• SOCIEDADE  • CULTURA  • DESPORTO  • OPINIÃO
Directora: Inês Vidal   |     Quarta, 26 de Abril de 2017
Pesquisar...
Sáb.
 17° / 10°
Céu nublado
Sex.
 22° / 6°
Céu nublado
Qui.
 21° / 3°
Claro
Torres Novas
Hoje  22° / 8°
Céu nublado
       #Alcanena    #Entroncamento    #Golega    #Barquinha    #Constancia 

Joseph de Maistre

Opinião  »  2017-02-03  »  Jorge Carreira Maia

"A obra de Maistre encontra-se em fase de reavaliação crítica, pois algumas das suas posições são hoje partilhadas por um espectro político que não se concentra apenas na direita."

Agora que uma certa direita política está a chegar ao poder é altura de olhar para o seu longínquo fundamento. Joseph de Maistre (1753-1821) – juntamente com Louis de Bonnald, Edmund Burke e Giambattista Vico – está na sua origem. É o mais brilhante inimigo da Revolução Francesa, à qual dedica uma parte considerável da sua reflexão política e filosófica. Súbdito do rei da Sardenha, de Maistre, um saboiano, declarou-se, desde o início, um irredutível adversário tanto das práticas revolucionárias como da ideologia iluminista que lhes dava forma. Via na Revolução Francesa um grande acontecimento de ordem metafísica, uma espécie de punição divina à elite aristocrática francesa por ter alimentado ela própria aquilo – o Iluminismo – que a haveria de liquidar.

Entre as suas posições mais marcantes está a supremacia do corpo político – a sociedade e a autoridade – relativamente ao indivíduo. Politicamente, é antiliberal. A autoridade do Estado, fundada na violência, de que o carrasco é o símbolo e o executor, é central no seu pensamento. Defende o Antigo Regime, a monarquia absoluta, a Igreja Católica e o papado. Argumenta a favor da não separação entre a Igreja e o Estado e da teocracia. É um adversário do contratualismo – a ideia de que a comunidade política é o resultado de um contrato social – e elabora uma crítica feroz às constituições escritas provenientes da Revolução Francesa. A ordem política e as leis constitucionais não são o resultado da vontade dos homens, mas o fruto da acção da Providência na História.

O curioso é que este reaccionário empedernido, este defensor da Inquisição espanhola, era um homem pacífico, afável, cordato, com grande poder de sedução, tendo feito, enquanto embaixador do Rei da Sardenha na corte do Czar, uma série de conversões ao catolicismo, entre as damas da aristocracia russa. Escreve um francês de grande elaboração estética. É famosa, pela qualidade literária, a sua descrição da figura do carrasco em Les Soirées de Saint-Pétersbourg. Embora não tenha sido romancista nem poeta, Joseph de Maistre é um dos pais do romantismo francês. Isaiah Berlin viu-o como o predecessor do fascismo. Baudelaire considerava-o um mestre e Cioran é um seu leitor atento. A obra de Maistre encontra-se em fase de reavaliação crítica, pois algumas das suas posições são hoje partilhadas por um espectro político que não se concentra apenas na direita. Uma leitura indispensável, por muito que se discorde com o que é dito, tanto pelo prazer estético que proporciona como para compreender a origem e o fundamento do pensamento político da direita, dessa que está a chegar.

 

http://kyrieeleison-jcm.blogspot.pt/

 

 

 Outras notícias - Opinião


Marcelo, Marcelo »  2017-04-20  »  Jorge Carreira Maia

A imagem das pessoas e o desejo que delas sentimos são regulados pelos mesmos mecanismos que regem os mercados onde se transaccionam os bens de consumo. Sempre que um produto é escasso o preço sobe.
(ler mais...)


O clube dos escritores traídos »  2017-04-06  »  Jorge Carreira Maia

Há umas semanas noticiou-se que a editora de Agustina Bessa-Luís mandara retirar do mercado os livros desta autora. Parece que já não vendia o suficiente. Há claramente um conflito negocial, digamos assim, entre a editora e representantes da escritora.
(ler mais...)


Primavera - época de limpeza e renovação »  2017-04-05  »  Juvenal Silva

É principalmente na Primavera que se manifestam insuficiências orgânicas e alguns tipos de enfermidades, caraterizadas por cansaço e diversos tipos de toxicidade, a que normalmente chamamos impurezas no sangue.
As curas de depuração na Primavera são importantes e necessárias para reativar o metabolismo, normalizá-lo e estimulá-lo, condição para a sua força vital.
(ler mais...)


Inspiring future »  2017-03-23  »  Jorge Carreira Maia

Assisti há dias, na escola onde lecciono, a uma intervenção da Yorn Inspiring Future que, para além de trazer consigo um conjunto de sessões e workshops, onde 37 universidades e politécnicos tentaram cativar os alunos do 12º ano, explicou, numa sessão de pouco mais de uma hora, o processo de candidatura.
(ler mais...)


Aaaaaaaargh! »  2017-03-21  »  Hélder Dias

Breve reflexão sobre a origem das doenças »  2017-03-21  »  Juvenal Silva

O que origina a doença?
O organismo degrada-se, fundamentalmente, por dois motivos, pela intoxicação e pela falta de nutrientes para se constituir e renovar.
As substâncias nutritivas contidas nos alimentos servem para a elaboração das células e dos líquidos orgânicos; além disso, o nosso corpo funciona graças a elas.
(ler mais...)


Thomas Bernhard »  2017-03-10  »  Jorge Carreira Maia

A obra do escritor austríaco Thomas Bernhard é daquelas que colocam com mais acuidade a relação entre a biografia pessoal e a obra de arte. É verdade que o princípio, presente na hermenêutica de Paul Ricœur, que nos ordena ler uma obra como se nada soubéssemos do seu autor continua válido.
(ler mais...)


Fantoche... »  2017-02-25  »  Hélder Dias

BENDITOS OS PEIXES DO AZUL ( há 30 anos o Zeca emalou a trouxa e zarpou) »  2017-02-23  »  João Carlos Lopes

Pelos 14 anos, quando me meti nas militâncias revolucionárias logo a seguir ao dia inicial, mais que as ideologias e as cartilhas, vejo eu agora, havia uma espécie de programa poético que em fundo embalava gestos e ousadias, esperanças e coragens: pelas praias do mar nos vamos à procura da manhã clara.
(ler mais...)


O PEDU segundo Mateus, o augusto »  2017-02-16  »  João Carlos Lopes

“Torres Novas.pt- ponte para todos” será, muito provavelmente, o último trabalho deste cariz, feito nesta autarquia, com vista à definição de uma estratégia global para o concelho na perspectiva de candidaturas comunitárias”: eram estas as palavras de António Rodrigues a abrir o prefácio do plano estratégico 2007/2015, elaborado pela empresa do ex-ministro socialista e consultor-mor Mateus, o augusto dos planos e eixos estratégicos (os mais grisalhos ainda se lembram do célebre “eixo estratégico Torres Novas/Entroncamento” sobre o qual o antigo vereador Carlos Tomé, o maior poeta que alguma vez passou por esta pobre autarquia, lavrou, lapidar: “No eixo é um descanso”.
(ler mais...)

 Mais lidas - Opinião (últimos 10 dias)
»  2017-04-20  »  Jorge Carreira Maia Marcelo, Marcelo