• SOCIEDADE-  • CULTURA  • DESPORTO  • OPINIÃO
  Quarta, 14 Abril 2021    |      Directora: Inês Vidal    |      Estatuto Editorial    |      História do JT
   Pesquisar...
Sáb.
 22° / 10°
Céu limpo
Sex.
 23° / 12°
Períodos nublados com chuva fraca
Qui.
 22° / 14°
Céu nublado com chuva fraca
Torres Novas
Hoje  21° / 12°
Céu nublado com chuva fraca
       #Alcanena    #Entroncamento    #Golega    #Barquinha    #Constancia 

Está tudo mal. Tudo. - carlos paiva

Opinião  »  2020-10-09  »  Carlos Paiva

"Até a guardar cabras falharam..."

Em amena cavaqueira entre amigos, a discutir o desempenho autárquico, ou a falta dele, surgiu a frase: “…criticar a Câmara Municipal é fácil…”. Concordei de imediato. Aliás, reforcei que é O MAIS fácil. Pela frequência com que se põem a jeito. É difícil ficar impávido perante a abundante oferta. Ir a Torres Novas é como visitar aquele amigo que é muito desarrumado: quando desvias a pilha de revistas que está em cima do sofá para te poderes sentar, ele diz “deixa estar isso aí, senão perco-lhes o norte”. Não é erro, é funcionalidade. Num cenário rico em asneiras, micro e macro, a crítica ou discordância irão brotar em igual proporção. Mas o escrutínio popular, a opinião crítica, são mal recebidas por alguns indígenas. É vulgar respostas do género: “nunca estão satisfeitos”, “preso por ter cão, preso por não ter”, “só sabem dizer mal”, “nunca está nada bem”. Não exactamente assim como escrevi, mas pejado de erros gramaticais e ortográficos.

Esta assimilação da asneira como relíquia cultural, a veneração a quem a fez e perpetua, é endémica. “Nós sabemos que é uma asneira. Deixa ser. Desanda e vai criticar o raio-que-te-parta”. Esta reação emocional denuncia um sentimento de pertença/propriedade, bairrismo, não é uma reacção ponderada e carece de uma avaliação imparcial do tema em causa. Reage-se à crítica da gestão pública como se reage no futebol: irracionalmente fiel ao nosso clube. O general Custer também levou até ao fim as consequências das suas (más) decisões, condenando um destacamento inteiro a ser massacrado, incluindo ele próprio. A lealdade e confiança dos seus homens de nada adiantou para alterar o desfecho.

Também endémico, e totalmente dicotómico, é o desdém pela prata da casa e idolatração ao que vem de fora. Eu sei, eu sei. Um exército de psiquiatras ficava de mãos cheias durante muito tempo. Se calhar, é isso que é preciso para mudar as coisas: um executivo importado. Um conjunto de pessoas que não saiba rigorosamente nada sobre o concelho e sobretudo, não conheça ninguém do concelho. Julgo impossível um executivo, totalmente ignorante da realidade e das necessidades de Torres Novas, fazer pior trabalho que o que tem sido feito pelos indígenas conhecedores dos cantos à casa.

Até a guardar cabras falharam. Sim. Bateu no fundo. Quando se gasta 20 mil euros em promoção interna, não havendo nada de assinalável para promover no mercado interno, muito menos para um target de domésticas e reformados, confirma-se o andar à deriva. Quando a autarquia faz asneira, e perante o parecer negativo da entidade reguladora estatal insiste na asneira, levando-a até às últimas consequências, que é que se pode esperar se não as últimas consequências? Se a CMTN é um alvo fácil, a responsabilidade disso é da CMTN. E para um alvo tão fácil, que se põe a jeito com uma frequência tão elevada, admira-me a reacção de alguns opositores, ora anémica ora pueril, isto quando se dignam a sair da apatia. Restam os odiados críticos e insatisfeitos. Cada um tem o que merece.

 

 

 

 Outras notícias - Opinião


Empréstimo »  2021-04-13  »  Hélder Dias

Sombra suspeita »  2021-04-13  »  Hélder Dias

Os 2,36 euros extra…ordinários - miguel sentieiro »  2021-04-10  »  Miguel Sentieiro

Num momento em que o sentimento generalizado sobre os chineses é de alguma desconfiança, preparo-me aqui para contrapor e dar uma oportunidade aos tipos. Eu sei que nos foram mandando com a peste bubónica, a gripe asiática, a gripe das aves, o corona vírus.
(ler mais...)


#torresnovas@weshallover.com - josé ricardo costa »  2021-04-10  »  José Ricardo Costa

É muito bom viver em Torres Novas mas também se sente o peso de estar longe do que de verdadeiramente moderno se passa no mundo, enfim, nada de #Me Too, Je suis Charlie Hebdo, vetustas estátuas transformadas em anúncios da Benetton.
(ler mais...)


Rever a revisão, já! - josé mota pereira »  2021-04-10  »  José Mota Pereira

 

 Recuemos no tempo. Entremos numa máquina do tempo e cliquemos no botão que nos leve até ao ano de 2001. Recordemos vagamente que em 2001:

 - Caíram as Torres Gémeas em Nova Yorque em 11 setembro.
(ler mais...)


Na era do ad hominem - jorge carreira maia »  2021-04-10  »  Jorge Carreira Maia

Quando a internet surgiu e, posteriormente, com a emergência dos blogues e redes sociais pensou-se que a esfera pública tinha encontrado uma fonte de renovação. Mais pessoas poderiam trocar opiniões sobre os problemas que afectam a vida comum, sem estarem controladas pelos diversos poderes, contribuindo para uma crescente participação, racionalmente educada, nos assuntos públicos.
(ler mais...)


Equilíbrio - inês vidal »  2021-04-10 

É e sempre foi uma questão de equilíbrio. Tudo. E todos o sabemos. O difícil é chegar lá, encontrá-lo, ter a racionalidade e o bom senso suficientes para o ter e para o ser. E para saber que o equilíbrio de hoje não é obrigatoriamente o de amanhã, muito menos o que era ontem.
(ler mais...)


As árvores morrem de qualquer maneira e feitio - carlos paiva »  2021-04-10  »  Carlos Paiva

Comemorou-se a 21 de Março o dia da floresta. O Instituto da Conservação da Natureza e das Florestas (ICNF) resolveu assinalar a data disponibilizando 50.000 árvores gratuitamente à população. Quem as quisesse plantar, teria de se identificar, inscrever, levantar a árvore (até um máximo de dez árvores por pessoa) e, num prazo de 48 horas, declarar o local onde plantou documentando com fotos.
(ler mais...)


Rejuvenescimento político - anabela santos »  2021-04-10  »  AnabelaSantos

Hoje, como acontece diariamente, no caminho de casa até à escola, lá se deu o habitual encontro matinal entre mim e o Ananias, o meu amigo ardina. Trocámos algumas palavras, comprei o jornal e seguimos por caminhos opostos que nos levam à nossa missão do dia, o trabalho.
(ler mais...)


O CRIT já não é de todos os torrejanos - joão carlos lopes »  2021-04-08  »  João Carlos Lopes

Durante décadas, todos os torrejanos ajudaram no que puderam o CRIT, uma obra social que granjeou a estima de todos os cidadãos e empresários, e foram muitos, que sempre disseram sim a todas e quaisquer formas de ajuda em prol da aventura iniciada em 1975.
(ler mais...)

 Mais lidas - Opinião (últimos 30 dias)
»  2021-04-08  »  João Carlos Lopes O CRIT já não é de todos os torrejanos - joão carlos lopes
»  2021-03-23  »  João Carlos Lopes Peixes e pombos ou a civilização a andar para trás - joão carlos lopes
»  2021-03-20  »  José Ricardo Costa A Rosa do Nome - josé ricardo costa
»  2021-03-20  »  Jorge Carreira Maia A arte do possível - jorge carreira maia
»  2021-04-10  »  Miguel Sentieiro Os 2,36 euros extra…ordinários - miguel sentieiro