• SOCIEDADE-  • CULTURA  • DESPORTO  • OPINIÃO
  Sábado, 24 Agosto 2019    |      Directora: Inês Vidal    |      Estatuto Editorial    |      História do JT
   Pesquisar...
Ter.
 26° / 17°
Períodos nublados
Seg.
 28° / 16°
Períodos nublados
Dom.
 31° / 15°
Períodos nublados
Torres Novas
Hoje  33° / 17°
Períodos nublados
       #Alcanena    #Entroncamento    #Golega    #Barquinha    #Constancia 

Morreu Joaquim da Silva Lopes (actualizada e corrigida)

Sociedade  »  2019-01-17 

Funeral é amanhã, sábado, em Torres Novas, às 15 horas

Funeral realiza-se amanhã, sábado, com saída da casa mortuária de Torres Novas às 15 horas para o cemitério municipal, onde decorrerá pequena cerimónia às 15h30. Velório é amanhã, sábado, a partir das 9 horas da manhã.

Joaquim da Silva Lopes, primeiro director desta série do JORNAL TORREJANO, tinha 72 anos e era natural de Curvaceiras (Paialvo, Tomar).

Radicado em Torres Novas desde o início da década de 70 do século passado, residira entretanto durante alguns anos em Riachos, onde colaborou estreitamente com o jornal “O Riachense”, de que foi sub-director.

Frequentou os seminários de Santarém e de Almada, mas acabou por abandonar esse percurso no momento de continuar os estudos teológicos no seminário dos Olivais, onde não chegou a dar entrada.

Ainda com 17 anos, ofereceu-se como voluntário para a Força Aérea, aos 20 era furriel e aos 21 segundo-sargento, exercendo funções no gabinete de controlo aéreo da Base Aérea da Ota. Optou por abandonar a possibilidade da vida militar por recusar vir a participar na guerra colonial.

Após várias experiências profissionais em diversos ramos, que o levaram a percorrer o país de norte a sul, acabou por ingressar no Instituto de Emprego e Formação Profissional, em Tomar, mas em 1973, com o riachense Carlos Baleco, abria a delegação em Torres Novas, onde foi técnico de emprego durante décadas e granjeou grande simpatia junto de quem com ele se cruzou e dele levou sempre uma palavra amiga e de genuíno interesse pela resolução dos problemas dos mais desfavorecidos.

Desde muito cedo se interessou pela vida das pessoas que o rodeavam, tendo abraçado também, ainda muito novo, ideais políticos que advogavam a mudança social e a liberdade. Ainda na sua aldeia natal, começou por dinamizar um grupo de jovens ligado à paróquia, cujas realizações tiveram o condão de perturbar a ordem vigente. Vem daí, do boletim que produzia para esse grupo de jovens, o gosto pelos jornais e pelo jornalismo, tendo chegado, ainda muito novo, a ser correspondente de alguns diários nacionais.

A seguir ao 25 de Abril empenhou-se ainda mais na luta política, tendo sido um activo militante da UDP e de organizações ligadas à esquerda (foi eleito, em 1982, para a assembleia de freguesia de Riachos), mas acabaria por desinteressar-se da política activa ainda na década de 80, para optar por projectos cívicos e associativos (esteve, por exemplo, na direcção da SOPOVO, cooperativa de habitação económica de Riachos, para onde foi residir em 1981 até aos anos 90).

Depois de ter participado na fase de relançamento de “O Riachense”, ainda o jornal de Riachos era um mensário (foi sub-director entre 1982 e 1986), integrou desde início a equipa fundadora do JORNAL TORREJANO, em 1992, que poria o jornal nas bancas em 1994. Foi o primeiro director do jornal e foi no periódico torrejano que pôde dar largas ao seu enorme talento jornalístico, que aliava a uma cultura enciclopédica, dando corpo a páginas e páginas de grandes entrevistas, reportagens e crónicas.

Nos anos em que esteve ao serviço do JORNAL TORREJANO foi um grande formador de muitos jornalistas que passaram por esta casa, dado o nível raro e extraordinário com que dominava as artes da escrita e os segredos da utilização escrita da língua portuguesa, resultante dos seus conhecimentos de etimologia e filologia. Mas, os seus saberes iam muito para além dos relacionados com escrita e jornais: Joaquim da Silva Lopes era uma pessoa ávida pelo conhecimento e espantava-se permanentemente com a aventura humana do conhecimento. Por isso, era uma grande leitor, um entusiástico leitor e nos últimos anos continuava a partilhar com os mais próximos as suas contínuas “descobertas”.

Amava a música: era capaz, ainda hoje, de cantar dezenas de canções inteiras, letras sem falha, dos Beatles (uma grande paixão) e de outros grupos e cantores da sua juventude, também franceses e italianos, de que compilava cadernos quando jovem, num tempo em que os discos não traziam escritos.

O Joaquim da Silva Lopes, o “nosso director”, o Quim, foi encontrado sem vida na noite de ontem junto à barragem do Castelo do Bode. Deixa-nos, a nós e à família, consternados, e uma imensa tristeza instalada nos nossos corações.

 

 

 

 Outras notícias - Sociedade


Torres Novas: manuais gratuitos para o 3.º CEB e secundário »  2019-08-15 

O executivo municipal aprovou por unanimidade o alargamento da distribuição gratuita de manuais escolares aos alunos do escalão A e B do 3.º CEB (ciclo do ensino básico) e ensino secundário.

“No âmbito das competências de acção social da câmara, já são comparticipados os cadernos de actividades aos alunos até ao 6.
(ler mais...)


Legislativas: mulheres chegam-se à frente na região mais marialva do antigamente »  2019-08-09 

No Ribatejo, aquele Ribatejo marialva de antigamente, já nada é o que era. Quatro dos cinco partidos com representação parlamentar no distrito, PS, PSD, CDS e Bloco apresentam mulheres como cabeças de lista às legislativas de Outubro.
(ler mais...)


Pias Longas: QUERCUS exige responsabilidades e arrasa autarquias »  2019-07-26 

A QUERCUS acaba de tomar posição sobre os aterros ilegais do aeródromo de Pias Longas e é contundente: faz notar que mesmo após o embargo da Câmara de Ourém, continuaram os aterros, que se traduzem no “grave atentado ambiental”.
(ler mais...)


Pias Longas: aterros já chegam aos caminhos e trilhos utilizados por população e desportistas »  2019-07-22 

 

Os aterros, constituídos por toneladas de pedras e terra, que pretendem alongar a pista do aeródromo de Pias Longas, na fronteira entre os concelho de Ourém e Torres Novas, continuam em marcha, apesar do alegado embargo decretado pela câmara de Ourém e da alegada comunicação da câmara de Torres Novas junto do município vizinho.
(ler mais...)


Olá cidade! »  2019-07-09 

Torres Novas comemorou ontem, dia 8 de Julho, mais um aniversário da elevação a cidade. Dias antes, terá havido em local apropriado mais uma jornada, mais uma, de apresentação de obras digitais. Milhões de flores entre as ruínas, como diz a canção.
(ler mais...)


Legislativas: PSD agastado, PS calado, Bloco rachado, PCP ao lado »  2019-07-06 

As listas dos candidatos às legislativas de Outubro, pelo distrito de Santarém, estão na ordem do dia e mobilizam as máquinas partidárias. São processos em que corre sempre algum sangue, com os contendores a evocarem “a vontade do povo”, “o povo do distrito” e outros argumentos patéticos para justificar intenções, vontade e decisões, quando elas passam e só, pela arregimentação de militantes.
(ler mais...)


Judite Gonçalves, proprietária de loja de ferragens no largo da botica: “Vim para ficar, pelo menos mais trinta anos” »  2019-07-04 

Judite Gonçalves tem 50 anos e é natural de Tomar, embora viva desde sempre no concelho de Torres Novas. Filha de pai outeirense e mãe moreirense, há 30 anos que reside no Outeiro Pequeno. Nunca antes

Um ramo de flores vermelhas no balcão recebe-nos quando entramos e vemos que alguma coisa mudou por ali.
(ler mais...)


Petição pelo fim imediato e definitivo dos aterros no aeródromo de Pias Longas »  2019-06-30 

Corre na net e tem já dezenas de subscritores uma petição pública exigindo o fim imediato e definitivo dos aterros no “aeródromo de Pias Longas”, um projecto implantado na fronteira entre os concelhos de Ourém e Torres Novas, no caso do município torrejano em território da freguesia de Chancelaria, próximo do Senhor da Serra e dos Moinhos da Pena.
(ler mais...)


Catarina Picton Santos: “Manter viva esta escola é uma homenagem à minha mãe” »  2019-06-21 

Esta não é a história de uma mulher num lugar outrora reservado a homens. É muito mais do que isso.
É a história de uma mulher, de um exemplo, de um legado e das mulheres que a sucedem.
(ler mais...)


Aterro do aeródromo continua perante a passividade da maioria socialista »  2019-06-09 

Aquilo que poderá ser um enorme atentado ecológico contra o território do concelho, continua como se nada fosse. Num mês, mais algumas toneladas foram acrescentadas ao aterro do alegado aeródromo de Pias Longas.

O avanço dos aterros, segundo os limites administrativos entre Torres Novas e Ourém, entrou agora muito mais de 200m no concelho de Torres Novas, perfazendo uma área de implantação de mais de 20 000 metros quadrados.
(ler mais...)

 Mais lidas - Sociedade (últimos 30 dias)
»  2019-07-26  Pias Longas: QUERCUS exige responsabilidades e arrasa autarquias
»  2019-08-09  Legislativas: mulheres chegam-se à frente na região mais marialva do antigamente
»  2019-08-15  Torres Novas: manuais gratuitos para o 3.º CEB e secundário