• SOCIEDADE-  • CULTURA  • DESPORTO  • OPINIÃO
  Quarta, 26 Junho 2019    |      Directora: Inês Vidal    |      Estatuto Editorial    |      História do JT
   Pesquisar...
Sáb.
 29° / 15°
Períodos nublados
Sex.
 29° / 14°
Céu limpo
Qui.
 27° / 13°
Períodos nublados
Torres Novas
Hoje  26° / 15°
Céu nublado com chuva fraca
       #Alcanena    #Entroncamento    #Golega    #Barquinha    #Constancia 

Opções

Opinião  »  2019-02-21  »  Anabela Santos

"Se o pessoal lhes dá votos, é porque dá resultado. Seremos todos irresponsáveis? "

E de repente, quando somos agradavelmente surpreendidos por um montante razoável em euros de que não estávamos à espera, a reação é de espanto e de alegria. Faz falta, é sempre bem vindo.

A partir do momento em que recebemos tão agradável notícia, impõe-se um pensamento … o que fazer com todo o dinheiro recebido?
O mais correto e consciente seria poupar, mas como há tantas coisas pendentes que nunca foram resolvidas por não haver essa tal quantia, a hipótese da poupança põe-se logo de parte.

Deixa ver… Preciso de uma pintura em toda a casa, principalmente, nos quartos, substituir o rodapé, afagar o soalho que está em péssimo estado por causa do cão, mudar o móvel da casa de banho, um micro-ondas novo, pagar a carta de condução do miúdo, substituir os sofás, comprar um novo computador e, por toda a vida stressante que levo, fazer uma viagem até Bali para repor energias.

Ora, o mais importante é, sem dúvida, a pintura da casa, os rodapés o móvel da casa de banho e o soalho, pois é indispensável a manutenção da casa tendo em conta que, em princípio, será nela que irei viver o resto dos meus dias. Mas gostava tanto de ter uns sofás novos, a sala ficava muito mais bonita. Queria um micro-ondas mais moderno, a última “era” dos computadores que iria facilitar o momento da escrita dos meus textos e uma viagem ficará para sempre na minha memória. E agora?

Nem penso duas vezes, ou melhor, já pensei mas o pensamento foi rápido. Tenho o dinheiro, vou gastar não no que é o mais importante, mas no que me vai fazer sentir bem. Embelezar a minha casa e proporcionar bons momentos à minha pessoa.
A pintura, o rodapé, a casa de banho e o soalho ficam para depois. Não vai haver, com certeza, o azar da casa vir abaixo.
Pronto, ok, concordo, sou mesmo irresponsável, mas “bolas” o nosso executivo municipal, também toma opções parecidas e sai a ganhar. Quer dizer, penso eu. Se o pessoal lhes dá votos, é porque dá resultado. Seremos todos irresponsáveis?

Então é assim … se depois de terem recebido uma generosa quantia devido às cobrança do IMT, imposto municipal incidente sobre as transmissões onerosas de bens imóveis, o nosso presidente da Câmara e digníssimos vereadores decidiram utilizar parte do dinheiro a embelezar a nossa cidade, nomeadamente, avançar com as obras (necessárias mas não urgentes) no largo General Humberto Delgado, o nosso Rossio, em vez de ter olhado, por exemplo, para as estradas do concelho que precisam urgentemente de ser pavimentadas e necessitam de manutenção (os “risquinhos brancos” fazem-me tanta falta quando conduzo), ou decidir ajudar instituições que lutam todos os meses para cumprir obrigações e conseguir algum desenvolvimento que traga melhores condições para os seus utentes, ou ainda, apoiar de forma mais eficaz os clubes e associações locais … eu também posso fazer a minha opção, mesmo que um pouco irresponsável.
Assim, bora lá todos gastar o dinheiro!
No entanto, não posso acabar sem dar os parabéns ao nosso executivo por ter como primeira opção a reabilitação de imóveis no centro histórico. Opção responsável!

 

 

 Outras notícias - Opinião


Autarquias, professores, padres casados e futebol »  2019-06-20  »  Jorge Carreira Maia

PODER AUTÁRQUICO. Depois da operação Teia, uma nova operação contra detentores – ou ex-detentores – do poder autárquico. Não faço ideia o que pensam presidentes de câmara e vereadores sobre a reputação das autarquias.
(ler mais...)


Democracia, por Inês Vidal »  2019-06-19  »  Inês Vidal

Somos todos pela democracia. Menos quando ganha quem não queremos. Esta coisa da democracia tem que se lhe diga. Que o diga eu que, nunca falhando a umas eleições, nunca vi ganhar nenhumas. Fica sempre um sabor amargo na boca, uma angústia de não ver ganhar quem se quer.
(ler mais...)


O Tempo dos Gelados »  2019-06-19  »  José Ricardo Costa

Uma coisa que a natureza tem de bastante simpático, facilitando-nos a vida, é a sua circularidade. Por exemplo, as estações do ano. Fosse a natureza destrambelhada e nada poderíamos prever, deixando-nos à nora sobre o que fazer no dia seguinte.
(ler mais...)


Problemas de memória »  2019-06-19  »  Hélder Dias

Glifosato Man »  2019-06-19  »  Hélder Dias

Agustina, a crise na direita, a doença da social-democracia e a teia »  2019-06-07  »  Jorge Carreira Maia

AGUSTINA BESSA-LUÍS. O século XX português teve uma mão cheia de excelentes romancistas. A atribuição do Nobel a Saramago reconheceu isso. Se tivesse sido a Agustina, não teria ficado mal entregue.
(ler mais...)


Parabéns, abstenção! »  2019-06-06  »  Anabela Santos

Muito se tem falado, já tudo foi dito e é do conhecimento de todos que as eleições europeias realizadas no dia vinte e seis de Maio trouxeram uma vitória para a esquerda, excepto para o PCP, e uma acentuada derrota para a direita.
(ler mais...)


Encruzilhada »  2019-06-06  »  António Gomes

Já assim era, mas depois das últimas eleições europeias a interrogação subiu de tom: vai ou não haver geringonça após as próximas eleições legislativas? – as pessoas perguntam.
(ler mais...)


GREVE? »  2019-06-06  »  Denis Hickel

gre·ve
(francês grève)
substantivo feminino
Interrupção temporária, voluntária e colectiva de atividades ou funções, por parte de trabalhadores ou estudantes, como forma de protesto ou de reivindicação (ex.
(ler mais...)


Quando a pedra é o sapato »  2019-06-06  »  Ana Sentieiro

Ontem trajei pela primeira vez. A Noite de Serenatas enlatou a comunidade académica da Universidade do Minho no Largo da Sé. A escuridão dos trajes iluminava os corações dos presentes, aquecia os abraços e motivava as lágrimas ao som da melodia das guitarras portuguesas.
(ler mais...)

 Mais lidas - Opinião (últimos 30 dias)
»  2019-06-07  »  Jorge Carreira Maia Agustina, a crise na direita, a doença da social-democracia e a teia
»  2019-06-19  »  Hélder Dias Glifosato Man
»  2019-06-06  »  Ana Sentieiro Quando a pedra é o sapato
»  2019-06-06  »  António Gomes Encruzilhada
»  2019-06-06  »  Denis Hickel GREVE?