• SOCIEDADE-  • CULTURA  • DESPORTO  • OPINIÃO
Directora: Inês Vidal   |     Segunda, 20 de Novembro de 2017
Pesquisar...
Qui.
 22° / 12°
Períodos nublados
Qua.
 21° / 8°
Céu nublado
Ter.
 21° / 7°
Períodos nublados
Torres Novas
Hoje  22° / 8°
Claro
       #Alcanena    #Entroncamento    #Golega    #Barquinha    #Constancia 

Relvado sintético de Torres Novas: a mentira tinha perna curta

Sociedade  »  2017-04-13 

Quando, no início de Janeiro, o JT avançou com a notícia de que a Associação de Futebol de Santarém não tinha dado luz verde ao campo sintético de Torres Novas e que a implantação do relvado tinha sido um logro, já que tudo o mais estava por fazer, caiu o Carmo e só não caiu a Trindade porque muita gente viu que toda a história alternativa contada pela maioria socialista não batia certo.

Recorde-se que uma equipa técnica da AFS veio então a Torres Novas avaliar o estado em que ficou a “construção do relvado” e constatou o óbvio: só havia um relvado, mais nada. Nem vedações, nem acessos, nem uma simples bancada para acomodação dos assistentes, os ferros de protecção eram os mesmo, ferrugentos, de há 30 anos, a barreira caía para dentro das valas de escoamento, a iluminação, muito precária, era a mesma, não havia um balneário…enfim, aquilo não era um campo de jogos, mas um relvado sintético implantado no meio do caos. E dissemos que já não ia haver jogos oficiais na época corrente, porque as obras necessárias, que deveriam ter sido realizadas antes da implantação do tapete, não o iam permitir.

Pedro Ferreira e a sua equipa negaram o inegável: que era tudo mentira, que a AFS não tinha chumbado o campo (claro que não, ele nem sequer estava ainda em condições de poder ser chumbado ou aprovado) e que faltavam apenas “pequenos trabalhos complementares”. Que eram, afinal, como afirmávamos, todos os trabalhos.

Passados três meses, e com a época desportiva a acabar, aí está a verdade e a mentira: tudo está na mesma, não há sinais dos trabalhos complementares, não houve nem vai haver jogos oficiais. Desgraçadamente, a única obra feita foi a instalação de uma rede de protecção da propriedade camarária onde se situa o campo de jogos, mas que em rigor não tem nada que ver directamente com o campo: era uma vedação que já poderia ter sido feita há 30, há 20 ou há 10 anos. Mas, mais desgraçadamente, a implantação de uma rede de vedação da propriedade da câmara foi noticiada no site oficial com uma obra a decorrer, tendo faltado apenas a deposição da primeira pedra e os foguetes.

Fica claro aquilo que se desconfiava: a implantação apressada do relvado não passou de um floreado em ano de eleições. Falando de futebol, é uma obra feita com os pés denotando uma incompetência que chega a ser chocante.

 

 

 Outras notícias - Sociedade


Primeiro-ministro de Cabo Verde visitou “Lusitana” em Riachos »  2017-11-19 

Depois de ter chegado a Torres Novas, na quinta-feira, o primeiro-ministro de cabo Verde, Ulisses Correia, foi recebido na Turrisconta, empresa de contabilidade do antigo presidente da câmara, António Rodrigues, de quem partiu o convite para a visita, aliás como tinha sucedido há escassos meses com Xanana Gusmão.
(ler mais...)


Futebol: sorte macaca dos “amarelos” em Amiais (2-0) »  2017-11-19 

CD AMIENSE 2 CD TORRES NOVAS 0
Campos da Azenha, Amiais de Baixo, 18/11/17

CD AMIENSE: Chico; P. Lista, Leo G., Parreira, Costinha, Luís (Fábio), Tico, N. Tiago, Miguel, Ganso e Leo Silva (Arnaldo).
(ler mais...)


Marca reforça aposta em produtos ecológicos para uso doméstico »  2017-11-14 

A Renova reforça a sua oferta de produtos ambientalmente responsáveis com o lançamento da nova gama “Renova Love & Action”, composta por produtos distinguidos com o rótulo ecológico da União Europeia numa nova aposta da marca pioneira no sector em soluções ecológicas.
(ler mais...)


Jorge Traquina:”Minudências” num pequeno-grande livro de poesia »  2017-11-12 

Jorge Traquina da Silva está em Torres Novas há tanto tempo que se diria um torrejano de sempre, mas este improvável e talentoso poeta, nascido em Abrantes em 1959, pelas sombras melancólicas das vielas torrejanas vai encontrando a inspiração existencial que se desdobra depois em pequenas histórias de ver o mundo todo com uma enorme lucidez, ironia, graça e inteligência.
(ler mais...)


Diabetes uma doença em plena expansão - I »  2017-11-11  »  Juvenal Silva

A diabetes é uma doença em plena expansão e, de acordo com o relatório global da Organização Mundial de saúde divulgado em 7/4/2016, desde 1980, o número de pessoas com diabetes quadruplicou e atingiu os 422 milhões de pessoas em 2014.
(ler mais...)


Maria Lamas - vida e obra em exposição na Assembleia da República »  2017-11-08 

O presidente da Asssembleia da República, Eduardo Ferro Rodrigues, fez ontem o discurso de abertura da exposição "Maria Lamas - Mulheres, Paz, Liberdade", patente no palácio de São Bento até meados de Dezembro.
(ler mais...)


Vou ali salvar uma velhinha, e já venho »  2017-11-05 

Há histórias bonitas, que demonstram o que de melhor há no ser humano: a solidariedade. Numa semana marcada por violência, agressividade e desprezo pelo outro (leia-se o espancamento na noite/manhã de Lisboa), em Torres Novas há um enredo oposto.
(ler mais...)


Torres Novas: IMI fixado nos 0,38% para 2018 »  2017-11-03 

A Câmara Municipal de Torres Novas deliberou, na sua reunião de terça-feira (dia 31), manter a taxa de Imposto sobre Imóveis (IMI) nos 0,38% em 2018, a aplicar a todos os proprietários de imóveis no concelho, avaliados nos termos do Código do IMI.
(ler mais...)


Golegã volta a agitar-se com a feira de São Martinho »  2017-11-01 

“Reza a lenda que um cavaleiro gaulês, de nome Martinho, ao regressar a casa no meio de uma tempestade encontrou a meio do caminho um mendigo que lhe pediu uma esmola. O cavaleiro retirou das costas o manto que o aquecia, cortou-o ao meio com a espada e deu-o ao mendigo.
(ler mais...)


Entroncamento: petição pública reclama mais segurança »  2017-11-01 

No site www.peticaopublica.com está a ser subsrito um documento intitulado “Entroncamento Mais Seguro”, na qual se reclama, tal como o nome indica, uma cidade mais segura. Na petição, já assinada por mais de 500 pessoas, refere-se que o Entroncamento “é uma cidade insegura” e que há pessoas que, à noite, já não saem à rua.
(ler mais...)

 Mais lidas - Sociedade (últimos 10 dias)
»  2017-11-12  Jorge Traquina:”Minudências” num pequeno-grande livro de poesia
»  2017-11-19  Futebol: sorte macaca dos “amarelos” em Amiais (2-0)
»  2017-11-14  Marca reforça aposta em produtos ecológicos para uso doméstico