vizinhos.

Já o Entroncamento está noutro patamar, com uma população menos envelhecida, ou seja, maior percentagem de jovens face à população total. A cidade ferroviária tem 20 140 habitantes e 16 966 eleitores, e 3 174 “jovens”, ou seja, 15,7% da população total. Até aqui, nada de anormal: a maior parte dos concelhos portugueses tem população muito envelhecida, depois há algumas dezenas com tendência mais positiva, ainda que longe dos valores de há 20 ou 30 anos. Se o Entroncamento tecnicamente manteve a mesma população de há 10 anos (a descida do número de habitantes e de eleitores foi residual) e se os outros concelhos tiveram quebras substanciais, é expectável que a cidade ferroviária tenha mais população “jovem” que aqueles municípios.

Vejamos agora o cenário mais ao detalhe, isto é, por freguesias. E aqui, no caso de Torres Novas, e fazendo o mesmo exercício comparativo, há freguesias mais jovens e menos jovens. Santa Maria, por exemplo, tem 15,7% de pessoas com idades entre os 0 e os 17 anos (um valor igual ao da cidade do Entroncamento). Já São Pedro tem apenas 9,1% de “jovens”, sendo uma freguesia mais envelhecida. No topo está a Meia Via, com 18% de jovens dos 0 aos 17, Assentis com 6,1% e Brogueira/Alcorochel/Parceiros, com 7,8% estão no patamar das mais envelhecidas, Riachos numa posição de meio caminho, com 11,5% de “jovens”.

O pior são os dados das freguesias de Olaia/Paço, Chancelaria e Pedrógão. Para a Chancelaria, os censos atribuem-lhe 1429 habitantes e o recenseamento eleitoral 1424 eleitores. Isto é, fazendo a diferença, a freguesia só teria cinco habitantes com idades entre os 0 e os 17 anos. O Pedrógão, com 1757 habitantes e 1731 eleitores, teria apenas 26 “jovens” em todas as aldeias que compõem a freguesia. Não pode ser. O caso extremo é o da freguesia de Olaia, com 2022 habitantes e 2028 eleitores: absurdo. É verdade que esta freguesia já em censos anteriores teve uma queda de 16% da sua população, a mesma que agora se verifica para os últimos 10 anos, mas custa a crer que, dada a sua já pequena dimensão, tenha perdido 387 habitantes. Mais: os dados são inverosímeis.

Nestas situações, pensa-se o óbvio: ou há casos em que se verificou atraso no descarregamento de óbitos nos cadernos eleitorais, aparecendo estes com números inflacionados, ou então houve problemas de registo de toda a população nos trabalhos dos censos. No caso, e dadas as condições em que decorreu a operação censitária, no meio de uma pandemia e com o recurso a registos também via net, da responsabilidade individual, é natural que haja erros deste tipo. O problema é se, a serem eles generalizados e as três freguesias de Torres Novas (um terço do total) constituírem a ponta do iceberg de um quadro mais geral, então teremos números pouco fiáveis sobretudo para os contextos “rurais” de populações mais dispersas ou que, por uma razão ou por outra, escaparam à malha da operação censitária.

Aliás, mesmo os números gerais para o concelho de Torres Novas geram algumas dúvidas: como vimos, comparando os dados, 3 304 “jovens” de menos de 18 anos para todo o concelho. Ora, a população escolar dos dois agrupamentos, a partir dos 3 anos de idade, ultrapassa razoavelmente esse número. É verdade que há alunos com 18 anos, mas há a considerar as crianças até aos 3 anos que ainda não estão no sistema de ensino. Ou então, no geral faltam realmente os números verdadeiros de “jovens” de Chancelaria, Pedrógão e Olaia/Paço.

De resto, estas dúvidas parecem ainda ser mais evidentes nos casos de Tomar e Abrantes, onde a comparação dos dados dos censos e dos cadernos eleitorais dá um número muito baixo de população com idades entre os 0 e os 17 anos.

 

 

 

 Outras notícias - Sociedade


Antigo edifício da CGD: “Desgraça anunciada”, diz MPNT, “Confiei no presidente”, confessa Tiago Ferreira »  2023-01-21 

Depois da tomada de posição do Bloco de Esquerda, é a vez do Movimento Pela Nossa Terra (MPNT), de António Rodrigues, vir à liça na questão da cedência gratuita do edifício da antiga Caixa Geral de Depósitos a uma empresa recente, sem histórico na actividade médica a que se propõe e sem capita social compatível, no imediato, para o empreendimento anunciado.
(ler mais...)


Bloco sobre abate de árvores na Silvã: “Surpresa, estupefação e indignação” »  2023-01-20 

“Foi com surpresa, estupefação e indignação que o Bloco de Esquerda de Torres Novas teve conhecimento do abate de árvores no âmbito da “empreitada de mobilidade urbana sustentável” a decorrer na rua Luís de Camões, na Silvã, na cidade de Torres Novas”, diz o BE em comunicado, adiantando que de imediato dirigiu uma mensagem ao presidente da Câmara Municipal no sentido de a obra parar e serem pensadas alternativas, mas infelizmente a resposta foi negativa e o abate continua, sublinham os bloquistas.
(ler mais...)


Bloco e o antigo edifício da CGD, versão Pimenta Machado: ontem era Startup de Torres Novas, hoje é para ceder grátis a privados »  2023-01-17 

A Câmara Municipal de Torres Novas adquiriu, em 2020, o antigo edifício da CGD por 200.000 euros com o objectivo de aí instalar a StartUp de Torres Novas, dando vida ao centro histórico da cidade e assumindo-se como espaço privilegiado de criação de modelos de negócios, de licenciamento e criação de empresas.
(ler mais...)


Sexta d´Ideias debate sexualidades »  2023-01-11 

O Bloco de Esquerda de Torres Novas regressa aos debates Sexta d´Ideias. O ano abre com o tema "Sexualidades e Identidades", sexta, nos antigos paços do concelho, às 21 horas. Gonçalo Cavalheiro, Jessica Vassalo e Júlia Pereira, com moderação de Ana Alves.
(ler mais...)


PUB - CONVOCATÓRIA CLUBE DE CAMPISMO TORREJANO »  2023-01-09 

CLUBE DE CAMPISMO TORREJANO

ASSEMBLEIA GERAL
CONVOCATÓRIA

De acordo com os estatutos em vigor, convocam-se todos os associados do Clube de Campismo Torrejano para uma Assembleia Geral ordinária, a realizar no próximo dia 19 de Janeiro de 2023, pelas 19.
(ler mais...)


Associação do Património debate património industrial »  2023-01-05 

 “Debates e Práticas sobre Património Industrial” é o tema do próximo Encontro do Solstício, o espaço de reflexão e discussão que a Associação de Defesa do Património de Torres Novas promove duas vezes por ano, e que se realiza no próximo sábado, dia 7 de Janeiro, pelas 21H30, na sua sede do Largo do Paço.
(ler mais...)


Natal alegre na rua da Levada »  2022-12-23 

Tem sido uma semana de animação e alegria, aquela que é proporcionada por alguns comerciantes da rua da Levada no sentido chamar quem passa a dar atenção ao comércio tradicional.

Um Pai Natal e alguns músicos assentaram por estes dias frente à loja da Fótica, dando um pequeno toque de alegria à rua e encantando miúdos e graúdos.
(ler mais...)


Um pão nosso todos os dias »  2022-12-16 

Anuncia que diariamente tem ao dispor dos clientes pão de trigo, pão de rama (centeio, cevada, trigo), chapatas pequenas, bolinhas de passas, focaccia, pão com chouriço, pão com chouriço vegetariano, barras de sésamo, rolos de canela.
(ler mais...)


Oposição ignorada na visita dos deputados do PS a Torres Novas »  2022-12-06 

Podia ser uma fotografia da família PS à espera da hora da visita para ir ver o doente, mas não:  saõ os deputados socialistas eleitos pelo distrito de Santarém que vieram a Torres Novas para visitar a Câmara Municipal, o que causou a indignação da oposição, que não foi informada da visita dos parlamentares.
(ler mais...)


Jasmim: um oásis de beleza e bons sabores »  2022-12-03 

Passado o tempo justo que conduz à calma navegação que só se afirma depois das euforias iniciais, muitas vezes enganadoras e de julgamento precipitado, impunha-se a visita ao “Jasmim”, acantonado no largo do Paço com entrada pela rua José Vasconcelos Correia, local privilegiado do centro da vila onde outrora, às segundas-feiras, acorriam milhares de pessoas a circular em volta dos enormes cachos de bananas, expostos logo ali no largo em frente, pintos e galinhas lá atrás, e onde estacionava toda a sorte de vendedores que davam vida a um dos polos do antigo mercado municipal.
(ler mais...)

 Mais lidas - Sociedade (últimos 30 dias)
»  2023-01-17  Bloco e o antigo edifício da CGD, versão Pimenta Machado: ontem era Startup de Torres Novas, hoje é para ceder grátis a privados
»  2023-01-21  Antigo edifício da CGD: “Desgraça anunciada”, diz MPNT, “Confiei no presidente”, confessa Tiago Ferreira
»  2023-01-05  Associação do Património debate património industrial
»  2023-01-09  PUB - CONVOCATÓRIA CLUBE DE CAMPISMO TORREJANO
»  2023-01-20  Bloco sobre abate de árvores na Silvã: “Surpresa, estupefação e indignação”