• SOCIEDADE-  • CULTURA  • DESPORTO  • OPINIÃO
Directora: Inês Vidal   |     Sábado, 18 de Novembro de 2017
Pesquisar...
Ter.
 21° / 7°
Claro
Seg.
 22° / 8°
Claro
Dom.
 21° / 8°
Claro
Torres Novas
Hoje  21° / 7°
Claro
       #Alcanena    #Entroncamento    #Golega    #Barquinha    #Constancia 

“Ti António” leva DIM da Assembleia com votos contra do Bloco (corrigida)

Sociedade  »  2017-07-13 

Empresa de resíduos perigosos é de Outeiro Pequeno

Estão a gozar com a nossa cara”, disse António Gomes, do BE

 A apreciação de vários pedidos de Declarações de Interesse Municipal (DIM), por parte de várias empresas do concelho, com vista a regularizarem, em grande parte dos casos, obras não licenciadas por terem sido realizadas de forma ilegal, constituía o assunto mais importante da assembleia municipal de Torres Novas, realizada na passada terça-feira.

O caso mais polémico dizia respeito à empresa de carnes “Ti António” que, conforme o JT noticiou, já tinha sido beneficiada com uma DIM em finais de 2015 para regularizar construções que não estavam licenciadas ate aí e que, agora, vinha pedir uma nova DIM, em forma de “aditamento”, para regularizar construções executadas no início deste ano de 2017 e que mereceram uma notificação da fiscalização camarária e a competente contra-ordenação, com vista à aplicação de uma multa, para além do embargo das obras, obrigatório nestes casos, procedimento este que se desconhece, em boa verdade, se foi executado pelo presidente da câmara conforma a lei manda.

O relatório dos serviços técnicos da câmara começa por induzir em erro quem o analisa, disse António Gomes, do BE, pois o aumento da área das construções que a empresa queria agora legalizar ao abrigo de uma lei de excepção se cifra em 39% da área actual e não em 19%, como escreve o técnico camarário. Gomes afirmou que esta atitude da empresa “Ti António”, de “construir obras clandestinas” depois de ter recebido uma DIM, aprovada pela câmara e pela assembleia, “é gozar com a nossa cara”. O vogal bloquista defendeu que aprovar o novo pedido da empresa era estar a utilizar duplicidade de critérios e que, quem aprovasse o pedido, estaria “a dar um tiro no pé”, referindo-se indirectamente ao caso da Fabrióleo.

José Luís Jacinto, do PSD, veio em socorro de António Gameiro, o proprietário da empresa, afirmando que “é muito boa pessoa”, “é de Torres Novas e tem de ser ajudado”, defendendo que as suiniculturas não poluem e que “o Bloco de Esquerda deve ter alguma coisa contra os porcos”, embora não se tenha referido às obras em causa, nem à contra-ordenação que foi movida à empresa. Arnaldo Santos, também da bancada do PSD perguntou como estava o processo de contra-ordenação, tendo o vice-presidente Luís Silva afirmado que “o processo está concluído”. Mais uma vez, nem o responsável do pelouro nem o presidente esclareceram como na realidade está o processo, se houve multa, se ela foi paga ou contestada pela empresa, tal como fez a Fabrióleo, se houve embrago das obras.

A CDU não teceu comentários à questão, remetendo a sua posição para uma declaração de voto a anexar à acta da sessão. Posta à votação, a DIM pedida pela “Ti António” foi aprovada pelos votos do PS, PSD, CDS e presidentes das juntas, a abstenção da CDU e o voto contra do Bloco de Esquerda.

Outro pedido de DIM dizia respeito a uma empresa de resíduos instalada no centro da aldeia de Outeiro Pequeno, cujo relatório técnico dos serviços camarários apontava para altos índices de perigosidade. A empresa trabalha com resíduos perigosos e está instalada no centro da própria povoação (imagem da foto), a actividade é susceptível de contaminar o sub-solo, mas o presidente da junta da freguesia de Assentis, Leonel Santos, disse: ”Quem nos dera que houvesse mais empresas como esta”.

Segundo o relatório técnico do processo, “verifica-se que o estabelecimento se localiza na rua Principal do aglomerado urbano de Outeiro Pequeno (…) acarreta inconvenientes para a população, destacando-se o ruído provocado pela actividade e o tráfego pesado (…) Considera-se a localização do estabelecimento como desfavorável. Destaca-se, por um lado, a inserção num núcleo urbano com os inerentes inconvenientes sobre a população e, por outro, o facto de a gestão de resíduos perigosos ser uma actividade com elevado risco de poluição e de contaminação do solo e, consequentemente, das águas subterrâneas” .

António Gomes, do BE, alertou para a existências de dois CIRVER, na Chamusca, centros dedicados exactamente ao processamento de resíduos perigosos, destinados a absorver esses resíduos e permitir retirar essas actividades de locais menos próprios, ou escandalosamente impróprios, como seja o centro de uma povoação, mas não comoveu a maioria. O pedido de DIM foi aprovado pelo PS e presidentes das juntas, o PSD deixou passar abstendo-se, a CDU e o Bloco votaram contra.

 

 

 Outras notícias - Sociedade


Marca reforça aposta em produtos ecológicos para uso doméstico »  2017-11-14 

A Renova reforça a sua oferta de produtos ambientalmente responsáveis com o lançamento da nova gama “Renova Love & Action”, composta por produtos distinguidos com o rótulo ecológico da União Europeia numa nova aposta da marca pioneira no sector em soluções ecológicas.
(ler mais...)


Jorge Traquina:”Minudências” num pequeno-grande livro de poesia »  2017-11-12 

Jorge Traquina da Silva está em Torres Novas há tanto tempo que se diria um torrejano de sempre, mas este improvável e talentoso poeta, nascido em Abrantes em 1959, pelas sombras melancólicas das vielas torrejanas vai encontrando a inspiração existencial que se desdobra depois em pequenas histórias de ver o mundo todo com uma enorme lucidez, ironia, graça e inteligência.
(ler mais...)


Diabetes uma doença em plena expansão - I »  2017-11-11  »  Juvenal Silva

A diabetes é uma doença em plena expansão e, de acordo com o relatório global da Organização Mundial de saúde divulgado em 7/4/2016, desde 1980, o número de pessoas com diabetes quadruplicou e atingiu os 422 milhões de pessoas em 2014.
(ler mais...)


Maria Lamas - vida e obra em exposição na Assembleia da República »  2017-11-08 

O presidente da Asssembleia da República, Eduardo Ferro Rodrigues, fez ontem o discurso de abertura da exposição "Maria Lamas - Mulheres, Paz, Liberdade", patente no palácio de São Bento até meados de Dezembro.
(ler mais...)


Vou ali salvar uma velhinha, e já venho »  2017-11-05 

Há histórias bonitas, que demonstram o que de melhor há no ser humano: a solidariedade. Numa semana marcada por violência, agressividade e desprezo pelo outro (leia-se o espancamento na noite/manhã de Lisboa), em Torres Novas há um enredo oposto.
(ler mais...)


Torres Novas: IMI fixado nos 0,38% para 2018 »  2017-11-03 

A Câmara Municipal de Torres Novas deliberou, na sua reunião de terça-feira (dia 31), manter a taxa de Imposto sobre Imóveis (IMI) nos 0,38% em 2018, a aplicar a todos os proprietários de imóveis no concelho, avaliados nos termos do Código do IMI.
(ler mais...)


Golegã volta a agitar-se com a feira de São Martinho »  2017-11-01 

“Reza a lenda que um cavaleiro gaulês, de nome Martinho, ao regressar a casa no meio de uma tempestade encontrou a meio do caminho um mendigo que lhe pediu uma esmola. O cavaleiro retirou das costas o manto que o aquecia, cortou-o ao meio com a espada e deu-o ao mendigo.
(ler mais...)


Entroncamento: petição pública reclama mais segurança »  2017-11-01 

No site www.peticaopublica.com está a ser subsrito um documento intitulado “Entroncamento Mais Seguro”, na qual se reclama, tal como o nome indica, uma cidade mais segura. Na petição, já assinada por mais de 500 pessoas, refere-se que o Entroncamento “é uma cidade insegura” e que há pessoas que, à noite, já não saem à rua.
(ler mais...)


Golegã: qualidade da água do rio Almonda é medíocre, diz associação ambientalista »  2017-11-01 

Com base em recolhas feitas em Maio - poderiam ter sido feitas em Junho, Julho ou outro mês qualquer -,A Zero, associação ambientalista não governamental (ONG) e que norteia a sua actividade na defesa dos valores da sustentabilidade, detectou água de má qualidade em quatro cursos de água nas regiões de Leiria, Lisboa e Santarém, tendo o rio Almonda, na Golegã, o pior resultado, segundo um estudo divulgado na última semana de Outubro.
(ler mais...)


Alcanena: encontro nacional de coleccionadores e mercadinho »  2017-11-01 

O pavilhão Carlos Calado, em Alcanena, acolhe a 21.ª edição da feira nacional de coleccionadores este sábado, dia 4 de Novembro, a partir das 10h30, até às 17h30, altura em que os participantes recebem o habitual certificado de participação, assim como é entregue o prémio ao melhor coleccionador jovem do concelho de Alcanena.
(ler mais...)

 Mais lidas - Sociedade (últimos 10 dias)
»  2017-11-12  Jorge Traquina:”Minudências” num pequeno-grande livro de poesia
»  2017-11-08  Maria Lamas - vida e obra em exposição na Assembleia da República
»  2017-11-14  Marca reforça aposta em produtos ecológicos para uso doméstico