• SOCIEDADE  • CULTURA  • DESPORTO  • OPINIÃO
Directora: Inês Vidal   |     Segunda, 16 de Janeiro de 2017
Pesquisar...
Qui.
 13° / -3°
Claro
Qua.
 11° / -2°
Claro
Ter.
 19° / 2°
Claro
Torres Novas
Hoje  18° / 1°
Claro
       #Alcanena    #Entroncamento    #Golega    #Barquinha    #Constancia 

Multas

Opinião  »  2016-12-14  »  Inês Vidal

"Todos sentem a forte presença e concorrência das grandes superfícies"

O mês de Dezembro tem qualquer magia que torna as pessoas ainda mais consumistas que durante o resto do ano. Não há um dia, especialmente aos fins-de-semana, que não se sinta o reboliço de gente e mais gente em todos os mais que muitos hipermercados de Torres Novas. O mesmo não podem dizer os comerciantes do comércio local. (Sim, este assunto de novo  já velho e cada vez mais actual). Seja na zona alta ou baixa da cidade, todos sentem a forte presença e concorrência das grandes superfícies.

Aos cartões, descontões, parvalhões e outras coisas acabadas em "ões", rebatem com aquilo que de melhor têm e sabem: a proximidade e a individualização de cada cliente. Porque o Manuel não pode nunca ser igual ao João e a mãe de um nunca a mãe do outro. Porque um "m" nunca é só um "m" e um cheiro não assenta ou faz os gostos de todos. Porque nem todos os óculos assentam bem em todas as caras e porque nem todos podemos tomar aquele medicamento, mesmo que seja de venda livre. E ali, no comércio tradicional, seja no centro ou na zona alta, há sempre atrás do balcão alguém que sabe quem somos ou que pelo menos se interessa em vir a sabê-lo.

Mas apesar deste assunto já ser velho e de todos sabermos e sentirmos isto, continuamos a ir em cantigas e cartões, em promoções com grandes "senões". É por isso que nos dá um certo ânimo ver que, passando no centro histórico por exemplo, ali ainda ninguém se rendeu. Todos os anos surgem lojas novas, pessoas que se recusam a acomodar às ditaduras massificadas dos hipermercados e que acham que Torres Novas merece uma alternativa aos produtos que encontramos em prateleiras todas iguais.

E com as novas, se animam as que já por aí vão estando. Só entristece ver que o esforço não é reconhecido por todos. Não bastava já uma concorrência desleal, os comerciantes vêem-se ainda obrigados a lutar contra uma outra força. Uma que passa multas, umas atrás das outras, de bloco em riste, a tudo quanto é carro que para pelo centro. Eu já apanhei uma, o David outra, o António também. Nós não vamos fugir do centro, porque não temos outra opção, mas se pudéssemos, como tantos outros, se calhar optaríamos por outro local para as nossas compras, poupando assim o dinheiro da multa para prendas de Natal. Isto já está difícil só por si... não compliquem mais. Os comerciantes agradecem.

 

 

 Outras notícias - Opinião


KIM BOOOMM IL »  2017-01-09  »  Hélder Dias

Mário Soares »  2017-01-08  »  Jorge Carreira Maia

Em 1974 e 1975, eu não era propriamente um admirador do dr. Mário Soares. Com a idiotice inerente à minha idade, com as ilusões sobre a humanidade e o devir do mundo, com a profunda ignorância da política e da vida, eu militava pela revolução socialista, arvorava a bandeira do esquerdismo radical.
(ler mais...)


Será que não damos mais que isto? »  2017-01-05  »  João Carlos Lopes

Nos idos da década de oitenta do século passado, muito do que se debateu sobre Torres Novas teve lugar na velha galeria Maria Lamas. Por ali passaram arquitectos, urbanistas e ambientalistas, gente como Gonçalo Ribeiro Teles ou Carlos Pimenta marcaram presença em activas discussões sobre o futuro de Torres Novas.
(ler mais...)


Arthur Conan Doyle »  2017-01-05  »  Jorge Carreira Maia

Será um mistério aquilo que faz com que uns sejam indiferentes à leitura e outros tenham nela uma fonte inesgotável de prazer. Talvez o prazer de ler tenha uma componente genética. Não faço ideia, mas é possível.
(ler mais...)


Folclore »  2017-01-04  »  João Carlos Lopes

Todos os anos, ano após ano e sempre nesta data, aqui se noticiam ou se abordam, de algum modo, as festas de aniversário dos ranchos folclóricos de Torres Novas e de Riachos, fundados exactamente no mesmo ano e que, daqui a nada, celebrarão a data redonda das seis décadas.
(ler mais...)


As estradas para 2017 »  2017-01-04  »  António Gomes

Os orçamentos municipais são documentos determinantes para a gestão da coisa pública, indicam as escolhas e as opções de quem as faz.
O que nos diz o orçamento municipal de Torres Novas para 2017? É claro, é transparente, responde às preocupações das pessoas, ao desenvolvimento do concelho?
É o último orçamento do mandato, é por isso propício ao aparecimento de algumas obras, que saltem à vista, alcatrão de preferência, que façam esquecer os anos anteriores.
(ler mais...)


Carta para a pequenina e doce Alice »  2017-01-04  »  Maria Augusta Torcato

Natal, 2016
Minha pequenina e doce Alice, este foi o teu primeiro Natal. O teu primeiro Natal connosco. A verdade é que foi no Natal do ano passado que te anunciaste, mas não sabíamos que eras tu. Agora já sabemos. E estamos todos, todinhos, muito felizes contigo.
(ler mais...)


Doenças do sistema circulatório »  2017-01-04  »  Juvenal Silva

Em todos os países da esfera cultural do Ocidente tornam-se cada vez mais ameaçadoras as doenças do coração e da circulação. Não é para nós uma experiência estranha que um homem, que se julga na posse de todas as suas forças, de repente interrompe o seu trabalho e em poucos segundos seja arrebatado pelas garras da morte.
(ler mais...)


2016-2017 »  2016-12-28  »  Jorge Carreira Maia

O ano de 2016, do ponto de vista da política interna, foi marcado pela descoberta, por muita gente, da inexistência em Portugal de organizações políticas radicais e extremistas. Aquilo que para alguns, muito poucos, já era claro – o facto de tanto o BE como o PCP perseguirem na prática, para além da retórica discursiva para consumo interno dos respectivos partidos, objectivos políticos moderados e de pendor social-democrata – tornou-se agora patente.
(ler mais...)


Franz Kafka »  2016-12-16  »  Jorge Carreira Maia

Quando li pela primeira vez O Processo, estava longe de ser capaz de perceber a íntima conexão entre a estranha narrativa do escritor checo e a natureza do mundo moderno, natureza essa configurada na empresa e no estado burocráticos.
(ler mais...)

 Mais lidas - Opinião (últimos 10 dias)
»  2017-01-09  »  Hélder Dias KIM BOOOMM IL
»  2017-01-08  »  Jorge Carreira Maia Mário Soares